Cisto aracnoide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cisto aracnóide)
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Cisto aracnoide
Uma ressonância magnética de uma mulher de 25 anos com um cisto aracnoide no lobo frontal esquerdo.
Classificação e recursos externos
CID-10 G93.0
CID-9 348.0
OMIM 207790
DiseasesDB 33219
eMedicine radio/48
MeSH D016080
Star of life caution.svg Aviso médico

Os cistos aracnoides são lesões congênitas da membrana aracnoide que se expandem com as secreções do fluido cérebro-espinhal. Corresponde a aproximadamente a 1% de todas as lesões intracraniais dos adultos e a aproximadamente 3% nas crianças. Embora 60-90% dos casos relatados fossem encontrados em pessoas jovens (menos doos), é possível encontrá-los em pessoas mais velhas.

É um saco de líquido na membrana aracnóide que cobre o cérebro e a medula espinal. Há três membranas que cobrem as partes do Sistema Nervoso Central (SNC): a dura-máter, a aracnoide e a pia-máter. Os cistos aracnoides aparecem na membrana aracnoide (espaço subaracnoide). Os lugares mais comuns dos cistos aracnoides intracraniais são na fossa média (perto do lobo temporal), na região supracellar (perto do terceiro ventrículo) e na fossa posterior, onde tem o cerebelo, o ponte, e a medula oblonga.

Na distribuição do sexo mostra uma preferência para os homens, na relação de 3:1 e para o lado esquerdo das estruturas do sistema nervoso central (SNC).

Localização[editar | editar código-fonte]

O cisto pode ser de vários tamanhos, de muito pequeno, sem efeito de massa ao muito grande, com um efeito de massa e a erosão do osso; alguns são estáveis, outros podem crescer e se expandir. Os lugares mais comuns são na fissura silviana e na fossa media do crânio (49% dos casos), a cisterna suprasellar (9%),

Encontra-se uma porcentagem menor dentro do ventrículos. Os cistos intrasellares são os únicos cistos aracnoides que são extradurais. Os cistos na medula espinal são muito raros.

Sintomáticos ou assintomáticos[editar | editar código-fonte]

Na maioria dos casos, os cistos aracnoides não causam sintomas (assintomáticos). São comuns os casos onde há, dores de cabeça, tonturas e uma acumulação excessivado fluido cérebro-espinhal no cérebro (hidrocéfalo). A causa exata do cisto aracnoide não é conhecida.

Eles são assintomáticos quando são pequenos, entretanto os cistos podem aumentar de tamanho, o que cria sintomas, especialmente se eles pressionam um nervo craniano, o cérebro, ou na medula espinal; quando eles são maiores, podem causar hipertensão intracranial, relacionada com o hidrocéfalo. Os cistos grandes podem desencadear tonturas e dores de cabeça.

Classificação[editar | editar código-fonte]

A classificação divide os cistos, os primeiros (congênitos) ou secundários (traumáticos ou de origem infecciosa)

Os três tipos de cistos:

  • Tipo I: são pequenos e assintomáticos
  • Tipo II: tem alguns efeito de massa, com erosões do osso
  • Tipo III: tem uma deformação de uma grande área do Sistema Nervoso Central e dos ossos.

Sintomas[editar | editar código-fonte]

Alguns deles não causam sintomas e são descobertos por acaso num exame de tomografia da cabeça. Lista dos sintomas:

  • Dores de cabeça, náuseas/vômitos, cansaço causado pela pressão intracraniana
  • Tonturas
  • Letargia
  • Tinnitus (zumbidos)
  • parestesia, disestesia
  • Problemas de audição
  • Problemas neurológicas: fraqueza, problemas da fala
  • Alargamento da cabeça nos bebês (macrocefalia) pode acontecer hidrocéfalo): acumulação do fluido cérebro-espinhal no cérebro causando hiperpressão intracranial
  • Síndromes raras podem manifestar outros sintomas dependendo do lugar do cisto:
    • problemas com algumas taxas de hormônios
    • desenvolvimento atrasado
    • retardamento mental
    • mudança de comportamento
    • inabilidade para controlar movimentos voluntários (ataxia)

Os cistos aracnoides na medula espinal estão associados com[editar | editar código-fonte]

  • fraqueza progressiva das pernas
  • deformação da coluna (escoliosis)
  • dores na costas, espasmos nas pernas
  • mais raramente, os cistos podem causar paralisia das pernas (paraplegia)

Causas[editar | editar código-fonte]

A causa exata do cisto aracnoide ainda é desconhecida. O pesquisadores acreditam que a maior parte dos casos de cisto aracnoide são malformações que aparecem de inexplicáveis divisões ou rasgos na membrana aracnoide. De acordo com a literatura médica, casos de cistos aracnoides tem aparecidos em famílias sugerindo que uma predisposição genética pode ser causa no desenvolvimento de cistos aracnóides em alguns indivíduos.

Em alguns casos, os cistos aracnoides na fossa media são acompanhados de um « subdesenvolvimento » (hypoplasia) ou compressão do lobo temporal. O papel exato que as anormalidades no lobo temporal tem no desenvolvimento do cisto aracnoide é desconhecido.

Algumas complicações dos cistos aracnoides podem ocorrer quando um cisto é prejudicado por um trauma menor na cabeça. O trauma pode fazer com que o fluido do cisto vaze para outras áreas (por exemplo, o espaço subaracnoide). Os vasos sanguíneos da superfície do cisto podem partir-se e sangrar para dentro do cisto (hemorragia intracística), ocasionando o seu aumento. Se um vaso sanguíneo sangrar para fora do cisto, pode resultar em um hematoma. Nos casos de hemorragias intracisticas e hematomas, o indivíduo pode ter sintomas de aumento de pressão no crânio e sinais de compressão perto do tecido neural.

Os cistos aracnoides podem aparecer secundariamente a outras doenças como a síndrome de Marfan, aracnoiditis, agenesis do corpo caloso

O diagnóstico do cisto aracnoide é freqüentemente acidental, principalmente durante o exame de pessoas com tonturas. Os cistos aracnoides são facilmente vistos nos exames de tomografia e na ressonância magnética da cabeça.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Star of life caution.svg
Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.
Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

Nenhum tratamento é necessário para o cisto aracnoide assintomático. Nos casos onde o tratamento é necessário, a terapia normalmente consiste na drenagem do cisto através de inserção cirúrgica de uma pequena válvula (shunt) para fornecer a passagem do fluido do cisto para um dos reservatórios de fluidos corporais. Isto reduz a pressão no cisto e pode prevenir a reincidência. Em alguns casos um procedimento cirúrgico mais invasivo pode ser necessário para diminuir o cisto aracnoide.

Se o espaço subaracnoíde ficar bloqueado por um cisto aracnoide, pode ser necessário colocar um shunt entre o ventrículo e o espaço entre as camadas da membrana que fica na cavidade do corpo (cavidade peritoneal). Isto irá liberar a obstrução e promoverá uma passagem adequada para o fluido cérebro-espinhal circular.

Se o cisto não está causando pressão no cérebro ou não existe sintomas, o tratamento normalmente não é necessário porque os cistos são benignos e nem sempre crescem. Novas ressonâncias podem ser necessárias para verificar se o cisto não esta crescendo.

Se o tratamento for necessário as opções são[editar | editar código-fonte]

  • Simples drenagem: o cisto pode ser drenado através de um buraco pequeno (burr hole). Isto é simples e seguro mas o cisto normalmente reaparece.
  • Craniotomia & Fenestração: esta é uma operação maior que consiste na abertura do crânio através da remoção do osso (craniotomia). A maior parte do cisto é removida, são criados pequenos canais (fenestrações) que ligam o cisto no espaço subaracnoíde, isso drena o líquido afim de evitar que o cisto cresça. Os riscos deste procedimento são maiores do que uma simples drenagem do cisto, mas o cisto tem menor chance de retornar.
  • Shunt cisto-peritoneal: um tubo plástico é inserido no cisto e canalizado embaixo da pele para a cavidade abdominal, onde o fluido do cisto é drenado. Ocasionalmente, a cavidade peitoral ou uma veia grande pode ser utilizada. Este procedimento é mais seguro que uma craniotomia, mas o shunt pode obstruir causando a recorrência do cisto.
  • DCP derivação cisto peritoneal: onde a maioria das cirurgias é feita por vídeo endoscopia, sem a necessidade de abrir a calota craneana, e é implantada uma válvula, que despeja o líquido dentro da barriga. É uma cirurgia mais simples, de riscos bem reduzidos, e que tem ótimos resultados. o que mais ocorre no pós cirurgia é hipotensão ou hipertensão liquórica, o que é resolvido trocando a válvula por uma de pressão inferior ou superior, ou até mesmo reprogramando as válvulas programavéis.

Observação[editar | editar código-fonte]

O procedimento escolhido depende da patologia do paciente, da aparência do cisto e sua localização.

O cisto aracnoide também pode estar associado a um hematoma subdural, pois as veias conectoras que atravessam o espaço subaracnoíde são longas e frágeis.

Quais testes eu necessito fazer?[editar | editar código-fonte]

Os cistos aracnoides são facilmente identificáveis em tomografias computadorizadas e ressonâncias magnéticas do crânio. Normalmente outros testes não são necessários, no entanto, um eletroencefalograma (EEG) pode ser necessário se você sofreu algum trauma. Uma tomografia e/ou uma ressonancia magnética irão mostrar se o cisto está pressionando o cérebro.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]