Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Colégio de Aplicação da UFRGS - Escola de Ensino Fundamental e Médio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ou simplesmente Colégio de Aplicação, é uma unidade de ensino não-universitário da UFRGS, responsável por desenvolver o ensino, a pesquisa e a extensão nos níves fundamental e médio de educação. Participa de diversas experiências, além da oferta de campo de estágio junto à universidade.

O Colégio de Aplicação foi e ainda é uma escola famosa pelo desenvolvimento de novas propostas pedagógicas, sendo pioneiro, no trabalho com classes experimentais, conselho de classe, conselho de classe participativo, professores especialistas nas disciplinas de Educação Física, Música e Línguas Estrangeiras nas séries iniciais, ensino por níveis de Língua Inglesa e também o oferecimento de Espanhol, Francês e Alemão como partes integrantes do currículo, implantação de laboratórios de ensino, desenvolvendo estudos especiais e atendimento às diferenças individuais, tendo em vista a recuperação e aceleração do ensino, opção por modalidades esportivas, projeto interdisciplinar em 5ª e 6ª séries do ensino fundamental, oferecimento de Artes, Teatro e Música em todas as séries da educação básica e outros projetos de pesquisa e extensão. O ensino de línguas estrangeiras no colégio tem parceria com o NELE ( núcleo de ensino de línguas estrangeiras da UFRGS)

Referências[editar | editar código-fonte]

http://www.ufrgs.br/colegiodeaplicacao/sobre/um-pouco-da-historia-do-colegio-de-aplicacao-da-ufrgs

Instalações[editar | editar código-fonte]

O Colégio de Aplicação encontra-se dentro do campus do vale da UFRGS, onde pode disfrutar da natureza exuberante presente no local, além de contar com toda infraestrutura oferecida pela universidade.

O colégio conta com três prédios de salas de aula para atender ao ensino infantil, fundamental e médio. Conta com uma biblioteca vinculada ao sistema de bibliotecas da UFRGS, que oferece livros dos mais variados assuntos e gêneros. O espaço conta com 2 campos de futebol, 3 quadras poliesportivas com iluminação, e sala de ginastica e dança, além de playground para alunos do ensino infantil.

Possui laboratórios de química, biologia, física, 3 laboratórios de informática, laboratórios de línguas estrangeiras e salas multimídia. O local conta também com espaços arborizados, onde os alunos podem ter mais contato com a natureza. O lugar oferece um amplo estacionamento, seguro e de fácil acesso.

História[editar | editar código-fonte]

A origem do CAp se reporta a um decreto federal de 1946, mas caracterizou-se em 1954, no esforço de mostrar sua teoria e prática por parte de um reduzido grupo de educadores decididos a aproveitar a possibilidade de ampliação de seu espaço de comprometimento com a formação pedagógica de um departamento da Faculdade de Filosofia. Com as finalidades de servir a prática docente de estagiários dos cursos de licenciatura da UFRGS, e de construir campo de investigação pedagógica para a Faculdade de Filosofia dessa Universidade, fundado pela professora Graciema Pacheco, o Colégio de Aplicação regido pelo decreto-lei número 9053 de 12/03/1946, pelo artigo 107 dos Estatutos da UFRGS e por seu próprio regimento, iniciou suas atividades, oficialmente, no dia 14/03/1954, ano em que a Faculdade de Filosofia veio a possuir prédio próprio. Embora contemplado com verbas próprias, o CAp ocupou, inicialmente quatro salas do prédio central da Faculdade de Filosofia, que também lhe colocou a disposição móveis, laboratórios e material didático. De 1954 a fins de 1955, o Ginásio (como era chamado o Colégio), funcionou em salas do prédio central da Faculdade. De 1956 a 1959, transferiu-se para um pavilhão, também da faculdade, contrução mista, adaptada para esse fim. No início do ano letivo de 1960, foi instalado em dois pavilhões de madeira, construídos mediante acordo entre a Universidade e a Prefeitura Municipal. A partir de 1971, o CAp passou a ocupar o prédio da Faculdade de Educação (FACED), e pela lei 62997, de 16/07/1968 determinava que o Colégio passava a pertencer à FACED, devendo formar o Centro de Educação Primária e Média. Enfim o Colégio, depois de fazer parte da FACED, conquistou território próprio, no Campus do Vale. E do novo Campus, os alunos do Colégio de Aplicação assistiram a um incêndio que destruiu o “velho colégio” do centro, incêndio esse, que também destruiu documentos importantes para a história do Colégio. A fundação do Colégio de Aplicação, se dá no meio de um clima de efervescência política, (vitória eleitoral do General Eurico Gaspar Dutra, crescimento de movimentos reivindicatórios, implantação do populismo, industrialização do país, e por fim, crise política e econômica) e segue dentro da proposta desenvolvimentista de JK. Além disso, é também responsável pela formação inicial (estágios) e continuada de professores. O Colégio constitui-se em um centro de investigação educacional que atende objetivos de um saber reflexivo consonante com as necessidades da sociedade em que está inserido. O ingresso no Colégio de Aplicação foi feito muitos anos por concurso, mas hoje em dia é feito por sorteio público.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre escolas ou colégios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.