Complemento nominal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde junho de 2013).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Complemento nominal é um termo integrante da oração que complementa o sentido de um nome, podendo referir-se a um substantivo, adjetivo ou advérbio, sempre por meio de uma preposição. Para ser caracterizado como complemento nominal, o termo preposicionado tem que estar ligado a um substantivo abstrato que seja o receptor, o alvo da ação.

Para reconhecer um complemento nominal, é necessário perguntar ao nome "de que?" ou "de quem?" se faz referência. A resposta obtida revela o complemento nominal.

Exemplos:

"Marcos tem orgulho de Marcella"

- Orgulho de quem?

- De Marcella (Complemento nominal);

"Faz tempo que não tenho notícia de Márcio "

- Notícia de quem?

- De Márcio. (Complemento nominal);

"Sou favorável à sua promoção"

- Favorável a quê?

- Á sua promoção. (Complemento nominal);

"Estou certo de que você está doente"

- Certo de quê?

- De que você está doente. (Complemento nominal);

O complemento nominal pode ser também uma oração subordinada substantiva completiva nominal, ou seja, que complemente o sentido de um substantivo, adjetivo ou advérbio de oração subordinante.

Exemplo: "Tenho esperança de que seus planos deem certo" - neste caso, a oração subordinada completa o sentido do substantivo esperança. Esse tipo de oração é sempre introduzida por uma preposição, clara ou subentendida (no exemplo, a preposição "de").

Distinção entre complemento nominal e adjunto adnominal[editar | editar código-fonte]

Para distinguir complemento nominal e o adjunto adnominal, deve-se levar em consideração quatro fatores:

1) Somente o complemento nominal pode ligar-se a adjetivos ou advérbios.

Exemplos:

Ele é perito (adjetivo) em cirurgia (complemento nominal).

Ela está longe (advérbio) da verdade (complemento nominal).

2) Somente o adjunto adnominal pode ligar-se a substantivos concretos.

Exemplos:

Recebi o livro (subst. concreto) de literatura (adj. adnominal).

Há homens (subst. concreto) sem responsabilidades (adj. adnominal).

3) Tanto o adjunto adnominal quanto o complemento nominal podem ligar-se a substantivos abstratos. Para distinguí-los, nestes casos, é necessário analisar se o termo preposicionado é alvo ou agente do ato. Se o termo estiver funcionando como alvo, destino da ação, será complemento nominal. Se o termo for o agente do fato, será adjunto adnominal.

Exemplos:

A resposta ao público (alvo da resposta - complemento nominal) foi satisfatória.

A resposta do patrão (emissor da resposta - adjunto adnominal) foi insatisfatória.

4) Somente o adjunto adnominal indica tipo, matéria, posse.

Exemplo:

Ele tem amor de mãe - indicativo do tipo de amor: materno. Neste caso, temos um adjunto adnominal.

Ele tem amor à mãe - à mãe é o alvo do amor. Neste caso, temos um complemento nominal.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Wikilivros
O wikilivro Português tem uma página sobre Complemento nominal

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas