Conflito intergeracional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O conflito intergeracional é um conflito que descreve discrepância culturais, sociais ou econômicas entre duas gerações, que pode ser causada por câmbios de valores ou conflitos de interesse entre gerações mais jovens e gerações mais idosas. Um exemplo são as mudanças no contrato intergeracional que podem ser necessários para absorver mudanças demográficas em uma sociedade, que está associado ao termo gap geracional.

Por vezes, é utilizado para descrever a situação de conflito que ocorre entre adolescentes e adultos ou um conflito mais abstrato entre duas gerações, que geralmente envolve preconceitos entre uma geração para a outra.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, o termo geralmente refere-se ao problema socioeconômico brasileiro decorrente da associação dos seguintes fatores: a deterioração da renda das famílias brasileiras com filhos pequenos em relação à famílias de idosos; as crescentes evidências de que os idosos aumentaram a responsabilidade pela provisão econômica de seus filhos adultos e netos; e o favorecimento dos gastos do governo federal aos idosos. O conflito entre gerações no Brasil é um dos temas centrais da discussão política no Brasil.

O viés intergeracional atualmente é que melhor representa o debate sobre a emergência de um conflito intergeracional, baseando-se no fato de que após as transferências governamentais, o nível de pobreza entre as crianças torna-se três vezes maior do que o presente nos grupo etário de idosos. Outras interpretações deste fenômeno sobre a natureza dos gastos sociais públicos no Brasil não corroboram esse viés. Nessa outra perspectiva, os altos níveis do gasto social com o sistema previdenciário revelam a fragilidade do sistema de proteção social brasileiro, que não conta com políticas públicas voltadas para a família que consigam atingir eficazmente a totalidade da população brasileira.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • CAMARANO, Ana A & PASINATO, Maria Tereza. O envelhecimento populacional na agenda das políticas públicas in CAMARANO, Ana Amélia, Os Novos Idosos Brasileiros, muito além dos 60? IPEA, Rio de Janeiro, setembro, 2004 (Caps 7 e 8).