Crítica da Filosofia do Direito de Hegel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Crítica da Filosofia do Direito de Hegel (em alemão: Zur Kritik der Hegelschen Rechtsphilosophie) é um manuscrito do filósofo político Karl Marx de 1843, publicado postumamente. Apenas a introdução — escrita por Marx entre dezembro de 1843 e janeiro de 1844 — foi publicada nos Anais Franco-Alemães nos dias 7 e 10 de fevereiro de 1844.[1]

No manuscrito, Marx discorre sobre o livro Princípios da Filosofia do Direito de Georg Wilhelm Friedrich Hegel, de 1820, parágrafo por parágrafo. Uma das maiores críticas de Marx a Hegel no documento é o fato de que muitos dos seus argumentos dialéticos iniciam-se com abstrações. Neste trabalho se encontra a famosa máxima sobre religião: " é o ópio do povo". [1] [2] Além disso, o texto contém formulações de Marx sobre a teoria da alienação, que, por sua vez, foi inspirada nos trabalhos de Ludwig Feuerbach.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.