Fran Drescher

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde agosto de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Fran Drescher
Fran Drescher no Vienna Life Ball em 2009.
Nome completo Francine Joy Drescher
Nascimento 30 de setembro de 1957 (57 anos)
Nova York,  Estados Unidos
Nacionalidade  Estados Unidos
Ocupação Atriz comediante, produtora, roteirista, diretora, autora, ativista, lobista política, cantora e compositora
Cônjuge Peter Marc Jacobson (1978 -1999)

Shiva Ayyadurai (2014 - presente)

Atividade 1977presente
Página oficial
IMDb: (inglês)

Francine Joy "Fran" Drescher (Nova York, 30 de setembro de 1957) é uma comediante, roteirista, produtora, autora, ativista, cantora e atriz norte-americana de televisão e cinema, célebre pelo papel principal do seriado de televisão The Nanny pelo qual foi indicada para dois Emmys e dois Golden Globe Awards (Globo de Ouro).

É famosa pela sua voz nasal, o sorriso de metralhadora e a pronúncia do bairro de Queens em Nova York.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Drescher nasceu em Flushing, Queens, Nova Iorque,[1] filha de Sylvia, uma consultora de noivas e Morty Drescher, analista de sistemas naval.

A sua família é de judeus asquenazitas de origem do sudeste da Europa Central (a sua bisavó nasceu em Focşani, Romênia). Ela tem uma irmã mais velha, Nadine.

Drescher foi vice-campeã do concurso "Miss New York adolescente" em 1973, como revelado em sua primeira obra e autobiografia Enter Whining, lançada em 29 de dezembro de 1995, e em sua entrevista por William Shatner - Raw Nerve, que estreou em 27 de Janeiro de 2009.

Freqüentou a Hillcrest High School in Jamaica, no bairro de Queens, onde ela conheceu o seu futuro marido, Peter Marc Jacobson, com quem ela casou em 1978, com 21 anos de idade. Eles se divorciaram em 1999. Jacobson foi um fervoroso incentivador da carreira Drescher em sua carreira no show-business, e ele escreveu, dirigiu e produziu a série de televisão The Nanny. Curiosamente, "Fran Fine", em The Nanny, tinha sido despedida de uma loja de artigos de noivas (como uma citação à sua mãe) antes de conseguir o emprego de babá.

Câncer[editar | editar código-fonte]

Após dois anos de sintomas e diagnósticos equivocados por oito médicos, Drescher foi internada no Hospital do Cedars-Sinai Medical Center, em Los Angeles, Califórnia, em 21 de junho de 2000, após os médicos a terem diagnosticada com câncer no útero. Ela teve que passar por uma histerectomia radical [retirada total do útero] imediata para tratar a doença. Desde então, Drescher teve um atestado de boa saúde e nenhum tratamento pós-operatório foi recomendado. Ela escreveu sobre as suas experiências em um segundo livro seu, Câncer Schmancer; o seu objetivo com este livro foi elevar a consciência das pessoas "para se tornarem mais consciente dos sinais de alerta precoce do câncer, e para capacitarem-se." Em 21 de junho de 2007, no sétimo aniversário da sua operação, Drescher fez o lançamento do movimento nacional do câncer Schmancer, uma organização sem fins lucrativos dedicada a garantir que o câncer em todas as mulheres seja diagnosticado enquanto na fase 1, a fase mais curável.

Drescher diz:

“ Temos de assumir o controle dos nossos corpos, nos tornar o maior parceiro dos nossos médicos e nos unirmos para que os nossos legisladores saibam que a votação feminina coletiva é mais expressiva e mais poderosa do que os lobistas corporativos mais ricos. ”

É reconhecida no registro do Congresso por seus esforços como um defensora da saúde sem rodeios. Em Washington ajudou a obter a aprovação unânime da lei HR1245 (também conhecido como Lei de Johanna).

Política[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2008, Drescher, como política Democrata, foi designada como diplomata pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos.

O seu título oficial é de "Enviada da diplomacia pública para problemas de saúde da mulher". Ao viajar por todo o mundo, ela apoiará os esforços da diplomacia pública dos E.U.A.s, incluindo o trabalho com as organizações de saúde e grupos de mulheres para aumentar a sensibilização para as questões de saúde das mulheres, a conscientização e detecção do câncer dos pacientes e trâmites advocatícios. A sua primeira viagem ocorreu no final de setembro e incluiu paradas na Romênia, Hungria, Kosovo e Polônia.

Em 2008, Drescher apoiou a senadora Hillary Rodham Clinton para presidente do Partido Democrata. Freqüentou um comício Super Democrata para Clinton. Drescher alegou ter sido convidada para uma corrida para o Congresso em 2008 para suceder Hillary Rodham Clinton, mas Kirsten Gillibrand foi nomeada pelo governador do Estado de Nova York, David Paterson para suceder Hillary depois dela ter sido indicada como Secretária de Estado.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Firestone, David (18 de setembro de 1994). For Queens, a Place in the Sun; Hollywood Is Suddenly Zooming In, With a Vengeance (em inglês) The New York Times. Visitado em 11 de agosto de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]