This Is Spinal Tap

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
This Is Spinal Tap
Isto É Spinal Tap (BR)
Estados Unidos Estados Unidos
1984 • cor • 82 min 
Direção Rob Reiner
Roteiro Rob Reiner
Christopher Guest
Michael McKean
Harry Shearer
Rob Reiner
Elenco Rob Reiner
Christopher Guest
Michael McKean
Harry Shearer
Rob Reiner
Fran Drescher
Bruno Kirby
Género comédia
pseudodocumentário
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

This Is Spinal Tap é um documentário sobre uma banda fictícia chamada Spinal Tap, dirigido por Rob Reiner e lançado em 1984. O filme satiriza o comportamento e as ambições musicais das bandas de hard rock e heavy metal da época, bem como as tendências hagiográficas dos documentários então produzidos.

Embora Rob Reiner e os três atores principais tenham sido creditados como os escritores do filme, grande parte foi filmada ad libitum, e muitas horas de gravação foram feitas antes que Rob editasse o filme. Um bootleg de quatro horas e meia de duração existe e tem sido negociado entre os fãs e colecionadores através dos anos.[1]

Os três principais membros do Spinal Tap — David St. Hubbins, Derek Smalls e Nigel Tufnel — são representados pelos atores Michael McKean, Harry Shearer e Christopher Guest, respectivamente. Os três atores de fato tocam os instrumentos e cantam durante o filme. Rob Reiner aparece como Marty DiBergi, que produz o documentário.

Por conter várias piadas relativas ao mundo da música e seus bastidores, é necessário um certo conhecimento deste ambiente para entender o humor do filme.

Personagens[editar | editar código-fonte]

David St. Hubbins[editar | editar código-fonte]

Nascido em 1943, é o vocalista e guitarrista-base do Spinal Tap, representado pelo ator Michael McKean, que improvisou o personagem no decorrer das filmagens. Seu sobrenome vem de um suposto santo chamado São Hubbins, "o santo protetor dos calçados de boa qualidade". Nasceu em Londres e foi vizinho do guitarrista Nigel Tufnel, o qual conheceu quando ambos tinham 7 e 8 anos de idade.

Após seu primeiro divórcio, David casou-se com sua namorada de infância, Jeanine Pettibone (representada pela atriz June Chadwick), e eles se mudaram para Pomona, na Califórnia, onde abriram duas boutiques. David credita Jeanine e seu amor pela astrologia por ter colocado sua vida "em ordem". Sua relação com Jeanine causou turbulências na banda, especialmente quando ela se tornou a produtora durante a turnê.

Nigel Tufnel[editar | editar código-fonte]

Nascido em 1945, é o guitarrista-solo do Spinal Tap, tendo sido representado pelo ator Christopher Guest. Um de seus passatempos é colecionar guitarras; particularmente notável é sua nunca-tocada Fender Bass VI de cor verde. Ele também tem uma Gibson Les Paul modelo '59, a qual ele adora por suas propriedades acústicas e seu "tampo em chamas". Ele também toca bandolim e piano. Ele diz estar compondo uma peça clássica em ré menor, que segundo ele é "o mais triste dos tons".

Nigel possui um amplificador Marshall que diz ser o segredo da banda tocar tão alto. Todos os controles deste amplificador têm a escala graduada até 11 — amplificadores normalmente têm os controles graduados de 0 a 10. "Mas este vai até 11" — explicou Nigel.

Derek Smalls[editar | editar código-fonte]

Nascido em 1941 em Nilford, é o baixista do Spinal Tap, representado pelo ator Harry Shearer. Seu pai, Donald "Duff" Smalls, foi dono de uma empresa de moderado sucesso, a Sani-Fone, que dedetizava aparelhos telefônicos. Derek entrou no Spinal Tap em 1967, após a saída do baixista Ronnie Pudding.

Gosta de fumar cachimbo e usa um pepino dentro da calça, posicionado na altura da virilha. Ele também é membro da banda cristã Lambsblood, que tocou no festival "Monsters of Jesus". Derek também estrelou uma série de comerciais de TV do salgadinho Floop, na Bélgica. Ele é um premiado jardineiro, tendo patenteado uma rosa totalmente preta, a Morta à Meia-Noite.

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme alcançou apenas um modesto sucesso em seu lançamento, principalmente porque grande parte da audiência não percebeu que o filme não era um documentário real. Comentários como "muito mal-filmado, arrumem um novo operador de câmera" surgiram. Entretanto, o filme teve enorme sucesso e tornou-se cult após ser lançado em vídeo.

Em 2002, o filme foi selecionado para preservação pelo Registro Nacional de Filmes dos Estados Unidos, por ser "culturalmente, historicamente ou esteticamente significante".

O filme aproximou-se bastante de alguns músicos. Robert Plant, Dee Snider e Ozzy Osbourne todos relataram que, como os Spinal Tap, eles já se perderam nos bastidores procurando o caminho do palco.[2] [3] O cantor Tom Waits disse ter chorado de rir ao ver o filme e Eddie Van Halen afirmou que, da primeira vez que viu o filme todos na sala riram, enquanto ele não viu graça nenhuma. "Tudo neste filme já aconteceu comigo" — disse Van Halen. Quando George Lynch do Dokken viu o filme, dizem que exclamou "somos nós, como eles fazem um filme sobre nós?"[4] No álbum White City: A Novel, de Pete Townshend (1985), a contracapa descreve Pete Fountain, um "famoso guitarrista" que visita White City, do ponto de vista de um velho amigo de infância. Quando Pete menciona um incidente onde seu baterista diz que "o caviar nos camarins tinha a viscosidade errada — para arremessar", o amigo comenta que "Spinal Tap é de fato uma história verdadeira".

Lars Ulrich disse numa entrevista coletiva que a turnê de 1992 do Metallica com o Guns N' Roses havia sido "tão Spinal Tap". Pouco tempo após a turnê ser iniciada James Hetfield do Metallica sofreu queimaduras de terceiro grau nos braços após se posicionar próximo a dispositivos de pirotecnia.

De acordo com uma entrevista de 1997 dada à revista Spin pelo guitarrista Brad Whitford, do Aerosmith, "da primeira vez que Steven Tyler viu o filme, ele não achou graça. Para que você veja quão próximo aquilo era. Ele ficou chateado! Para ele, aquilo não tinha graça nenhuma!"

Referências

  1. SpinalTapFan.com
  2. Notas de Symptom of the Universe, álbum do Black Sabbath
  3. Perguntas e respostas: Robert Plant
  4. Konow, David (2002). Bang Your Head. Three Rivers Press, 216-217.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • SpinalTapFan.com – site de fãs, com um extenso e detalhado guia
  • Spinal tap também aparecem num dos episódios dos simpsons da terceira temporada, " o show de Otto"