Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

O Grande Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa é um dicionário de língua portuguesa elaborado pelo lexicógrafo brasileiro Antônio Houaiss. A primeira edição foi lançada em 2001, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Antônio Houaiss.

O projeto de confecção do dicionário começou em 1985. Antônio Houaiss tinha a ambição de criar o mais completo dicionário de língua portuguesa já compilado. Dezesseis anos depois, o Dicionário Houaiss foi concluído, contando durante esse período com uma equipe de edição com mais de 150 especialistas brasileiros, portugueses, angolanos e timorenses.

Lançado em setembro de 2001, logo foi eleito "o mais completo dicionário brasileiro" pela revista Época, considerado "imbatível" pela revista Veja e consagrado como o grande lançamento editorial de 2001 pelo Caderno B e pela Revista de Domingo, do Jornal do Brasil, assim como pelos jornais O Globo, Estado de Minas e Jornal da Tarde.

O Dicionário Houaiss traz cerca de 228.500 verbetes, 376.500 acepções, 415.500 sinônimos, 26.400 antônimos e 57.000 palavras arcaicas. Além da quantidade de verbetes, a equipe de edição pesquisou também as etimologias de cada palavra e o seu primeiro registro no idioma português. O vocabulário do Dicionário Houaiss abrange a terminologia atual do setor tecnológico e científico, assim como nomenclaturas atualizadas no campo da zoologia, botânica e anatomia, e ainda expressões populares e termos específicos do português europeu, brasileiro, africano e asiático. No Brasil, o Dicionário Houaiss é um dos dicionários mais prestigiados, ao lado do Dicionário Aurélio, e dos mais vendidos, ao lado deste e do Dicionário Michaelis. Em 2002, surgiu uma versão adaptada do dicionário para o mercado de Portugal, onde o Dicionário tem vindo a tornar-se uma obra de referência importante também [carece de fontes?].

O Instituto Antônio Houaiss de Lexicografia editou também dicionários menores, como o Dicionário de Conjugação Verbal e o Dicionário de Sinônimos e Antônimos.

Em 2012, o Ministério Público Federal (MPF) ajuizou, no dia 22 de fevereiro uma ação civil pública contra a Editora Objetiva e o Instituto Antônio Houaiss, solicitando a imediata retirada de circulação, suspensão de tiragem, venda e distribuição das edições do Dicionário Houaiss, sob a alegação de que a publicação é discriminatória e preconceituosa em relação à etnia cigana.[1] [2] [3] [4] [5] [6] A palavra cigano tem no dicionário como um de seus significados “que ou aquele que trapaceia; velhaco, burlador” e “que ou aquele que faz barganha, que é apegado ao dinheiro; agiota, sovina”. Estes termos são expressos para uso da palavra cigano de forma pejorativa, ou seja, de forma depreciativa.[7] [8] [9] [10] [11]

Versão eletrônica[editar | editar código-fonte]

Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa
Desenvolvedor FL GAMA DESIGN Ltda
Editora Objetiva
Lançamento (versão 1.0)
Versão estável 2009.3 (15 de novembro de 2009; há 253 semanas)
Idioma(s) Português
Sistema operativo Windows
Gênero(s) Dicionários eletrônicos
Estado do desenvolvimento Corrente
Tamanho 37 MiB (CD)
Página oficial Página oficial
Versão Data Peculiaridade
1.0 2001
2.0 2005? Corrige diversos bugs, como o do artigo "3-D", que travava o programa
2.0a Abril de 2007
3.0 2009 Nova interface gráfica
Adequação ao Acordo Ortográfico
2009.3 (nova marcação) Novembro de 2009

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]