Helena de Troia (1956)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde julho de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Helen of Troy
Helena de Troia (PT)
Helena de Tróia (BR)
 Estados Unidos
1956 • cor • 118 min 
Direção Robert Wise
Roteiro Hugh Gray
John Twist
N. Richard Nash
Elenco Rossana Podestà
Stanley Baker
Cedric Hardwicke
Brigitte Bardot
Género épico
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Helena de Troia (Helen of Troy, no original em inglês) é um filme épico norte-americano de 1956, baseado na Ilíada, de Homero, dirigido por Robert Wise, com um elenco multinacional encabeçado pela italiana Rossana Podestà e com Stanley Baker, Sir Cedric Hardwicke e a então novata francesa Brigitte Bardot num pequeno papel. Foi filmado na Itália, nos estúdios da Cinecittà, em Roma.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Esse filme reconta, com algumas mudança em relação à história de Homero, a Guerra de Troia, travada pelos gregos contra o rei Páris, após este raptar a rainha de Esparta, Helena.

Páris de Troia (Jacques Sernas) viaja para Esparta para conseguir um tratado de paz entre as duas cidades-potências. Seu navio é forçado a voltar para Troia em meio a uma tempestade que o lança ao mar e nas costas de Esparta, onde é encontrado por Helena, a rainha, por quem se apaixona. Ele vai para o palácio real onde encontra o marido de Helena, o rei Menelau (Niall MacGinnis), Agamenon (Robert Douglas), Odisseu (Torin Thatcher), Aquiles (Baker) e muitos outros líderes gregos discutindo como fazer a guerra com Troia. Menelau vê que Helena e Paris estão apaixonados e, fingindo amizade ao rei troiano, planeja a sua morte.

Avisado por Helena, Páris foge de volta a Troia levando-a consigo. Os gregos se unem e cercam Troia com seus exércitos, clamando por sua rainha e por Páris, até que fica claro que tudo que desejam são os tesouros troianos e não Helena. A vitória acaba sendo grega através da famosa armadilha do Cavalo de Troia. Quando tentam fugir, Helena e Paris são cercados por Menelau que é enfrentado em duelo por Páris, que vence o combate mas é esfaqueado pelas costas à traição. Helena é forçada a voltar a Esparte com Menelau, mas sabendo dentro de si que algum dia se reunirá a ele.

Crítica[editar | editar código-fonte]

O roteiro adaptado do filme provocou polêmica na época de seu lançamento, pelas mudanças feitas na história original de Homero, mostrando Páris como um herói e líder e os lordes gregos como saqueadores oportunistas e traidores, que usaram a busca por Helena como desculpa para se apossar dos tesouros de Troia.