ISO 29110

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

ISO/IEC 29110:Normas e Relatórios Técnicos de Perfis de Ciclo de Vida de Software e Guias para Micro-organizações são direcionadas para VSE (Very Small Entity). Uma VSE ou micro-organização, na tradução dada para o português, é uma empresa, departamento, organização ou projeto com até 25 pessoas. A ISO/IEC 29110 é uma nova série de normas internacionais intitulada "Software Engineering — Lifecycle Profiles for Very Small Entities (VSEs)". Essas normas foram desenvolvidas pelo grupo de trabalho WG24 do subcomitê SC7 do JTC1 (Joint Technical Committee 1) da ISO/IEC International Organization for Standardization and the International Electrotechnical Commission.

O Brasil adota a série ISO/IEC 29110 e em fevereiro de 2012 a ABNT publicou três partes da série Engenharia de Software – Perfis de ciclo de vida para micro-organizações (VSEs):

  • a Parte 2, ABNT NBR ISO/IEC 29110-2:2012, que estabelece a estrutura e taxonomia da série;
  • a Parte 4-1, ABNT NBR ISO/IEC 29110 4 1:2012, que apresenta as especificações de perfil para o Grupo Perfil Genérico, e
  • a parte 5-1-2, ABNT ISO/IEC TR 29110-5-1-2:2012, um guia de engenharia e gestão.

A necessidade de normas leves na Engenharia de Software[editar | editar código-fonte]

A indústria reconhece o valor das VSEs e a sua contribuição para o desenvolvimento de produtos e serviços de valor. Elas também desenvolvem e/ou mantêm produtos de software que são usados em sistemas maiores, portanto o reconhecimento das VSEs como fornecedoras de software de alta qualidade é, muitas vezes, exigido.

Segundo o relatório Small and Medium Enterprise - (SME) Outlook Report, 2005 [1] SME and Entrepreneurship Outlook report (2005), as Pequenas e Médias Empresas (PME) constituem a forma dominante de organização empresarial em todos os países no mundo, representando mais de 95% e, em alguns casos, até 99% da população de empresas, conforme o país. O desafio para os governos da OCDE é fornecer um ambiente de negócios que apoie a competitividade das empresas desta grande população heterogênea e que promova uma cultura empresarial pujante.


Alguns estudos e pesquisas realizados ([2] [3] ), tornam evidente que a maioria das normas internacionais não atende às necessidades de VSEs. Alcançar conformidade com essas normas é difícil, senão impossível, dando às VSEs nenhuma forma, ou formas muito limitadas, de reconhecimento como entidades que produzem software de qualidade em suas áreas de domínios. Assim, as VSEs muitas vezes tem restrição de acesso a algumas atividades econômicas e a alguns mercados([4] [5] ). Os documentos da série 29110 são baseados em subconjuntos apropriados de elementos das normas de referência e são referidos como Perfis VSE. O propósito de um perfil VSE é definir um subconjunto das normas internacionais relevantes para o contexto das VSEs, por exemplo, processos e resultados da ABNT NBR ISO/IEC 12207 e produtos da ISO/IEC 15289. A série ABNT NBR ISO/IEC 29110 foi desenvolvida para melhorar a qualidade dos produtos de software obtidos pela execução dos processos durante o ciclo de vida de desenvolvimento de software. A tabela 1 abaixo apresenta as partes principais da série e o público-alvo ao qual se destinam. A ISO/IEC 29110 não privilegia o uso de nenhum dos diferentes ciclos da vida e pode ser adotada por quaisquer deles, tais como: cascata, iterativo, incremental, evolutivo ou ágil.

Tabela 1 - ISO/IEC 29110 Por Público-alvo
ISO/IEC 29110 Title Público-alvo
Parte 1 Visão Geral (Overview) VSEs, avaliadores, produtores de normas, vendedores de ferramentas e de metodologias.
Parte 2 Estrutura e Taxonomia Produtores de normas, vendedores de ferramentas e de metodologias.
Parte 3 Guia de Avaliação Avaliadores e VSEs.
Parte 4 Especificações dos Perfis Produtores de normas, vendedores de ferramentas e de metodologias.
Parte 5 Guia de Gestão e Engenharia VSEs

Perfis[editar | editar código-fonte]

Embora a característica principal das entidades visadas pela ISO/IEC 29110 seja o tamanho, existem outros aspectos e características de VSEs que podem afetar a elaboração ou seleção do perfil, tais como: modelos de negócio (contratação, comercial, desenvolvimento in-house, etc), fatores situacionais (como criticidade, incerteza ambiental, etc), e níveis de risco. Criar um perfil para cada combinação possível de valores das várias dimensões apresentadas acima resultaria em um conjunto incontrolável de perfis. Assim, os perfis VSE são agrupados de modo a que possa ser aplicado a mais de uma categoria. Grupos de Perfis são um conjunto de perfis que estão relacionados quer pela composição dos processos (isto é, atividades, tarefas), ou pelo nível de capacidade, ou ambos.


Normas e Relatórios Técnicos Publicados[editar | editar código-fonte]

A lista a seguir descreve a série ISO/IEC 29110 e posiciona suas partes no framework de referência.

  • A ISO/IEC TR 29110-1 [6] define os termos comuns de mercado para o conjunto de documentos do perfil VSE. Ela introduz conceitos de processos, ciclo de vida e normalização e a série ISO/IEC 29110. Ela também apresenta as características e requisitos de uma VSE e esclarece as razões para perfis, documentos, normas e guias específicos para VSE.
  • A ISO/IEC 29110-2 [7] introduz os conceitos de perfis normalizados de engenharia de software para VSEs e define os termos comuns ao conjunto de documentos de perfil VSE. Ela estabelece a lógica por trás da definição e aplicação de perfis padronizados. Ela especifica os elementos comuns a todos os perfis normalizados (estrutura, conformidade, avaliação) e introduz a taxonomia (catálogo) de perfis ISO/IEC 29110.
  • A ISO/IEC TR 29110-3 [8] define as orientações do processo de avaliação e requisitos de conformidade necessários para atender a finalidade dos perfis VSE definidos. A ISO/IEC TR 29110-3 também contém informações que podem ser úteis para os desenvolvedores de métodos de avaliação e instrumentos de avaliação. A ISO/IEC TR 29110-3 é dirigida a pessoas que têm relação direta com o processo de avaliação, por exemplo, o avaliador e o patrocinador da avaliação, que necessitam de orientação para assegurar que os requisitos para a realização de uma avaliação foram cumpridos [9] .
  • A ISO/IEC 29110-4-1 fornece a especificação para todos os perfis do Grupo Perfil Genérico. O Grupo Perfil Genérico é aplicável a VSEs que não desenvolvem produtos de software críticos. Os perfis são baseados em subconjuntos de elementos apropriados das normas. Os Perfis VSE aplicam-se e são direcionados para os autores e provedores de guias, ferramentas e materiais de apoio.
  • A ISO/IEC 29110-5-m-n fornece um guia de gestão e engenharia para implementação do perfil VSE descrito na norma ABNT NBR ISO/IEC 29110-4-m.

O Perfil Básico descreve o desenvolvimento de software de uma única aplicação por uma equipe única de projeto, sem nenhum risco especial ou fatores situacionais.


Pacotes de implementação (Deployment Packages)[editar | editar código-fonte]

Um pacote de implementação (DP) é um conjunto de artefatos desenvolvidos para facilitar a implementação de um conjunto de práticas, do framework selecionado, em uma VSE. Os pacotes de implantação, descritos abaixo, foram desenvolvidos para ajudar a implementar os processos do Grupo Perfil Genérico. O Grupo Perfil Genérico é aplicável às VSEs que não desenvolvem software crítico. O Grupo Perfil Genérico é composto por 4 perfis: Entrada, Básico, Intermediário e Avançado. O Grupo Perfil Genérico não implica qualquer domínio de aplicação específico. O conteúdo de um pacote de implementação típico está listado na tabela 2. O mapeamento a normas e modelos é dado como informação para mostrar que um Pacote de Implementação tem ligações explícitas com a parte 5 e com as normas ISO selecionadas, tais como a ISO/IEC 12207, ou modelos como o CMMI do Software Engineering Institute. Ao implantar um pacote de implementação, uma VSE pode ver o seu passo concreto para alcançar ou demonstrar a aderência à ISO/IEC 29110 Parte 5. Os Pacotes de Implementação são concebidos de tal modo que uma VSE pode implementar o seu conteúdo, sem ter de aplicar o framework completo ao mesmo tempo.

Tabela 2. Conteúdo de um Pacote de Implementação (Deployment Package) (ISO/IEC 29110-5-1-2) (ISO/IEC 29110-5-1-2)
1. Descrição Técnica
         Propósito deste documento
         Por que este tópico é importante?
2. Definições
3. Relações com a ISO/IEC 29110
4. Visão geral de Processos, Atividades, Tarefas, Papéis e Produtos
5. Descrição de Processos, Atividades, Tarefas, Passos, Papéis e Produtos
         Descrição de Papel
         Descrição de Produto
         Descrição de Artefato
6. Modelo (Template)
7. Exemplo
8. Checklist
9. Ferramenta (Tool)
10. Referências a outras Normas e Modelos (p.ex. ISO 9001, ISO/IEC 12207, CMMI®)
11. Referências
12. Formulário de Avaliação

O Perfil Básico descreve o desenvolvimento de software de uma única aplicação por uma equipe única de projeto, sem nenhum risco especial ou fatores situacionais. O conjunto de DPs para o Perfil Básico é ilustrado na figura 1 a seguir.

Figura 1. Pacotes de Implementação (Deployment Packages) para apoiar o Perfil Básico

Alguns Deployment Packages, bem como outros materiais de apoio, como um plug-in, estão disponíveis sem custo na Internet.

Status[editar | editar código-fonte]

Veja também[editar | editar código-fonte]

  • ISO/IEC 12207, Engenharia de sistemas e software - Processos de ciclo de vida de software.
  • [ISO/IEC 15289, Systems and software engineering - Content of systems and software life cycle process information products (Documentation)
  • Sites - NetCenter's - Rede de Cooperação para apoio às VSE (Em português):
  • Sites - NetCenter's - Rede de Cooperação para apoio às VSE (Em inglês):

* Sites - NetCenter's - Rede de Cooperação para apoio às VSE (Em francês):


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Oecd Organisation for Economic Co-operation and Development (OECD), Small and Medium Enterprise (SME) Outlook Report, 2005
  2. Land, S. K., Results of the IEEE Survey of Software Engineering Standards Users. Software Engineering Standards Symposium and Forum, 1997. Emerging International Standards. ISESS 97, Walnut Creek, CA, June 1–6, pp. 242 – 270, 1997.
  3. Laporte, C.Y., Alexandre, S., O’Connor, R., A Software Engineering Lifecycle Standard for Very Small Enterprise, in R.V. O’Connor et al. (Eds.): EuroSPI 2008, CCIS 16, pp. 129–141
  4. Habra, N., Alexandre, S., Desharnais, J-M, Laporte, C.Y., Renault, A., Initiating Software Process Improvement in Very Small Enterprises Experience with a Light Assessment Tool, Information and Software Technology, Volume 50, June 2008, Pages 763-771. (Draft Version)
  5. O'Connor, R., Sanders, M., Software Lifecycle Standards for Very Small Software Companies, Software and Systems Quality Conference, Dublin, Ireland, March 4, 2009.
  6. ISO/IEC TR 29110-1, “Software Engineering - Lifecycle Profiles for Very Small Entities (VSEs) - Part 1: Overview”. Geneva: International Organization for Standardization (ISO), 2011.
  7. ISO/IEC 29110-2:2011 Software Engineering - Lifecycle Profiles for Very Small Entities (VSEs) - Part 2: Framework and taxonomy, Geneva: International Organization for Standardization (ISO), 2011.
  8. ISO/IEC TR 29110-3, “Software Engineering - Lifecycle Profiles for Very Small Entities (VSEs) - Part 3: Assessment Guide”. Geneva: International Organization for Standardization (ISO), 2011.
  9. Varkoi, T., Makinen, T., A Process Model for Very Small Software Entities, SPICE conference, 18–20 May 2010 - Pisa, Italy

Predefinição:ISO standards