Igor Markevitch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Igor Markevitch (em ucraniano: Ігор Маркевич; Kiev, 9 de agosto de 1912 - Antibes, 7 de março de 1983) foi um compositor e maestro ucraniano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Markevich nasceu em Kiev, filho do pianista Boris Markevich e Zoya Pokitonov. Mudou-se com sua família para Paris em 1914, e para a Suíça em 1916. No ano de 1926 retornou para Paris, graças a Alfred Cortot, que descobriu suas habilidades musicais, lá ele treinou composição e piano no École Normale, onde estudou sob os ensinamentos de Cortor e Nadia Boulanger. Ele ganhou reconhecimento em 1929 quando foi descoberto por Serge Diaghilev.

Markevich fez sua estréia como maestro aos dezoito anos de idade com a Orquestra Real do Concertgebouw. Como maestro, foi muito respeitado interpretando músicas do repertório francês e russo do século XX. Em 1965 começou a trabalhar com a Orquestra da Rádio e Televisão Espanhola.

Seu irmão foi Dmitri Markevitch, um célebre musicólogo e violoncelista. Sua primeira esposa Kyra Nijinska, filha do dançarino de balé Vaslav Nijinsky; tiveram um filho, Vaslav. Sua segunda esposa foi Donna Topazia Caetani, a única filha de Don Michelangelo Caetani dei Duchi di Sermoneta e de Nobile Cora Maria Antinori. O filho gerado nessa união é Oleg Caetani, atual maestro da Orquestra Sinfônica de Melbourne.

Composições[editar | editar código-fonte]

  • Noces – suite for piano (1925)
  • Sinfonietta in F major (1928-9)
  • Piano Concerto (1929)* Cantate for soprano, male chorus & orchestra (1929-30) (text by Jean Cocteau)
  • Concerto Grosso (1930)* Partita for piano and small orchestra (1930-31)
  • Serenade for violin, clarinet and bassoon (1931)* Rébus – ballet (1931)
  • Cinéma-Ouverture (1931)
  • L’Envol d’Icare – ballet (1932); recomposed as Icare (1943)
  • Hymnes for orchestra (1932-33) (revised version 1980 with ad lib contralto and extra movement orchestrated from no. 3 of Trois poèmes of 1935)
  • Petite suite d’apres Schumann for small orchestra (1933)
  • Psaume for soprano and small orchestra (1933)
  • Le paradis perdu, oratorio (1934-35) (texto de Markevitch baseado em John Milton)
  • Trois poèmes for high voice and piano (1935) (textos de Cocteau, Platão, Goethe); No.3 orchestrated 1936 as Hymne à la mort, incorporated 1980 into Hymnes for orchestra
  • Cantique d’amour for orchestra (1936)
  • Le novel âge, sinfonia concertante for orchestra with 2 pianos (1937)
  • La Taille de l’homme – 'concert inachevée' for soprano and 12 instruments (1938-39, unfinished, but Part I complete and performable)
  • Stefan le poète – 'impressions d’enfance' pour piano (1939-40)
  • Lorenzo il magnifico, sinfonia concertante for soprano and orchestra (1940) (texts by Lorenzo de Medici)
  • Variations, Fugue et Envoi on a Theme of Handel for piano (1941)
  • Le Bleu Danube, valse de concert on themes by Johann Strauss (1944)
  • 6 Songs of Mussorgsky arranged for voice and orchestra (1945)
  • The Musical Offering by JS Bach arranged for triple orchestra (1949-50)

Referências[editar | editar código-fonte]

  • 'Igor Markevitch: A Chronology', Tempo 133/4, p. 10.
  • 'Icare' by Clive Bennett in Tempo No. 133/134 (September 1980), p. 45.
  • "Igor Markevitch Biography". Naxos Records. http://www.naxos.com/composerinfo/665.htm. Retrieved on 2007-09-07.
  • Bennett, 1980, p. 4.* Galop for 8 (or 9) players (1932)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]