Jack Goody

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jack Goody
Dados gerais
Nome de nascimento John (Jack) Rankine Goody
Nacionalidade  Reino Unido
Nascimento 27 de julho de 1919
Local Reino Unido
Instituições Universidade de Cambridge

Sir John (Jack) Rankine Goody (nascido em 27 de julho de 1919) é um cientista social e antropólogo britânico e professor da Universidade de Cambridge, foi eleito membro da Academia Britânica em 1976 e é da Academia Nacional de Ciências dos EUA.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 27 de julho de 1919, cresceu em Welwyn Garden City e St Albans, onde fez os primeiros anos estudatis. Em 1938 foi para Cambridge estudar Inglês e Literatura, aí conhecendo vários intelectuais de esquerda, como Eric Hobsbawm.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Jack Goody, lutou no norte da Africa e posteriormente foi capturado pelos alemães e foi feito prisioneiro durante três anos. Fez estudos baseados em Golden Bough, James Frazer e Gordon Childe.

Na vida acadêmica voltou-se para a Arqueologia e Antropologia. Entre 1954 e 1984, lecionou antropologia social na Universidade de Cambridge, servindo como professor de Antropologia Social de 1973 até 1984. Em 1976 foi eleito para a Academia Britânica, posteriormente foi nomeado Cavaleiro do Império Britânico pela rainha Elisabeth II. No âmbito da antropologia Goody centrou trabalhos sobre as condições causais e os efeitos da escrita na tecnologia. Ele também escreveu substancialmente sobre a história da família e da antropologia da herança, antropologia de flores e alimentos.

Críticas ao eurocentrismo[editar | editar código-fonte]

Recentemente Goody tem escrito sobre temas que dão rediscussão as ideologias de sustentação ao eurocentrismo, apontado reiterpretações na cultura européia como, por exemplo, no livro O Roubo da história. [1]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Religião e Ritual: O problema de definição
  • Culinária Cozinha e Classe: Um Estudo Comparativo em Sociologia
  • Lógica da Escrita e a Organização da Sociedade
  • O Desenvolvimento da Família e Casamento na Europa
  • Alfabetização nas sociedades tradicionais
  • A domesticação do pensamento selvagem
  • A Cultura das Flores
  • Culinária, cozinha e classe
  • O caráter de parentesco
  • O Oriente no Ocidente
  • A interface entre o escrito e o oral
  • As consequências do letramento
  • A Família Europeia: Um Ensaio Histórico-antropológico
  • O mito do Bagre
  • Representações e contradições: ambivalência em relação Imagens, Teatro, Ficções, relíquias e Sexualidade
  • Alfabetização nas sociedades tradicionais
  • Oriente, o antigo e o primitivo: Sistemas de Casamento e a Família nas sociedades pré-industriais da Eurásia
  • Capitalismo e modernidade: o grande debate
  • O Roubo da história

Referências