Joana Beaufort, rainha da Escócia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Joana Beaufort
Rainha dos Escoceses
JoanBeaufortandJames.jpg
Joana Beaufort com o seu marido
Governo
Consorte Jaime I da Escócia
João Stewart, o Cavaleiro Negro de Lorn
Vida
Nascimento 1404
Morte 15 de julho de 1445 (41 anos)
Filhos Margarida
Isabel
Leonor
Maria
Joana
Jaime II
Alexandre
Anabela
Pai João Beaufort, 1.º Conde de Somerset
Mãe Margarida Holland

Joana Beaufort (c. 1404 - 15 de Julho de 1445) foi Rainha-consorte da Escócia de 1424 a 1437 como esposa do rei Jaime I da Escócia. Enquanto o seu filho Jaime II não atingiu a maioridade, Joana foi, de 1437 a 1439, Regente da Escócia.

Origens[editar | editar código-fonte]

Joana era filha de João Beaufort, 1.º Conde de Somerset e da sua esposa, Margarida Holland sendo assim sobrinha do rei Henrique IV de Inglaterra. Joana recebeu o nome em honra da sua tia Joana Beaufort, Condessa de Westmorland. Jaime I da Escócia apaixonou-se por ela durante o período em que esteve prisioneiro em Inglaterra. Diz-se que foi ela a inspiração para o longo poema "The Kingis Quair" que Jaime escreveu quando estava preso.

Joana casou-se com Jaime I no dia 2 de Fevereiro de 1424 na Catedral de Southwark, pouco antes de Jaime ser coroado formalmente. O casal foi festejado no Palácio de Winchester pelo tio dela, o Cardeal Henrique Beaufort. Nesse ano Joana acompanhou o seu marido no seu regresso à Escócia. Quando Jaime recebeu as juras de lealdade dos seus súbditos, exigiu que o mesmo juramento fosse prestado à sua esposa, como se ela fosse a sua co-monarca.

Juntos tiveram oito filhos, incluindo o futuro rei Jaime II da Escócia e a Princesa Margarida da Escócia, esposa do rei Luís XI de França.

Regência[editar | editar código-fonte]

Após o assassinato de Jaime I em 1437, Joana passou a ser regente do seu filho. Ela própria tinha sido um alvo dos assassinos do marido, mas escapou ferida do local do crime, assumiu a custódia do seu filho e declarou a regência. A ideia de ter o país governado por uma inglesa não foi popular e por isso Archibald Douglas foi proclamado co-regente. Joana ordenou que o lado da família Stewart descendente de Roberto II fosse executado por serem eles os responsáveis pelo assassinato de Jaime e proteger também a sua posição e a do filho. Foi regente durante dois anos.

Referências[editar | editar código-fonte]