Maria de Guise

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Maria de Guise
Rainha da Escócia
Maryofguise1.jpg
Governo
Reinado 12 de junho de 153814 de dezembro de 1542
Coroação 22 de fevereiro de 1540
Consorte Jaime V
Casa Real Guise
Vida
Nascimento 22 de novembro de 1515
Bar-le-Duc, Lorena, França
Morte 10 de junho de 1560 (44 anos)
Edimburgo, Midlothian, Escócia
Sepultamento Reims, Champagne, França
Filhos com Jaime V
Jaime
Artur Roberto
Maria I
com Luís II de Orleães
Francisco
Luís
Pai Cláudio I da Lorena, duque de Guise
Mãe Antonieta de Bourbon

Maria de Guise ou Maria de Guise-Lorena ou ainda Maria de Lorena (22 de Novembro de 1515 - 11 de Junho de 1560) foi Rainha Consorte da Escócia, através do casamento com Jaime V da Escócia e mãe de Maria Stuart.

Maria era filha de Cláudio de Lorena, famoso militar, primeiro Duque de Guise, e de Antonieta de Bourbon, filha de Francisco, Conde de Vendôme.

O primeiro casamento de Maria foi com Luís de Orleães, Duque de Longueville, que morreu em 1537. O seu casamento com o Rei da Escócia destinou-se a solidificar a aliança dos escoceses com a França. O casamento enfureceu o rei da Inglaterra Henrique VIII, que havia incluído a francesa em sua lista de eventuais noivas. Conta-se que declarava que era grande e como tal precisava de uma muher grande - e que Maria, ouvindo o comentário, teria replicado que sua estatura era alta mas seu pescoço estreito, referindo-se ao destino de Ana Bolena.

Teve do rei da Escócia dois filhos mortos na infância e depois Maria Stuart, que se tornou Rainha. Assim, foi Rainha consorte em 1538-1542 e regente de 1554 a 1560.

Enviuvando, Maria de Guise lutou pelo poder contra James Hamilton, 2º Conde de Arran (c. 1517-1575), regente de sua filha. Entre 1554 e a data de sua morte ela foi Regente, e o período ficou marcado pelas rebeliões protestantes contra a influência católica, francesa, na corte escocesa.

A morte do Rei Jaime V deu a Henrique VIII uma oportunidade que há muito ansiava. Maria, a herdeira menina, rainha da Escócia, tinha como parente mais próximo o rei da Inglaterra, seu tio-avô, pois era irmão de sua avó Margarida Tudor. Ele próprio tinha um filho em idade de casar, e a pequena Rainha foi comprometida então com o Príncipe de Gales. Repetia-se, quase identicamente, a situação ocorrida quando da morte do rei da Escócia Alexandre III. A reação escocesa foi imediata: o Parlamento denunciou o tratado com a Inglaterra (tratados de Greenwich). Henrique enviou tropas contra a Escócia com instruções para matar, queimar, pilhar. A agressão só serviu para aproximar mais ainda a Escócia da França. Em 1548 Maria de Guise obteve o noivado da filha com o Delfim, filho de Francisco I. Conseguiu a renúncia de Arran e substituiu-o como regente, em 1554. Começou a perseguir os protestantes em 1559, que se rebelaram; intervieram França e Inglaterra, e a luta só terminou quando da morte de Maria.

Na ficção[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Madalena de Valois
Rainha da Escócia
12 de junho de 153814 de dezembro de 1542
Sucedida por:
Francisco de Valois