Maria de Guise

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde agosto de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Maria de Guise
Rainha da Escócia
Maryofguise1.jpg
Governo
Reinado 12 de junho de 153814 de dezembro de 1542
Coroação 22 de fevereiro de 1540
Consorte Jaime V
Casa Real Guise
Vida
Nascimento 22 de novembro de 1515
Bar-le-Duc, Lorena, França
Morte 10 de junho de 1560 (44 anos)
Edimburgo, Midlothian, Escócia
Sepultamento Reims, Champagne, França
Filhos com Jaime V
Jaime
Artur Roberto
Maria I
com Luís II de Orleães
Francisco
Luís
Pai Cláudio I da Lorena, duque de Guise
Mãe Antonieta de Bourbon

Maria de Guise ou Maria de Guise-Lorena ou ainda Maria de Lorena (22 de Novembro de 1515 - 11 de Junho de 1560) foi Rainha Consorte da Escócia, através do casamento com Jaime V da Escócia e mãe de Maria Stuart.

Maria era filha de Cláudio de Lorena, famoso militar, primeiro Duque de Guise, e de Antonieta de Bourbon, filha de Francisco, Conde de Vendôme.

O primeiro casamento de Maria foi com Luís de Orleães, Duque de Longueville, que morreu em 1537. O seu casamento com o Rei da Escócia destinou-se a solidificar a aliança dos escoceses com a França. O casamento enfureceu o rei da Inglaterra Henrique VIII, que havia incluído a francesa em sua lista de eventuais noivas. Conta-se que declarava que era grande e como tal precisava de uma muher grande - e que Maria, ouvindo o comentário, teria replicado que sua estatura era alta mas seu pescoço estreito, referindo-se ao destino de Ana Bolena.

Teve do rei da Escócia dois filhos mortos na infância e depois Maria Stuart, que se tornou Rainha. Assim, foi Rainha consorte em 1538-1542 e regente de 1554 a 1560.

Enviuvando, Maria de Guise lutou pelo poder contra James Hamilton, 2º Conde de Arran (c. 1517-1575), regente de sua filha. Entre 1554 e a data de sua morte ela foi Regente, e o período ficou marcado pelas rebeliões protestantes contra a influência católica, francesa, na corte escocesa.

A morte do Rei Jaime V deu a Henrique VIII uma oportunidade que há muito ansiava. Maria, a herdeira menina, rainha da Escócia, tinha como parente mais próximo o rei da Inglaterra, seu tio-avô, pois era irmão de sua avó Margarida Tudor. Ele próprio tinha um filho em idade de casar, e a pequena Rainha foi comprometida então com o Príncipe de Gales. Repetia-se, quase identicamente, a situação ocorrida quando da morte do rei da Escócia Alexandre III. A reação escocesa foi imediata: o Parlamento denunciou o tratado com a Inglaterra (tratados de Greenwich). Henrique enviou tropas contra a Escócia com instruções para matar, queimar, pilhar. A agressão só serviu para aproximar mais ainda a Escócia da França. Em 1548 Maria de Guise obteve o noivado da filha com o Delfim, filho de Francisco I. Conseguiu a renúncia de Arran e substituiu-o como regente, em 1554. Começou a perseguir os protestantes em 1559, que se rebelaram; intervieram França e Inglaterra, e a luta só terminou quando da morte de Maria.

Na ficção[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Madalena de Valois
Rainha da Escócia
12 de junho de 153814 de dezembro de 1542
Sucedida por:
Francisco de Valois