Mantenópolis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Município de Mantenópolis
"Cidade da Paz"
Bandeira de Mantenópolis
Brasão de Mantenópolis
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 7 de janeiro
Fundação 7 de janeiro de 1954
Gentílico mantenopolitano
Prefeito(a) Maurício Santos (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Mantenópolis
Localização de Mantenópolis no Espírito Santo
Mantenópolis está localizado em: Brasil
Mantenópolis
Localização de Mantenópolis no Brasil
18° 51' 46" S 41° 07' 22" O18° 51' 46" S 41° 07' 22" O
Unidade federativa  Espírito Santo
Mesorregião Noroeste Espírito-santense IBGE/2008[1]
Microrregião Barra de São Francisco IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes São João do Manteninha, Mantena, Central de Minas, Conselheiro Pena, Cuparaque, Barra de São Francisco, Águia Branca, Pancas e Alto Rio Novo.
Distância até a capital 251 km
Características geográficas
Área 320,750 km² [2]
População 13 600 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 42,4 hab./km²
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,657 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 73 030,645 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 6 246,21 IBGE/2008[5]
Página oficial

Mantenópolis, conhecida como "cidade da paz", é um município brasileiro do estado do Espírito Santo. Sua população estimada em 2004 era de 11.311 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

A partir de 1920 os migrantes começaram a chegar na região de Mantenópolis, onde somente havia florestas, não havia estradas, as casas foram feitas de pau a pique, as comidas eram canjica de milho, verduras, carne de porco e frango, não havia comércio na região, e quando necessitavam de açúcar e sal tinham que andar a pé ou de animal até Resplendor ou Conselheiro Pena-MG, esse trajeto demorava entre 4 a 5 dias, essas trilhas eram feitas por voluntários que organizavam mutirões que de dois em dois anos recebiam ferramentas doadas pelos políticos e fazendeiros que alimentavam esses participantes dos mutirões. Enfrentaram várias doenças como: sarampo varicela, caxumba, febre amarela, cólera, febre tifóide e o tratador da região eram o Sr. Custódio Reis Marques natural de Mutum-MG.

As festas eram realizadas em um destacamento policial localizado na propriedade de Joaquim Costa (hoje Alonso Rosa Pinheiro), ali aconteciam casamentos, festas de aniversários e outras, esse local foi construído também o primeiro cemitério. Na época houve muitas discórdias pela demarcação dos limites de estados, o que veio acontecer somente em 1938.

A sede do município teve sua origem firmada no insucesso da cidade de Ametista, naquela época, pertencente à zona litigiosa e que, após a criação, foi vítima de uma grande enchente do Rio São Mateus, pois fora construído às suas margens.

Devido ao drástico acontecimento que praticamente destruiu Ametista, surgiu a proposta de a cidade ser criada em outro local. Após uma reunião de grandes lideranças, na época, decidiu-se que o local ideal para a nova cidade seria a região que é hoje ocupada pelo município de Mantenópolis.

A palavra Mantenópolis, que hoje dá nome a esse município do estado do Espírito Santo, teve sua origem na existência de um córrego que atravessa a região e que se chama córrego do Manteninha. Havia uma povoação próxima ao córrego com o nome de Mantena (hoje, um município mineiro) e acrescentou-se a ela a terminação “Polis”, que significa cidade, daí o nome Mantenópolis.

Em 1940 esta localidade ainda pertencia ao município de Barra de São Francisco, e era visitada, periodicamente pelo Tenente Floriano Lopes Rubim.

A região, por estar na época vivenciando o contestado, existia dois policiamento, um do Espírito Santo e outro de Minas de Gerais, e também recebia-se a visita de dois padres, um do Espírito Santo e outro Minas Gerais.

Em 1948, graças ao pedido do Tenente Floriano Lopes Rubim, foi criado e instalado o patrimônio de Mantenópolis, em obediência a Lei n° 1711, artigos 49 e 53, confirmado em 11 de agosto de 1948, integrando-se ao município de Barra de São Francisco.

Em 29 de dezembro de 1953, foi criado o município de Mantenópolis, desmembrando de Barra de São Francisco o seu território, em obediência ao que dispões a Lei n° 779, que acatou o pedido dos habitantes que aqui residiam.

Em 7 de janeiro de 1954, foi instalada a cidade de Mantenópolis, que desde a sua criação, foi dirigida pelo Dr. Edísio da Costa Cisnes, tendo este, cometido o suicídio.

Em 3 de outubro do corrente ano ocorreu a eleição do primeiro prefeito de Mantenópolis, o Sr. Vicente Amaro da Silva.

Em 1955 destaca-se a posse do primeiro prefeito eleito, Vicente Amaro da Silva e a posse da primeira Câmara de Vereadores do município.

No dia 25 de agosto de 1955, às 15:00 horas, ocorreu à solenidade relativa à instalação da Comarca de Mantenópolis, de acordo com a Lei n° 926 de 8 de julho de 1955, com sua publicação no Diário Oficial do Estado no dia 16 de julho de 1955, graças à iniciativa do Tenente e Deputado Floriano Lopes Rubim, tendo como seu primeiro juiz, o Dr. Vitor Hugo Cupertino de Castro e seu primeiro Promotor de Justiça, o Dr. Paulo Alves.

Distritos[editar | editar código-fonte]

O município conta com três distritos: São Geraldo, São José de Mantenópolis e Santa Luzia de Mantenópolis

Esporte e Turismo[editar | editar código-fonte]

Mantenópolis é o mais novo destaque do voo livre no estado.

Descoberto por pilotos da Associação de Voo Livre de Pancas, a cidade vem se destacando na atividade esportiva e atraindo voadores do estado e do mundo. No dia 25 de fevereiro estiveram voando no céu de Mantenópolis um grupo de Franceses. O município de Mantenópolis possui uma área de 38.500 hectares, sendo que 5,98% deste total é coberto por remanescentes da Mata Atlântica. Sua privilegiada morfologia revela um grande potencial para o desenvolvimento de atividades ligadas à natureza e de esportes de aventura como caminhadas ecológicas, motocross, voo livre, pesca esportiva, práticas turísticas no Rio São José e nas cachoeiras, entre outros. A atual administração municipal busca fomentar também o turismo rural, recuperando as fazendas antigas e integrando o visitante ao dia-a-dia da vida no campo, onde poderá experimentar a comida caseira, saborear as frutas colhidas na hora e muito mais.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 31 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 de dezembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Espírito Santo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.