Morten Soubak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Morten Soubak
Informações pessoais
Nome completo Morten Soubak
Data de nasc. 4 de agosto de 1964 (50 anos)
Local de nasc. Fodby, Dinamarca
Informações profissionais
Clube atual Brasil Seleção Brasileira
Áustria Hypo Niederösterreich
Times/Equipas que treinou
2000–2001
2002–2003
2003–2004
2005–2009
2009–
2013–4
Dinamarca GOG/Gudme
Dinamarca Seleção Dinamarquesa (Base)
Dinamarca FCK Håndbold
Brasil Pinheiros
Brasil Seleção Brasileira
Áustria Hypo Niederösterreich

Morten Soubak (4 de agosto de 1964, Fodby) é um técnico dinamarquês de handebol.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Entre 1992 e 1995 Soubak trabalhou na Cruz Vermelha, organizando esportes para refugiados da Guerra Civil Iugoslava em sua fuga para a Dinamarca, e ao chegar na Escandinávia, redirecioná-los para treinar em clubes esportivos locais. A experiência fez de Soubak um especialista em handebol.[1]

Em 1995, quando Soubak trabalhava nas divisões de base do FC Kobenhavn, conheceu o técnico Marcos Garcia, de uma equipe de Osasco, que fazia estágios no handebol dinamarquês. O nórdico revelou que toparia vir trabalhar no Brasil -[2] país que conhecera dois anos antes e o qual se apaixonou, em especial pela Bahia, que visita praticamente todo ano -[3] e foi trazido para treinar o time de Osasco no Ginásio Geodésico. Suportou por seis meses os problemas de infraestrutura e a falta de recursos, e voltou para a Dinamarca.[2] Dirigiu duas equipes da Liga Dinamarquesa, o GOG e o FC Kopenhagen, sem muito sucesso. Em seguida virou comentarista de handebol da TV2 entre 2000 e 2005, se tornando conhecido no país.[4] No meio-tempo, dirigiu o time feminino GOG / GUDME entre 2001 e 2002, a Seleção Juvenil Masculina da Dinamarca entre 2002 e 2003, e em 2004, a equipe feminina FCK Kobenhavn, onde conheceu a goleira brasileira Chana Masson.[5]

Eventualmente, Soubak voltou para o Brasil em 2005 para treinar o time masculino do Esporte Clube Pinheiros.[1] Ficou três anos no comando da equipe, guiando o Pinheiros para títulos da Liga Nacional, da Copa do Brasil, do Campeonato Paulista e dos Jogos Abertos do Interior. O sucesso fez a Confederação Brasileira de Handebol chamar Soubak para ser técnico da Seleção Brasileira de Handebol Feminino em 2009.[5] Sob Soubak, as brasileiras tiveram sua fase mais próspera, ganhando o Campeonato Mundial de Handebol Feminino de 2013 e os Jogos Pan-Americanos de 2011, e chegando às quartas de final do Mundial de 2011 e as Olimpíadas de 2012.[6] [5]

Entre 2013 e 2014, morou na Áustria para treinar o Hypo Niederösterreich, time com muitas jogadoras brasileiras.[7] [8] É casado com uma brasileira e tem um filho.[3]

Referências