Morten Soubak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Morten Soubak
Informações pessoais
Nome completo Morten Soubak
Data de nasc. 4 de agosto de 1964 (49 anos)
Local de nasc. Fodby, Dinamarca
Informações profissionais
Clube atual Brasil Seleção Brasileira
Áustria Hypo Niederösterreich
Times que treinou
2000–2001
2002–2003
2003–2004
2005–2009
2009–
2013–
Dinamarca GOG/Gudme
Dinamarca Seleção Dinamarquesa (Base)
Dinamarca FCK Håndbold
Brasil Pinheiros
Brasil Seleção Brasileira
Áustria Hypo Niederösterreich

Morten Soubak (4 de agosto de 1964, Fodby) é um técnico dinamarquês de handebol.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Entre 1992 e 1995 Soubak trabalhou na Cruz Vermelha, organizando esportes para refugiados da Guerra Civil Iugoslava em sua fuga para a Dinamarca, e ao chegar na Escandinávia, redirecioná-los para treinar em clubes esportivos locais. A experiência fez de Soubak um especialista em handebol.[1]

Em 1995, quando Soubak trabalhava nas divisões de base do FC Kobenhavn, conheceu o técnico Marcos Garcia, de uma equipe de Osasco, que fazia estágios no handebol dinamarquês. O nórdico revelou que toparia vir trabalhar no Brasil -[2] país que conhecera dois anos antes e o qual se apaixonou, em especial pela Bahia, que visita praticamente todo ano -[3] e foi trazido para treinar o time de Osasco no Ginásio Geodésico. Suportou por seis meses os problemas de infraestrutura e a falta de recursos, e voltou para a Dinamarca.[2] Dirigiu duas equipes da Liga Dinamarquesa, o GOG e o FC Kopenhagen, sem muito sucesso. Em seguida virou comentarista de handebol da TV2 entre 2000 e 2005, se tornando conhecido no país.[4] No meio-tempo, dirigiu o time feminino GOG / GUDME entre 2001 e 2002, a Seleção Juvenil Masculina da Dinamarca entre 2002 e 2003, e em 2004, a equipe feminina FCK Kobenhavn, onde conheceu a goleira brasileira Chana Masson.[5]

Eventualmente, Soubak voltou para o Brasil em 2005 para treinar o time masculino do Esporte Clube Pinheiros.[1] Ficou três anos no comando da equipe, guiando o Pinheiros para títulos da Liga Nacional, da Copa do Brasil, do Campeonato Paulista e dos Jogos Abertos do Interior. O sucesso fez a Confederação Brasileira de Handebol chamar Soubak para ser técnico da Seleção Brasileira de Handebol Feminino em 2009.[5] Sob Soubak, as brasileiras tiveram sua fase mais próspera, ganhando o Campeonato Mundial de Handebol Feminino de 2013 e os Jogos Pan-Americanos de 2011, e chegando às quartas de final do Mundial de 2011 e as Olimpíadas de 2012.[6] [5]

Desde 2013, mora na Áustria, onde treina o Hypo Niederösterreich, time com muitas jogadoras brasileiras.[7] É casado com uma brasileira e tem um filho.[3]

Referências