Orgulho e Preconceito (1940)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pride and Prejudice
Orgulho e Preconceito (PT/BR)
 Estados Unidos
1940 • P&B • 117 min 
Realização 26 de julho de 1940
Direção Robert Z. Leonard
Produção Hunt Stromberg
Roteiro Jane Austen
Aldous Huxley
Helen Jerome
Jane Murfin
Elenco Laurence Olivier
Greer Garson
Maureen O'Sullivan
Edna May Oliver
Mary Boland
Edmund Gwenn
Género drama
Idioma inglês
Música Herbert Stothart
Cinematografia Karl Freund
Edição Robert Kern
Distribuição Metro-Goldwyn-Mayer
Página no IMDb (em inglês)

Orgulho e Preconceito (em inglês: Pride and Prejudice) é um filme estadunidense de 1940, do gênero drama, dirigido por Robert Z. Leonard, e com roteiro baseado no livro homônimo de Jane Austen. Lançado nos Estados Unidos da América em 26 de julho de 1940, o filme teve entre seus roteiristas Aldous Huxley. O roteiro utilizou a adaptação teatral feita por Helen Jerome sobre o livro de Jane Austen, e segue relativamente o romance, porém o final, em especial a confrontação entre Lady DeBourgh e Elizabeth Bennet, foi alterado.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Mrs. Bennet (Mary Boland) e suas duas filhas mais velhas, Jane (Maureen O'Sullivan) e Elizabeth (Greer Garson), estão comprando novos vestidos, quando vêem dois cavalheiros e uma dama chegarem em uma rica carruagem. Elas descobrem que os homens são Mr. Bingley (Bruce Lester), que alugara a propriedade de Netherfield, e Mr. Darcy (Laurence Olivier), um poderoso cavalheiro que excitou Mrs. Bennet, ansiosa para conseguir um bom casamento para suas filhas. Após voltarem para casa, Mrs. Bennet tenta conseguir um encontro entre Mr. Bennet e Mr. Bingley, mas ele recusa.

Por ocasião de um baile, Elizabeth é rejeitada para dançar, por Mr. Darcy, e conhece Mr. Wickham, que conta a Elizabeth que Mr. Darcy o prejudicou. Quando Mr. Darcy pergunta a ela se quer dançar, ela recusa, mas quando Mr. Wickham a convida, em presença de Darcy, ela aceita.

O primo dos Bennets, Mr. Collins (Melville Cooper), chega procurando por uma esposa, e decide-se por Elizabeth. O comportamento da mãe e das jovens irmãs de Elizabeth, no baile, distanciam-na ainda mais de Darcy. No dia seguinte, Mr. Collins pede Elizabeth em casamento, mas ela recusa, e o primo firma compromisso com sua melhor amiga, Charlotte Lucas (Karen Morley).

Elizabeth visita Charlotte em sua nova casa, e através dela conhece Lady Catherine de Bourgh (Edna May Oliver), e também encontra novamente Mr. Darcy. Ele a pede em casamento, mas ela recusa, devido à história contada por Wickham e pelo fato de ele ter influenciado no fim do relacionamento entre Mr. Bingley e Jane.

Quando Elizabeth volta a Longborn, ela descobre que Lydia fugiu com Wickham. Mr. Darcy a visita e conta que Wickham nunca casará com Lydia, revelando que ele tentou fugir com sua irmã de 15 anos, Georgiana. Elizabeth compreende que está apaixonada por Darcy, mas acredita que ele jamais ficará com ela, devido ao ato de Lydia. Lydia e Wickham voltam para casa casados.

Posteriormente, Lady Catherine visita e revela que Mr. Darcy encontrou Lydia e forçou Wickham a casar com ela. Darcy volta, e declara seu amor a Elizabeth, que o aceita. O filme termina com um longo beijo entre Elizabeth e Darcy, com Mrs. Bennet os observando.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Laurence Olivier em Pride and Prejudice (1940).

Crítica[editar | editar código-fonte]

O filme foi bem recebido pela crítica. Bosley Crowther, em 9 de agosto de 1940 o descreveu no New York Times como "the most deliciously pert comedy of old manners, the most crisp and crackling satire in costume that we in this corner can remember ever having seen on the screen." Crowther também elogiou os atores centrais, "Greer Garson como Elizabeth e Laurence Olivier como Darcy.[1]

Alguns aficionados pelo romance original de Jane Austen não aprovaram as divergências entre o filme e o romance, em especial no tocante ao comportamento de Darcy e Lady Catherine de Bourgh, e acharam o filme excessivamente "Hollywoodizado". Houve críticas ao vestuário, mais ao estilo dos anos 1820 e 1830 do que da época em que o romance ocorreu, no período da Regência.

Premiações[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. New York Times
  2. NY Times: Pride and Prejudice NY Times. Visitado em 2008-12-12.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]