Pacto Colonial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Pacto colonial, ou Exclusivo comercial metropolitano, é um sistema de leis e normas que as metrópoles impunham às suas colônias durante o período colonial, estas leis tinham como objetivo principal fazer com que as colônias só comprassem e vendessem produtos de sua metrópole [1] .

O pacto colonial inclui obediência política, ou seja, as leis a serem obedecidas deviam ser as mesmas leis (ou adaptadas) da metrópole correspondente à colônia. O objetivo das autoridades reais era garantir que as atividades econômicas da colônia gerassem lucros para a metrópole (países que se beneficiavam de pequenos territórios, as Colônias).

Países da Europa que possuíam colônias na América, mantinham o monopólio da importação das matérias-primas mais lucrativas dessas possessões, bem como da exportação de bens de consumo para as respectivas colônias.

O pacto colonial limitava as atividades econômicas da elite colonial. Por um lado, os colonos só podiam vender sua produção a comerciantes legalizados pelas metrópoles, o que não garantia bons preços a eles. Por outro lado, a proibição de instalação de manufaturas nas colônias na América impedia a elite colonial de investir em outro setor de produção que não fosse o agrário.

Resumindo, pacto colonial é o conjunto de regras que regem o relacionamento entre as Metrópoles e suas colônias.

Brasil[editar | editar código-fonte]

Por ser uma colônia, o Brasil estava submetido ao pacto colonial português, que seria a colônia (Brasil) negociar diretamente apenas com a metrópole (Portugal) sem a interferência do mercado externo [2] .

O pacto colonial português iniciou-se com a exploração do Pau-brasil, o rei de Portugal, à época Dom Sebastião, não demorou a declarar a exploração do pau-brasil monopólio da Metrópole. Ninguém poderia retirar pau-brasil sem permissão da coroa portuguesa e o pagamento de tributos [3] .

O fim do pacto colonial só ocorreu em 1808, com a vinda da família real para o Brasil. Logo depois de aportar, Dom João, Príncipe Regente, fez a Abertura dos portos, onde as nações amigas vieram ao Brasil mudando as providências econômicas [2] .

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. SUAPESQUISA, site. Vinda da família real portuguesa ao Brasil: fim do Pacto Colonial.
  2. a b RAMOS, Patrícia. ESTUDAR HISTÓRIA, Das origens do homem à era digital. 8º ano. Pág 172
  3. INFOESCOLA, site. Pacto Colonial.