Pasporta Servo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2012).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Esperanto flag
Tópico sobre Esperanto
Esse artigo faz parte da série em desenvolvimento Esperanto
Gramática
Esperanto | Gramática | Alfabeto | Ortografia | Vocabulário | Correlativos | Preposições | Advérbios | Conjunções | Afixos | Pronomes | Signuno
História
História | Zamenhof | "Unua Libro" | Declaração de Boulogne | "Fundamento" | Manifesto de Praga | Discursos de Zamenhof
Cultura
Cultura | Esperantistas | Esperantujo | Cinema | Internacia Televido | La Espero | Bibliotecas | Literatura | Música | Falantes nativos | Cultura pop | Publicações | Símbolos | Dia de Zamenhof| Internacia Junulara Kongreso
Organizações e serviços
Amikeca Reto | Academia de Esperanto | Kurso de Esperanto | Pasporta Servo | TEJO | UEA
Críticas
Esperantido | Valor propedêutico | Reformas | Iĉismo | Esperanto X Ido | Interlingua | Novial
Wikimedia
Portal | Vikipedio | Vikivortaro | Vikicitaro | Vikifonto | Vikilibroj | Vikikomunejo | Vikispecoj
editar

Pasporta Servo é um importante serviço em esperanto que consiste numa rede internacional de hospedagem. O serviço baseia-se na edição anual de um livreto contendo endereços de pessoas de vários países dispostas a hospedar viajantes esperantófonos de graça. A edição de 2006 contém 1320 endereços de 92 países.

Os anfitriões voluntários exprimem no livreto quantos hóspedes e por quantas noites eles aceitam, podendo incluir comentários sobre seus interesses, desejos e condições (por exemplo, "família de artistas", "quero conversar sobre política internacional", "não fumantes", "jovens são especialmente bem-vindos", etc.). Enquanto os anfitriões aproveitam a oportunidade de ter por perto pessoas de diversas culturas, os hóspedes aproveitam a hospedagem fácil e a chance de conhecer mais de perto, através de uma língua-ponte fácil, a cultura do local visitado, em contraposição a hospedagens em hotéis uniformizados globalmente. Freqüentemente, os anfitriões se oferecem a ajudar os hóspedes com transporte, alimentação, instruções, etc., embora o objetivo básico do serviço seja apenas a hospedagem.

Mapa que indica onde há anfitriões do Pasporta Servo (2005)

A edição é realizada anualmente pela Organização Mundial da Juventude Esperantista (TEJO), sendo provavelmente o produto mais popular no meio esperantista, talvez após o Plena Ilustrita Vortaro.

Embora a idéia de oferecer estadia para viajantes remonte a datas remotas, sua aplicação entre esperantófonos começou em 1966 por iniciativa do argentino Ruben Feldman-Gonzalez, através do Programo Pasporto. O Pasporta Servo apareceu na forma atual em 1974, sob organização da francesa Jeanne-Marie Cash.

O serviço é razão para que muitas pessoas aprendam e tenham aprendido esperanto.

Outras páginas[editar | editar código-fonte]