Ortografia do esperanto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portal A Wikipédia possui o portal:


A ortografia do esperanto se caracteriza por cada letra corresponder a um fonema, e cada som ser representado por uma letra.

Isso facilita a leitura e a escrita, pois, obviamente, pode-se escrever corretamente uma palavra usando a memória auditiva, e pronunciá-la corretamente sem ter que lidar com exceções e irregularidades; o que é muito desejável para uma ortografia.

Esperanto flag
Tópico sobre esperanto
Esse artigo faz parte da série em desenvolvimento Esperanto-Gramática
Gramática
Esperanto | Gramática | Alfabeto | Ortografia | Vocabulário | Correlativos | Preposições | Conjunções | Afixos
História
História | Zamenhof | Esperanto Arcaico | "Unua Libro" | Declaração de Boulogne | "Fundamento" | Manifesto de Praga
Cultura
Cultura | Esperantistas | Esperantujo | Cinema | Internacia Televido | La Espero | Bibliotecas | Literatura | Música | Falantes nativos | Cultura pop | Publicações | Símbolos | Dia de Zamenhof
Organizações e serviços
Amikeca Reto | Akademio de Esperanto | Kurso de Esperanto | Pasporta Servo | TEJO | UEA | Ĝangalo
Críticas
Esperantido | Valor propedêutico | Reformas | Riismo | Iĉismo | Esperanto X Ido | Interlingua | Novial
Wikimedia
Portal | Vikipedio | Vikivortaro | Vikicitaro | Vikifonto | Vikilibroj | Vikikomunejo | Vikispecoj
editar

Alfabeto[editar | editar código-fonte]

O alfabeto do esperanto é composto de 28 letras baseado no alfabeto latino. Vinte e duas letras são idênticas às do português, apenas q, w, x e y foram omitidas. Existem também seis letras com diacríticos: ĉ, ĝ, ĥ, ĵ, ŝ, e ŭ (que são c, g, h, j, e s circunflexo, e u breve).

O esperanto tem as seguintes letras:


Esperanta alfabeto
A B C Ĉ D E F
G Ĝ H Ĥ I J Ĵ
K L M N O P R
S Ŝ T U Ŭ V Z

(Maiúsculas)

Esperanta alfabeto
a b c ĉ d e f
g ĝ h ĥ i j ĵ
k l m n o p r
s ŝ t u ŭ v z

(Minúsculas)

Pronúncia[editar | editar código-fonte]

Cada letra representa um fonema, e cada fonema é representado por uma letra. As vogais não são nasalizadas em momento algum.

A pronúncia das letras é a mesma que a pronúncia do português para as seguintes letras: B, F, K, P, U, V, Z. As demais letras têm os seguintes sons:

  • A: deve ser pronunciada abertamente, nunca nasalizada, mesmo quando vem antes de m ou n. Exemplo: a palavra "amo" (amor) pronuncia-se como á-mo, não como ãmo. "Esperanto" pronuncia-se: Es-pe-rá-nn-to, não como Es-pe-rãn-to.
  • C: pronuncia-se como "ts". exemplo: "paco" (paz) se pronuncia: patso/patço.
  • D: com as vogais a, e, o, u, não há problemas, mas os brasileiros devem tomar cuidado ao pronunciar "di", pois não se deve pronunciar como "dji", e sim como o "di" pronunciado em Portugal ou no Rio Grande do Norte.
  • E: não é aberto como em "é"; prefere-se o som fechado como "ê", mas segundo Zamenhof, o som deve ser médio.
  • G: é sempre como em "guerra", "gato", "gosto", e nunca como em "gente" (para esse som, usa-se Ĵ).
  • H: é sempre aspirado levemente, como na palavra inglesa "house". No Brasil, costuma-se chamar este som de "RR", mas leia a seção sobre o Ĥ, para aprender a diferença entre H e Ĥ.
  • J e I: j é um "i" semivogal. Exemplo: "kaj" (que significa a conjunção "e") se pronuncia "kai"; a letra esperantista "I" equivale ao "i" português: a palavra "balai" se pronuncia "ba-la-i", um hiato, e não um ditongo.
  • L: no Brasil é pronunciado algumas vezes como "u", ex: "papel". Já em esperanto, deve-se pronunciar o L sempre com o mesmo som de L.
  • M e N: não nasalizam as vogais, para pronunciar o M, deve-se falar o som da vogal, e fechar a boca bruscamente, para o n deve-se pronunciar a vogal e levar a língua até a parte interior dos dentes superiores. M e N têm sons diferentes entre si mesmo no fim das palavras: Kiam (quando) é diferente de Kian (kia + acusativo).
  • O: assim como o E e o A, deve ser pronunciado de uma única forma (não alternar entre "ô" e "ó"). Portanto, é costume ensinar que a pronúncia é sempre "ô" no Brasil.
  • R: é sempre dental, nunca gutural, ou seja: deve-se pronunciar "tremido"; para isso, deve-se levar a ponta da língua até a parte interior dos dentes superiores e com um sopro de ar vibrá-la, tanto antes como depois de vogal, ou em dígrafos como pr, br, kr, etc. "Brazilo" se pronuncia exatamente como um falante de português leria. Deve-se tomar cuidado para não estender ou encurtar essa vibração - ela deve ser média.
  • S: sempre como "ç/ss", mesmo no fim das sílabas, nunca como "z".
  • T: em "ti" nunca pronunciar "tchi", como é costume na maior parte do Brasil.
  • Letras especiais do esperanto:
    • Ĉ: pronuncia-se como "TCH" na palavra "tchau" ou em "tcheco" ou, ainda, em "atchim!".
    • Ĝ: pronuncia-se como "DJ" como na palavra inglesa "John", ou como na palavra "aDJetivo", em português mesmo.
    • Ĥ: um h fortemente aspirado, é uma fricativa velar surda, pouco usado no esperanto, tendendo a ser substituído por K. Assim como no caso do H, brasileiros geralmente identificam este som como "RR", a diferença entre o H e o Ĥ é que o ponto de articulação do Ĥ é o mesmo do K, enquanto que o H assemelha-se mais a um suspiro.
    • Ĵ: igual ao J do português.
    • Ŝ: pronuncia-se como "CH" na palavra "chave", por exemplo.
    • Ŭ: um "u" semivogal, "Eŭropo" (Europa) se pronuncia: Eu-ro-po, se escrevermos Europo, ler-se-ia: E-u-ro-po.


Tabela resumida de pronúncia:

Minúsculas Maiúsculas Pronúncia AFI Pronúncia SAMPA Exemplos
a A /a/ /a/ árvore
b B /b/ /b/ bola
c C /ts/ /ts/ tsunami
ĉ Ĉ /tʃ/ /tS/ atchim
d D /d/ /d/ damasco
e E /e/ ou /ɛ/ /e/ ou /E/ português
f F /f/ /f/ filho
g G /g/ /g/ gato
ĝ Ĝ /dʒ/ /dZ/ adjectivo
h H /h/ /h/ home (do inglês)
ĥ Ĥ /x/ /x/ jueves (do espanhol)
i I /i/ /i/ ideia
j J /j/ /j/ comboio
ĵ Ĵ /ʒ/ /Z/ João
k K /k/ /k/ casa
l L /l/ /l/ leão
m M /m/ /m/ amor
n N /n/ /n/ nuvem
o O /o/ /o/ ovo
p P /p/ /p/ pátria
r R /r/ ou /ʁ/ /r/ ou /R/ cores
s S /s/ /s/ sapo
ŝ Ŝ /ʃ/ /S/ xá
t T /t/ /t/ todos
u U /u/ /u/ uva
ŭ Ŭ /w/ /w/ Europa
v V /v/ /v/ vale
z Z /z/ /z/ zangão


O Sistema X[editar | editar código-fonte]

É comum estarmos em situações onde não podemos escrever as letras ĉ, ĝ, ĥ, ĵ, ŝ, ŭ, por falta de tipografia adequada. Podemos substituir, então, as letras especiais por cx, gx, hx, jx, sx, e ux quando não pudermos usar a tipografia tradicional do esperanto; esse sistema é chamado de "sistema x". Quando uma página da Wikipédia em esperanto estiver sendo editada, o x que segue as letras é automaticamente substituído pelo "acento" das letras especiais.

  • serĉi → sercxi
  • manĝi → mangxi
  • ĥirurgio → hxirurgio
  • ĵurnalo → jxurnalo
  • ŝuo → sxuo
  • malgraŭ → malgraux

Obviamente é desejável usar a tipografia original do esperanto, por ser muito mais fácil de ler e compreender. O sistema x pode causar uma certa perda estética nos textos que o usam; exemplo: "Sxangxigxi" (modificar-se) e Ŝanĝiĝi. Além disso, essa letra não consta no próprio alfabeto do Esperanto, contrariamente à letra "H-h" e, na escrita, sói aduzir-se mais bela a mesma ortografia.

O Sistema H[editar | editar código-fonte]

O sistema h funciona do mesmo modo, e nas mesmas circunstâncias que o sistema x, mas usando o h. Esse sistema foi proposto pelo próprio Zamenhof, e era o mais popular no começo da história e difusão do esperanto. Atualmente, o que se observa é o maior uso do sistema x. Um detalhe do sistema h é a não substituição do caractere ŭ por uh, tanto por questões estéticas, quanto por questões de ambigüidade. Considerando que a letra ŭ é usada quase sempre apenas nos ditongos e , não é difícil identificar a pronúncia correta.

  • serĉi → serchi
  • manĝi → manghi
  • ĥirurgio → hhirurgio
  • ĵurnalo → jhurnalo
  • ŝuo → shuo
  • malgraŭ → malgrau

Unicode[editar | editar código-fonte]

O sistema Unicode resolveu, nos ambientes virtuais, os problemas com o uso da tipografia do esperanto. Em unicode, cada símbolo recebe um número que o representa, esse número não varia quanto a plataforma, software ou formato, mantendo assim a padronização desejada. O Unicode engloba uma grande quantidade de línguas, permitindo, por exemplo, escrever num mesmo texto letras do esperanto, do grego, do japonês e do português. Tal funcionalidade não era possível com a solução anterior, o Latin-3. A tabela dos códigos que representam os caracteres especiais do esperanto é:

Códigos Unicode (em decimal) das letras específicas do esperanto
Ĉ 264 ĉ 265
Ĝ 284 ĝ 285
Ĥ 292 ĥ 293
Ĵ 308 ĵ 309
Ŝ 348 ŝ 349
Ŭ 364 ŭ 365

Linux[editar | editar código-fonte]

Em sistemas Linux , as dificuldades de configuração dependem se a versão do seu aplicativo é mais nova ou velha. Isso acontece pelo fato de que em sistemas antigos pode ser necessário habilitar o Unicode definindo o locale poro UTF-8. Existe disponível um locale especial eo.XX.UTF-8 na página de Bertil Wennergren, junto com uma explicação de como habilitar ambos em sistemas Linux.

Se o sistema Linux é recente, ou está atualizado, então é provável que o sistema já esteja preparado para trabalhar com telado em Esperanto. Para o X11 e KDE, é só necessário mudar para um layout que tenha dead keys latinas (o ABNT já as possui por padrão).

Mapeamento padrão X11 para teclas em Esperanto
Tecla / Leiaute US International ABNT2 Português (PT)
ĉ shift-6 c shift-~ c shift-~ c
Ĉ shift-6 shift-c shift-~ shift-c shift-~ shift-c
ĝ shift-6 g shift-~ g shift-~ g
Ĝ shift-6 shift-g shift-~ shift-g shift-~ shift-g
ĥ shift-6 h shift-~ h shift-~ h
Ĥ shift-6 shift-h shift-~ shift-h shift-~ shift-h
ĵ shift-6 j shift-~ j shift-~ j
Ĵ shift-6 shift-j shift-~ shift-j shift-~ shift-j
ŝ shift-6 s shift-~ s shift-~ s
Ŝ shift-6 shift-s shift-~ shift-s shift-~ shift-s
ŭ altgr-shift-9 u shift-~ u altgr-shift-~ u
Ŭ altgr-shift-9 shift-u shift-~ u altgr-shift-~ shift+u