A

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A
Alfabeto latino básico
  Aa Bb Cc Dd  
Ee Ff Gg Hh Ii Jj
Kk Ll Mm Nn Oo Pp
Qq Rr Ss Tt Uu Vv
  Ww Xx Yy Zz  

A letra A é a primeira letra do alfabeto latino, sendo também, com algumas variações de forma, a primeira letra e primeira vogal dos alfabetos de escrita fonética, à exceção do alfabeto etíope.

História[editar | editar código-fonte]

A letra "A" (ou suas equivalentes) é a primeira letra em quase todo os alfabetos do mundo, com exceção do mongol, tibetano, etíope e outros menos conhecidos. A forma do "A" encontra aparentemente sua origem num hieróglifo (pictografia) egípcio simbolizando uma águia (ahom) na escrita hierática cursiva. Os fenícios renomearam a letra aleph (boi/touro), a partir de semelhança imaginada com a cabeça e os chifres deste animal. No alfabeto grego mais antigo, aleph passa a ser a letra alpha. Em seguida, ela se tornou o A romano, de onde a forma e o valor em geral foram transmitidos aos povos que mais tarde adotaram o alfabeto latino. Representa, entre os povos antigos, um grande poder místico e características mágicas, associadas ao número um. É assim o Aleph hebraico, o Az dos Eslavos e o Alpha grego.

Para os cabalistas cristãos, o aleph é um símbolo santificado, representando a Trindade na Unidade, por ser composto por duas letras hebraicas YOD, uma voltada para cima e outra invertida, com uma ligação entre elas.[1]

Hieróglifo egípcio (a cabeça de um bovídeo)
Cabeça de bovídeo (alfabeto proto-semítico) Aleph fenício Alfa grego A etrusco A romano
A romano

Cerca de 1500 a.C., os fenícios deram à letra a sua forma linear que serviu de base para as formas mais tardias. O seu nome, provavelmente, corresponderia aproximadamente ao aleph do alfabeto hebreu.

Quando, na Grécia Antiga, adotou-se o alfabeto, como não se fazia uso fonético da paragem glotal a que a letra obrigava nas línguas semíticas (e na língua fenícia em particular), a letra passou a designar a vogal /a/, mudando-se o seu nome para alfa. Nas mais primitivas inscrições gregas, que datam do século VIII a.C., a letra aparece apoiada verticalmente de um lado, mas no alfabeto grego mais tardio, já tem uma forma semelhante ao A maiúsculo moderno, ainda que variantes locais se possam distinguir pelo encurtamento de uma das pernas ou pelo ângulo em que as linhas se cruzam.

Os etruscos levaram o alfabeto grego para a Península Itálica, sem lhe fazer qualquer alteração. Mais tarde, os Romanos adotaram o alfabeto etrusco na escrita do latim. A letra resultante foi preservada no moderno alfabeto latino, que é, sem dúvida, o alfabeto mais utilizado atualmente.

Fonética e códigos[editar | editar código-fonte]

Representações alternativas de A
Alfabeto radiotelefónico Código Morse
Alpha ·–
ICS Alpha.svg Semaphore Alpha.svg A
Código internacional de sinais Telégrafo óptico Braille

Consoante a língua em que está a ser utilizada, a letra a pode assumir diversos sons.

O som /Xsampa-at.png/, por exemplo, refere-se aos dois a da palavra "cada", na pronúncia do Português Europeu.

O som /a/ corresponde ao a de "má".

O som /ã/ ao ã de lã.

O Alfa representa a letra A no Código internacional de sinais.

O código ASCII para o A maiúsculo é 65 e para o a minúsculo é 97.

Significados do vocábulo A[editar | editar código-fonte]

Códigos na computação[editar | editar código-fonte]

No formato Unicode, a caixa alta para a letra A é U+0041 e para caixa baixa é U+0061.[2]

Uso[editar | editar código-fonte]

"A" é a terceira letra mais utilizada na língua inglesa, e a segunda mais usada nas línguas francesa e espanhola. Um estudo concluiu que 90,8% das palavras da língua inglesa têm as, e que este número é de 62,2% para o espanhol e de 39,5% para o francês[3] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons

Referências

  1. "A". The World Book Encyclopedia 1. (1956). Field Enterprises, Inc. 
  2. Javascript Unicode Chart (em inglês) Macchiato.com. Visitado em 8 de março de 2009.
  3. Percentages of Letter frequencies per Thousand words Starbase.trincoll.edu. Visitado em 1 de maio de 2006.