Escrita gótica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caligrafia librária em uma Bíblia Latina de 1407 em exibição em Malmesbury Abbey, Wiltshire, Inglaterra. A Bíblia foi escrita à mão na Bélgica, por Gerard Brils, para leitura em voz alta em um mosteiro.

Escrita ou letra gótica (ou escolástica, ant.) é o nome pelo qual é chamada o tipo de letra angulosa e com linhas quebradas, originada entre os séculos XII e XIII, a partir do fraturamento paulatino das formas manuscritas da escrita carolíngea.[1]

Foi usada na Europa ocidental desde 1150 até 1500. Este estilo caligráfico e tipográfico continuou a ser utilizado em países de lingua alemã até o século XX.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A fase chamada protogótica teve lugar na Inglaterra e norte da França, entre o final do século XII e final do XIII. Surgiu da cisão da minúscula carolina (ou carolíngea) com a minúscula anglo-saxônica então usada nos scriptoria ingleses, desde 950, nos documentos em latim. Em seguida a grafia foi sendo adotada nos Países Baixos, norte alemão, Escandinávia e na Espanha.[2]

Na dita fase gótica (entre fins do século XI e começo do XVI), sua grafia cursiva foi sendo difundida e aperfeiçoada, especialmente pela chancelaria real francesa que criou um estilo elegante.[2]

Na Itália o protogótico ficou restrito às regiões de influência francesa; mas, por volta de 1200, as formas góticas livrescas - como a litera rotunda (dos livros litúrgicos) e a litera bonomiensis (dos escritos jurídicos) foram introduzidos por copistas da Universidade de Bolonha. Ali difundiu-se um gótico notarial cursivo, ao passo que na Toscana havia a escrita gótica comercial.[2]

Os escritos de Petrarca foram feitos em semi-gótico e que, graças à popularidade de sua obra, tornou-se moda entre os notários do século XV.[2]

Na Holanda e Alemanha, em 1425, teve lugar a litera hybrida, tomando por base os escritos dos breves papais. Na última fase do desenvolvimento caligráfico medievo, chamado de humanística, uma nova caligrafia foi ganhando corpo até formar a base da moderna escrita europeia; o gótico, contudo, continuou sendo usado na Alemanha até 1945.[2]

Tipografia[editar | editar código-fonte]

Eram góticas as primeiras fontes produzidas após o desenvolvimento da tipografia pelo Ocidente, baseadas nos desenhos da caligrafia gótica. Devido à herança caligráfica, estas fontes não são classificadas em serifadas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Dicionário Aurélio, verbetes letra gótica (em: letra) e alfabeto gótico (em: alfabeto).
  2. a b c d e H R Loyn. Dicionário da Idade Média (em ). [S.l.]: Jorge Zahar Editor Ltda, 1990. p. pp. 64 e seg.. ISBN 8571101515.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Escrita gótica
Ícone de esboço Este artigo sobre tipografia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.