Paul Gerhardt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Face

Paul Gerhardt, (Gräfenhainichen, Eleitorado Saxônia, Alemanha, 12 de março de 1607 - Lübben (Spreewald), 27 de maio de 1676) foi um teólogo evangélico-luterano e é, talvez junto com Martinho Lutero, o poeta sacro mais importante da língua alemã.

A vida[editar | editar código-fonte]

Paul Gerhardt nasceu em Gräfenhainichen, uma cidade de então mil habitantes entre Halle an der Saale e Wittenberg. O pai era hospedeiro e tinha mais três crianças. Freqüentou a escola da cidade e depois a escola do príncipe em Grimma.

A Guerra dos Trinta Anos (1618- 1648), trouxe grandes tribulações para a Alemanha, como fome, soldatesca espoliando, matando e estuprando, peste, dizimando mais da metade da população. Paul sentiu na carne os horrores da guerra. Perdeu os pais logo no início da guerra.

Além disso, empenhou-se uma guerra religiosa no eleitorado Brandenburgo, porque o príncipe eleito Frederico-Guilherme I tornou-se evangélico reformado, seguindo a linha de João Calvino, e forçou os pastores evangélico-luteranos para conciliar as suas doutrinas com as da igreja reformada.

Como muitos outros pastores resistentes Paul Gerhardt foi destituído do seu pastorado. Além disso, sofreu angústias e dores pela perda de quatro de seus cinco filhos e da sua esposa.

A poesia[editar | editar código-fonte]

Busto
Monumento na frente da igreja em Mittenwalde, Alemanha (1905/2001)

Paul Gerhardt escreveu poesias que refletem sobre a profunda fé, que sai do sofrimento fortalecida e inabalável. A morte está onipresente e se torna uma experiência muito pessoal. O crente se volta a Deus com pedidos particulares e íntimos, enquanto os poetas do tempo da reforma como Lutero usaram muito mais a palavra "nós". A fé deve crescer pela experiência espiritual particular. Embora sendo um teólogo evangélico-luterano ortodoxo, no sentido conservador e doutrinário, a linguagem de suas poesias lembra quase as poesias pietistas do século XVIII, transformando em poesia os sentimentos do crente em relação a seu Criador e Salvador.

É um dos primeiros que emprega também uma acentuação natural e rimas, como se usam até hoje, seguindo as regras de Martin Opitz [1] , publicadas em 1624.

A beleza de seus hinos se espelha no fato que muitas igrejas evangélicas, especialmente no Norte de Europa e nos EUA, tem muitos hinos de Paul Gerhardt ainda hoje nos seus hinários. Até a igreja católica tem hoje em seu hinário alemão sete hinos dele. As igrejas evangélicas luteranas cantam os hinos dele hoje em todo o mundo, como no Brasil os hinários da IELB e da IECLB contêm mais de vinte hinos.

As poesias de Paul Gerhard inspiraram composições de muitos hinos, principalmente pelos organistas Johann Crüger e Johann Georg Ebeling de Berlim. Johann Sebastian Bach empregou-los em composições famosos.

O hino "O Haupt voll Blut und Wunden" [2] é considerado um dos mais importantes da história e inspirou grandes compositores como Johann Sebastian Bach,Max Reger. Atuais são edições como um CD do tecladista Dieter Falk ou da cantora jazzista Sarah Kaiser. Na língua portuguesa compositores como Gelson Silva,Axel Bergstedt [3] e Carlos Camargo, entre outros, publicaram composições atuais sobre hinos de Paul Gerhardt.

Referência[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]