Igreja Evangélica Luterana do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Orientação Luterana
Fundador Christian J. Broders
Origem Morro Redondo, RS
São Pedro do Sul, RS
Sede Porto Alegre, RS
Localização  Brasil
Número de membros 239.026
Número de igrejas 2.085
Países em que atua  Brasil

A Igreja Evangélica Luterana do Brasil (acrônimo IELB) é uma denominação protestante luterana, com sede na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Oficialmente, conta com 239 026 membros batizados, distribuídos em 2 085 congregações e 524 paróquias, com o número de pastores alcançando a marca de 892.[1] Ela está filiada ao Concílio Luterano Internacional (ILC), órgão governamental responsável por parte das denominações luteranas.[2] Com o constante crescimento ao longo dos anos, a IELB se tornou a maior igreja-irmã do Sínodo de Missouri.[3]

A primeira congregação foi oficialmente fundada em 1º de julho de 1900, após a vinda do pastor Christian J. Broders, missionário da Igreja Luterana do Sínodo de Missouri, que havia sido enviado para o Brasil após uma decisão do Conselho Geral sobre uma dispersão pela América do Sul.[4] Assim sendo, a primeira congregação da IELB foi estabilizada no município de Morro Redondo, no estado do Rio Grande do Sul, e chamou-se "Congregação Evangélica Luterana São João".[5] A denominação "Igreja Evangélica Luterana do Brasil" foi criada em 24 de junho de 1904, após uma reunião em São Pedro do Sul, no momento em que a Igreja contava com cerca de três mil membros.[6]

Um estudo divulgado em dezembro de 2010 representou que aproximadamente metade dos membros residem no Rio Grande do Sul, seguido pelos estados de Paraná e Santa Catarina, que juntos demonstram 74,5% do número total de membros.[7] Apesar do seu número de filiados estar em constante crescimento ao longo dos anos, a IELB representa cerca de 20% dos brasileiros luteranos, sendo que quase toda a porção restante está localizada na Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB).[8]

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

Templo da Igreja Evengélica Luterana do Brasil "IELB", Congregação Cristo de Schroeder. Atualmente o maior templo da IELB na América Latina.

A origem da Igreja Evangélica Luterana do Brasil tem seus registros datados de 1817, quando ocorreram as primeiras dispersões de luteranos da Alemanha para os Estados Unidos, onde alguns cristãos formaram a Igreja Luterana do Sínodo de Missouri.[9] A partir desta chegada de missionários na América, os conselheiros se preocuparam em enviar pastores para ensino da doutrina no Brasil, decisão que foi apenas tomada em 1899 após um Conselho Geral.[4] Apesar de grande parte dos membros da diretoria serem favoráveis ao envio de seus missionários para o Brasil, algumas pessoas eram contrárias à tal ação, com destaque para o pastor Heinrich C. Schwan, que havia sido o último presidente do Sínodo.[4] Schwan tinha esta posição pois havia trabalhado como tutor em uma colônia chamada Leopoldina, localizada no sul da Bahia, entre os anos de 1844 e 1850.[10] Schwan então acabou tendo uma experiência negativa devido ao estilo de vida e que presenciou da população baiana, esta formada na sua maioria por pessoas de pele negra e sem instrução escolar.[4]

Templo da IELB em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Esta foi uma das primeiras regiões do estado atendidas pela Igreja.

Apesar dos protestos de Schwan, a Conjuntura Internacional decidiu dar início ao envio de missionários ao Brasil, utilizando uma doação anônima de US$ 2.000 por pessoa, sendo o pastor Christian J. Broders quem deu início aos trabalhos no país, em uma visita de prospecção missionária.[11] Broders foi recebido pelo pastor Johann Friedrich Brutschin, que mantinha uma congregação ativa em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, e exprimia vontades de retornar para Alemanha, sua terra-natal.[5] A opinião inicial que Broders teve ao chegar no estado foi de um total descontentamento com o assunto da religião, mostrando indiferentismo com a mesma.[5] O ambiente díficil ao estabelecimento relatado pelo missionário, incluía o chamado "Sínodo Rio-Grandense" que já possuía pastores em diversas localidades.[4]

Após dirigir-se para a cidade de Pelotas, também no Rio Grande do Sul, Broders procurava um meio de sair do país, quando encontrou um grupo de imigrantes em uma cidade próxima, chamada São Pedro do Sul.[4] Um senhor chamado Augusto W. Gowert, que atuava como pastor de uma igreja luterana em um campo próximo, o convidou para permanecer em sua residência, enquanto ambos conversavam sobre doutrina.[12] Após ambos se identificarem no mesmo conceito sobre a doutrina, resolveram se reunir com outras dezessete famílias filiadas ao Sínodo de Missouri, e assim deram início a primeira Congregação Evangélica Luterana do Brasil.[13] Então, em 1º de julho de 1900, foi oficialmente fundada no município de Morro Redondo, a Comunidade Evangélica Luterana São João.[4] A IELB reconhece em sua página oficial tal data como a de fundação oficial da igreja.[14] Broders então retornou para o Sínodo de Missouri e veio a falecer em 27 de novembro de 1932.[15]

O pastor desta congregação se tornou Wilhelm Mahler, enviado dos Estados Unidos para realizar tal função, onde ficou até o ano de 1914.[4] Em 1901, mais três congregações foram fundadas, todas elas no Rio Grande do Sul, nas comunidades de Santa Coleta, Santa Eulália e Bom Jesus.[4] No ano seguinte, as congregações se expandiram por quase todos os pontos do Rio Grande do Sul, chegando na capital Porto Alegre.[16] Em 24 de junho de 1904, ocorreu a criação da denominação Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), oficialmente, em alemão, Der Brasilianische District der deutschen evangelisch-lutherischen Synode von Missouri, Ohio und andern Staaten.[4] [5] [17] Ela foi criada na cidade de São Pedro do Sul, em uma reunião que contou com a presença de com a presença de quatorze pastores, um professor e dez leigos, que representaram a dez comunidades luteranas, que juntas teriam aproximadamente três mil membros.[18] Seu primeiro presidente foi o próprio Mahler, que exerceu a função entre 1904 e 1910.[19]

Expansão[editar | editar código-fonte]

A Igreja Evangélica Luterana do Brasil adotou logo após sua fundação o Seminário Concórdia, fundado em 27 de outubro de 1903, como o seu local de formação para pastores.[20] Enviado diretamente do Sínodo de Missouri, o pastor John Hartmeister atuava como o único professor e instrutor do local, até o seu fechamento em 1905.[4] [20] O Seminário reabriu em 1907, desta vez com dois professores, e foi fundamental para a formação de pastores capacitados para a função.[20] Com a expansão geográfica realizada pela IELB ao longo dos anos, os pastores começaram a ser enviados para os pontos em que mais eram necessitados.[4]

Antes da fundação oficial da IELB, já existiam congregações luteranas nas mesorregião Noroeste e Central, além de pontos isolados em São Leopoldo, Dois Irmãos, Estância Velha e Porto Alegre.[4] A expansão continuou após a fundação oficial da IELB nas cidades de Roca Sales, Ijuí e Erechim.[4] [21] Em 1905, a IELB se expandiu pela primeira vez ao exterior, realizando missões e atendimentos pastorais na Argentina, que eram coordenados pelo Sínodo de Missouri.[4] A primeira congregação fora do estado do Rio Grande do Sul foi fundada em 1921, atendendo a Santa Catarina, na cidade de Luzerna, atual Bom Retiro.[22] No mesmo ano, foi fundada a primeira congregação da IELB no Paraná, na cidade de Cruz Machado, que foi a única a ser atendida no estado até 1937.[23] Neste período, a IELB já contava com quase 20 mil membros batizados.[1]

Templo da IELB em Marabá, Pará.

Em 1923, após a fundação da Editora Concórdia, a Igreja Evangélica do Brasil teve oficialmente uma loja de distribuição de seus materiais escritos, tendo sido distribuído em 1924 o Catecismo Menor de Lutero, o primeiro livro da editora.[24] Nos anos subsequentes, a IELB se espalhou pelos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro (ambos 1929), São Paulo (1931), e Minas Gerais (1933).[4] [25] Na década de 1920 também podemos perceber a fundação da Juventude Evangélica Luterana do Brasil (JELB) sob o nome de Waltherliga, formada por pessoas confirmadas que não eram casadas, e se estabilizou como o primeiro departamento da igreja.[26] Em 1929, foi realizada a comemoração de 25 anos da fundação oficial da IELB, com a publicação do livro Fuenfundzwanzig Jahre unter dem Suedlichen Kreuze (em português Vinte e cinco anos sob o cruzeiro do Sul), por Otto H. Beer.[6]

Inicialmente a igreja não permitia a participação de negros, sendo em 1927 criada uma igreja separada em Canguçu para descendentes dos escravos da região, a um quilômetro de distâncias da "igreja dos alemães".[27] A congregação separada foi criada devido à resistência de imigrantes alemães às tentativas de integração promovidas pelos pastores.[27] A igreja, congregação Manoel do Rego, existe até hoje e duas congregações realizam festas e outras atividades conjuntas. [27]

Em 1945, a Igreja Luterana do Brasil ultrapassou a marca de 50 mil membros oficiais, apesar de ser estabilizada apenas nas regiões Sul e Sudeste do país.[1] [28] Neste período, a IELB registra seu primeiro momento de tensão, após ordens do governo de Getúlio Vargas, que proibiu o uso da língua alemã e prendeu pessoas inocentes, leigos, professores e pastores, fechou escolas e templos, além de confiscar e destruir livros religiosos e equipamentos.[4] Pouco se sabe sobre este assunto, porém fontes afirmam que tal instabilização durou até o final da Segunda Guerra Mundial, que podem ser confirmadas pelo fato da expansão ter sido interrompida.[29] Passada esta instabilização, a IELB comemorou o aniversário de 50 anos do início da missão luterana no Brasil em um culto no Theatro São Pedro, em Porto Alegre, reunindo aproximadamente mil pessoas.[28]

Como dito anteriormente, tais tensões se aliviaram apenas após o fim da Segunda Guerra Mundial, e a expansão continuou em 1951, atingindo os territórios de Pernambuco, Bahia, Goiás, Mato Grosso e Distrito Federal (estes dois últimos em 1957).[4] Foram encontradas diversas dificuldades para a divulgação da igreja na Região Nordeste, com os cultos reunindo poucas pessoas, onde a maioria dos frequentadores pronunciava apenas o alemão.[30] Nesse período, ocorreu o surgimento da Liga de Servas Luteranas do Brasil (LSLB), departamento que englobava todas mulheres casadas.[31] Elas começaram a se destacar por volta da década de 1980, onde já estavam aptas para votar e concorrer a cargos da Igreja, bem como eram as principais participantes de projetos sociais e de diaconia.[4] A IELB chegou com a primeira missão em Portugal no ano de 1957, onde pouca informação se foi registrada.[4] Em 2008, eram quatro pastores que estavam trabalhando no país.[32] Para se comemorar o 50° aniversário, foi realizada uma pregação pelo pastor Rodolpho Hasse, com a presença de membros da Igreja Luterana do Sínodo de Missouri.[6]

Um segundo momento de tensão foi instituído com a ditadura militar brasileira, que foi instituída em 1964 e também interrompeu grande parte dos projetos da IELB.[4] A derrubada de um presidente democraticamente eleito foi saudada como momento inspirado de instauração da ordem no país, causando uma divisão dentro da própria igreja.[33] O Ato Institucional Cinco causou problemas ainda maiores, pois vários pastores e cristãos eram torturados e mortos com a alegação de que esta seria a vontade de Deus.[4] Neste momento, o número de membros chegou a 100 mil.[1]

Abrangência em todo o país e aumento de membros[editar | editar código-fonte]

Passada novamente esta tensão, a IELB se expandiu em Rondônia e Maranhão em 1971, no Piauí em 1978, no Ceará em 1979, em Alagoas em 1981, em Roraima e Amazonas em 1984, no Rio Grande do Norte em 1986 e no Acre em 1988.[4] Destes, onde a Igreja conquistou o maior número de fieis foi em Rondônia, na região de Cacoal, onde foi celebrado o aniversário de quarenta anos em 2011 contando com a presença de mil pessoas.[34] No início da década de 1980, a IELB iniciou uma missão no Paraguai, que ao longo dos tempos foi se intensificando e atualmente esta é uma "igreja-irmã".[3] Em 1979, no culto do aniversário de 75 anos da IELB, o pastor Dr. Jacob A. O. Preus agradeceu toda a missão da IELB no Brasil, e completou que a mesma se tornou a maior igreja-irmã do Sínodo de Missouri no mundo. Ele também salientou que o maior objetivo da igreja era a independência financeira do Sínodo.[6]

Em janeiro de 1971, foi criado o departamento dos leigos, que engloba todos os homens casados e batizados na Igreja Evangélica Luterana do Brasil, o qual está ativo até os dias de hoje.[35] Em 1991, a IELB chegou a marca de 200 mil membros oficiais, representando evolução em cada ano desde sua fundação.[1] Neste ano, entre os dias 23 e 26 de maio, foi decidido o símbolo oficial, sendo este uma cruz estilizada, remetendo ao formato de um "L" e um "B", representando o luteranismo e o Brasil.[36] Em 30 de dezembro de 1994, a igreja assinou um convênio com a Universidade Luterana do Brasil, oferecendo o curso de bacharelado em teologia.[24] Em 1999, a IELB atingiu ao último estado em que ainda não estava abrangindo, sendo este o Amapá.[28] [37] Por volta desta época, foi establecida a logomarca oficial da IELB: "Cristo Para Todos".[38]

Em 1º de janeiro de 2000, a Igreja Evangélica Luterana do Brasil finalmente conseguiu sua independência financeira do Sínodo de Missouri, sendo que desde então é mantida pelas ofertas dos membros e pelo dinheiro envolvido com a venda e divulgação de seus materiais.[39]

No dia 11 de janeiro de 2004, a IELB completou a marca de 100 anos de existência, e para isso foi realizado um culto especial na cidade de Gramado, reunindo cerca de 12 mil pessoas no Centro de Convenções Expogramado.[40] Originalmente, o evento estava programado para acontecer na cidade de Canela, no Centro de Feiras, mas por motivos de excesso de público o local foi alterado.[41] Tal festividade contou com a presença de várias autoridades, como o vice-governador Antônio Hohlfeldt, representando o governador Germano Rigotto, o deputado federal Onyx Lorenzoni e os prefeitos José Vellinho Pinto (Canela) e Pedro Henrique Bertolucci (Gramado).[41] O evento também contou com a presença de pessoas de outras igrejas, como o presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil Dr. Walter Altmann e o arcebispo católico Dom Dadeus Grings.[40]

A página oficial da igreja informa que a mesma possui atualmente 55 distritos, 524 paróquias, 2085 congregações, 892 pastores e 239.026 membros.[38] A IELB não possui oficialmente uma igreja no exterior, visto que a mesma leva o nome do país, Brasil, e as igrejas que seguem a mesma denominação pertencem ao Concílio Luterano Internacional, e a doutrina pregada por eles é a mesma.[42] Apesar da IELB ter alguns pastores que fazem missões em lugares como os já citados, pode-se dizer que todos os seus membros residem no Brasil.[43]

Doutrina[editar | editar código-fonte]

Representação original da Bíblia de Lutero, que é utilizada pela IELB.

A Igreja Evangélica Luterana do Brasil tem por doutrina a base feita pelo reformador Martinho Lutero, utilizando de sua tradução da Bíblia, a chamada Bíblia de Lutero.[44] Lutero pregava que a salvação vinha pela graça e pela fé, contrariando à ideia das boas obras, a qual também é aceita pela IELB.[45] A Igreja prega dois pontos como os meios da graça: a Palavra de Deus e os sacramentos.[46] O objetivo da mesma é fazer com que todas as pessoas alcancem a salvação, tendo assim em sua teologia a ressurreição e a divisão em céu e inferno.[47]

A igreja também utiliza os outros livros lançados por Lutero como uma base para o ensino de sua doutrina. O Catecismo Menor é ensinado a pessoas, geralmente na pré-adolescência, com um básico aprofundamento das principais teologias da Igreja.[48] Um livro semelhante, porém maior e com aprofundamento mais detalhado é conhecido como Catecismo Maior, que é ensinado aos adultos.[49] Além destes documentos, a IELB também aceita como parte de seu ensino a Confissão de Augsburgo, os Artigos de Esmalcalde, a Apologia e a Fórmula da Concórdia, formando assim ao Livro de Concórdia.[50] Durante a maioria dos cultos luteranos, é utilizado um livro chamado Hinário luterano, composto com 573 hinos de louvor e com sua última modificação feita em 1986.[51]

A IELB utiliza dois sacramentos, o Batismo e a Santa Ceia.[52] O Batismo acontece algumas semanas após ao nascimento da criança - ou em casos extremos, de morte, pode até ser feita na residência dos pais do bebê.[53] A criança - ou o adulto, caso o mesmo receber confirmação após uma instrução de adultos - recebe a água em sua cabeça simbolizando uma aliança com Deus, ao mesmo tempo em que o Pastor faz o sinal da cruz tanto na fronte quanto no peito.[54] Quando a cerimônia é realizada de maneira formal, sobem ao altar junto com os pais e a criança, os padrinhos, que segundo a IELB, servem como testemunhas do ato.[53] O Batismo só pode ser ministrado pelo Pastor chamado e ordenado, e a pessoa é batizada em nome do Deus Triúno, Pai, Filho e Espírito Santo, tomando por base o Evangelho de Mateus.[54] [55] Já a Santa Ceia é realizada em todo os cultos e é dirigida à todas as pessoas que foram confirmadas, onde estas recebem a hóstia, que segundo a doutrina da IELB é o Corpo de Cristo e recebem o vinho, que é o sangue de Cristo.[56] Para tal ato ter uma validade ele deve ser previamente instituído pelo Pastor chamado e ordenado, caso contrário, segundo a Doutrina, apenas haverá o ato físico e não o espiritual.[57] Para antes de qualquer cerimônia de Santa Ceia, é dirigida a sua instituição, presente no Evangelho de Mateus.[58]

São três os credos ecumênicos presentes na IELB: o Credo Apostólico, o Credo Niceno e o Credo Atanasiano. Em 1580, a Igreja Luterana, para demonstrar que não era uma seita, incorporou os três credos em suas confissões, reunidas no Livro de Concórdia.[59] O Credo Apostólico é o mesmo utilizado na Igreja Católica, com uma mudança no trecho "Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica" para "Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Cristã", que foi feito pelo próprio Martinho Lutero durante a Reforma Protestante, tendo em base que a Salvação poderia ser dada para qualquer pessoa, não apenas para os católicos.[60] Apesar do primeiro ser o Credo oficial e o mais utilizado, em alguns cultos - na maioria das vezes, mensalmente - há a pronunciação do Credo Niceno, que foi feito pelos cristãos de Roma no século III, sendo que apresenta apenas as principais verdades da crença em Deus.[60] Por último, o Credo Atanasiano é o menos utilizado, devido ao seu tamanho, proferido na maioria das igrejas uma vez ao ano.[60] [61] Ele recebe maior atenção na semana da Santíssima Trindade, onde o Credo exalta exatamente o que trata a semana.[62]

A formação dos pastores, também conhecidos como ministros, acontece em projetos afiliados da IELB (ver seção abaixo). Segundo a igreja, eles não tem direitos acima de qualquer outra pessoa, segundo o que foi dito na Epístola de Paulo a Tito.[63] O ofício de pastor só é realizado quando acontece o chamado de uma congregação, caso isto não aconteça, o mesmo não terá a permissão da IELB para delegar cultos.[64]

Apesar de em seu nome mencionar ser uma igreja evangélica, um dos principais pontos que difere a IELB das igrejas pentecostais é a abolição do dízimo das ofertas. Há cada ano, é realizado um estudo chamado de "Voto de Mordomia", no qual é explanado que a oferta deve ser dada em virtude do amor de Cristo, sendo a porcentagem apenas um valor adicional.[65] Como dito acima, cada pessoa escolhe o percentual de suas ofertas, que se mantém ao redor do ano; elas são dadas uma vez por mês em envelopes fechados.[65] No segundo semestre do ano, é realizada a Festa da Colheita, onde um envelope de cor rosa é entregado juntamente com a oferta normal, e o seu dinheiro é enviado para missões evangelisticas ao redor do mundo.[66] Um estudo divulgado em 2010 mostrou que cada membro da IELB ofertou cerca de R$143,06 no ano, sendo que 6,7% foi destinado para a sede da IELB e o resto ficou distribuído dentro das congregações para despesas e salários do pastor.[1]

Posições oficiais à assuntos controversos[editar | editar código-fonte]

"A IELB crê e confessa que a sexualidade é um dom de Deus, destinado por Deus para ser vivido entre um homem e uma mulher dentro do casamento. […] Ensinamos que a igreja renova também o seu compromisso de receber pessoas homossexuais no amor de Cristo visando que a fé em Jesus as transforme para a nova vida da qual Deus se agrada."

Rev. Egon Kopereck, presidente da IELB.[67]

Talvez o assunto mais controverso entre os membros luteranos seja em respeito à homossexualidade, visto que os mesmos não têm uma organização central. Apesar da Federação Luterana Mundial adotar um princípio de não haver punições para pastores que tenham parceiros do mesmo sexo,[68] a IELB bem como todas as igrejas do Concílio Luterano Internacional (ILC) são fortemente contra a aceitação de qualquer relação entre pessoas do mesmo sexo, não os aceitando em seu meio, por ferir os princípios da Bíblia.[69] No entanto, a IELB condena qualquer tipo de discriminação perante à homossexuais, conforme nota publicada pelo então presidente Egon Kopereck, que diz que deve-se colocar ao lado destas pessoas para elas buscarem o caminho certo.[70]

A Igreja Luterana não utiliza santos e/ou qualquer outra espécie de adoração, deixando bem claro em sua doutrina que a sua crença se baseia unicamente na Santíssima Trindade.[71] Maria, mãe de Jesus, também não é considerada como uma divindade: "ainda que é digníssima das honras mais excelsas, ela não quer, todavia, que a igualemos a Cristo", consta em um posicionamento oficial da igreja.[72] A autoridade de pastor, que para ser exercidade deve ser chamada e ordenada previamente, também não vincula nenhuma relação com santificações, sendo este utilizado por meio de Deus para a revelação da sua obra.[73] A IELB publicou um artigo de nove páginas informando sobre a maçonaria, e deixou claro na página 6 que também não possui discriminações, mas que "um cristão convicto, especialmente um cristão luterano, não se filia a maçonaria, e porque um maçom, ao abraçar a fé cristã, não permanecerá na maçonaria".[74]

A Igreja Evangélica Luterana do Brasil percebe semelhanças e diferenças quanto à pessoa do homem e da mulher. A principal semelhança é a igualdade de ambos perante Cristo, segundo a Epístola de Paulo aos Gálatas.[75] Entre as diferenças, constam o fato de o homem ser o "cabeça" em um relacionamento, cabendo para ele as responsabilidades, segundo a Epístola aos Efésios;[76] de a principal função da mulher é ser mãe, e a do homem, a autoridade no ensino da Palavra, segundo a Primeira Epístola a Timóteo;[77] e os dons de "evangelistas" e "profetas" até serem dados para as mulheres, mas os de "pastores-mestres" unicamente para os homens, também segundo a Epístola aos Efésios.[78] Como na Bíblia nada consta em relação à participação de mulheres em assembleias e cargos diretivos, a IELB permite a participação das mesmas em ambas as atividades.[79]

Diferenças em relação à IECLB[editar | editar código-fonte]

As Igrejas Luteranas são divididas em dois grandes blocos, que são coordenados por órgãos governamentais, a Federação Luterana Mundial (LWF) e o Concílio Luterano Internacional (ILC), do qual a Igreja Evangélica Luterana do Brasil faz parte.[2] [80] As duas tem por base o luteranismo, mas pequenas diferenças na doutrina e nas posições oficiais tornam a ILC com uma ortodoxia doutrinária maior do que a LWF, que é aberta, por exemplo, à união de pastores homossexuais.[81] Já a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), que representa aproximadamente 80% dos luteranos do Brasil, faz parte da LWF, fato com que várias "rivalidades" fossem criadas ao longo do tempo.[82] No entanto, a IECLB é uma exceção no caso acima, sendo que desde 2 de junho de 2001 não aceita a homossexuais na sua congregação, em semelhança a atitude da IELB.[83]

Apesar de várias suposições durante a história de ambas as igrejas, atualmente aceita-se o fato de que as principais diferenças entre elas são de valor cultural.[84] Como informado anteriormente, a IELB se originou por meio da Igreja Luterana do Sínodo de Missouri, enquanto a IECLB foi formada da imigração de luteranos diretamente da Alemanha.[85] Estudiosos, como Walter Altmann e Martin Dreher, declararam em uma entrevista que "a IECLB esteve mais exposta ao pensamento da Ilustração, enquanto a IELB esteve mais exposta ao Romantismo e ao neoconfessionalismo do século XIX."[86]

Costuma-se dizer que existem duas principais diferenças entre as igrejas, aceitas pelos membros da mesma. A celebração da Santa Ceia, na IELB, é restrita para os membros da Igreja; na IECLB, ela é aberta para qualquer pessoa que queira a salvação, ato que é chamado de comunhão aberta.[87] Já a ordenação de mulheres como pastoras, só é feito na IECLB, pois a IELB defende, como dito acima, que só os homens receberam os dons do Espírito Santo de se tornarem "pastores-mestres".[88] Esses fatores tornam a IELB com uma interpretação mais literal da Bíblia, restringindo sua postura à sua própria denominação; e a IECLB apresenta um empenho ecumênico, com o acolhimento de métodos modernos da exegese.[86]

Por a Bíblia ser o único meio de ambos, os pastores tentaram sanar qualquer rivalidade entre as igrejas através de três "Conferências Nacionais Interluteranas".[89] Como medida de tal iniciativa, foi redigido em 1994 o chamado "Convênio de Cooperação Igreja Evangélica Luterana do Brasil - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil", mostrando os pontos onde as mesmas trabalham em união.[90]

Símbolos[editar | editar código-fonte]

A Rosa de Lutero, um dos símbolos da IELB.

O logotipo oficial da Igreja Evangélica Luterana do Brasil é o desenho de uma cruz estilizada, representado nas cores azul claro, azul escuro e branco, onde a representação segue o modelo conhecido como "proporção áurea". Ele foi aprovado pelo Conselho Diretor da Igreja, após um conselho que durou entre 23 e 26 de maio de 1991, que tornou-se obrigatório após a 50ª Convenção Nacional que obrigou a todas as igrejas do país a terem uma logomarca de identificação fácil.[36] Segundo a própria igreja, a escolha do símbolo se deu por três razões principais; por a mesma ser a principal representação do cristianismo, demonstrando o local onde Jesus Cristo foi morto; pelo fato de que a grande maioria das denominações religiosas também adotam tal símbolo como principal; e pelo fato do teólogo Martinho Lutero ter afirmado que a cruz deveria ser centralizada no altar de todos os templos.[38] [91]

O significado da logomarca pode variar segundo a maneira na qual for observada; a explicação convencional, reconhecida na página oficial da igreja, demonstra que o "L" remete à luteranos e o "B" à Brasil. Porém, ao longo dos anos, surgiram ideias de um possível "ML", em referência à Martinho Lutero.[36] A IELB afirma que as diferentes perspectivas e volumes apresentados tem em seu fundamento a missão da igreja em levar a Bíblia aos diversos cantos do planeta, além de demonstrar os Dons do Espírito Santo que foram dados a cada uma das pessoas.[38] Nos documentos oficiais, o acrônimo IELB é apresentado um pouco abaixo da logomarca, escrito na fonte tipográfica Bahamas, porém, nos desenhos e nas imagens presentes na igreja, apenas a cruz é utilizada.[92]

Apesar de não ser visto com frequência quando a IELB é citada, a Rosa de Lutero também constitui um dos símbolos oficiais da igreja, bem como na quase totalidade das igrejas luteranas.[93] Seu significado é o mesmo: a cruz negra demonstra a Paixão de Cristo e o coração vermelho representa o amor de Deus, sendo que ambos estão envoltos por uma rosa branca, que simboliza a paz em Deus; esta, fica rodeada por um campo azul demonstrando o céu, circundada por um detalhe dourado, no formato de uma aliança, que significa a renovação feita no Batismo.[94]

Números[editar | editar código-fonte]

Número de membros oficiais da IELB[1]

1904
  
2926
1910
  
7044
1920
  
16501
1935
  
32040
1950
  
65280
1970
  
149421
1990
  
198522
2000
  
219888
2010
  
238281

O número de membros oficiais - aqueles que foram batizados - da Igreja Evangélica Luterana do Brasil estão em constante crescimento ao longo dos anos, conforme tabela mostrada ao lado.[1] Poucos anos após sua fundação, o número de membros registrados já era de quase 3.000, a maioria deles imigrantes dos Estados Unidos, mais especificamente da Igreja Luterana do Sínodo de Missouri. No entanto, a IELB começou a se espalhar por um número maior de regiões a partir da década de 1950, sendo que em dez anos o número de membros quase dobrou, atingindo a marca de 112.317 filiados.[95] O último estudo oficial foi divulgado na revista Mensageiro Luterano, publicado pela Editora Concórdia, onde podemos perceber 238.281 membros, em uma pesquisa que é datada de dezembro de 2010, significando um aumento de 8,4% em relação à última década.[1] Já o site oficial da IELB registra o número de 239.026 membros, este feito em 25 de setembro de 2012,[96] que faz com que a IELB se torne a principal igreja-irmã do Sínodo de Missouri.[1]

Conforme dito anteriormente, todos os membros da IELB residem no Brasil, e este mesmo estudo mostra que 48,7% deles moram no Rio Grande do Sul, onde foi o ponto primário de estabilização dos imigrantes e onde também funciona o Seminário Concórdia, responsável pela formação dos pastores.[97] O estado de Paraná representa 13,6% dos membros oficiais, seguido por Santa Catarina, com 12,2%, que fazem com que a Região Sul represente aproximadamente ¾ de todos os membros da igreja.[1] Juntos, Espírito Santo e Minas Gerais representam 12,4%; e São Paulo e Rio de Janeiro 8,7%.[1] Nas outras três regiões, o número é demasiado abaixo destes cinco estados: a Região Centro-Oeste possui 2,6%, seguida da Região Norte - 1,1% - e da Região Nordeste, com 0.5%.[1] Apesar do baixo índice, estas duas regiões foram as que mais apresentaram crescimento nos últimos dez anos, devido principalmente a uma grande fundação de templos nos estados de Rondônia e Pernambuco.[98] [99]

Em 2010, estima-se que a IELB tenha 601 pastores congregacionais, além de 248 dispersos em paróquias e pontos de missões; número que aumentou em 11 do ano passado.[1] Os pontos de pregação estabilizaram-se em 627, as paróquias em 519 e as congregações em 1470.[1] O número de membros que saíram da IELB entre 2005 e 2010 foi de 19.429, o que representa cerca de 8,2% do número atual; no entanto, 22.328 ingressaram na mesma por meio de confissão da fé, representando 9,4%.[1]

Afiliados[editar | editar código-fonte]

Seminário Concórdia[editar | editar código-fonte]

O Seminário Concórdia é o local de formação em teologia reconhecido pela Igreja Evangélica Luterana do Brasil, localizado na cidade de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.[100] Para um membro da igreja que deseja exercer tal função, ele deve obrigatoriamente passar pelo Seminário Concórdia.[101] Antes da unificação com esta faculdade, a IELB também aceitava pastores formados na Escola Superior de Teologia de São Paulo.[102] [103]

Ele foi fundado em abril de 1903, na cidade gaúcha de Bom Jesus, onde os instruídos eram ensinados pelo Reverendo John Hartmeister, vindo da Igreja Luterana do Sínodo de Missouri, até a fundação oficial da IELB em 1904.[104] Após um breve fechamento em 1905, o Seminário foi reaberto em 1º de maio de 1907, com dois professores, e em 1908 recebeu oficialmente o nome de Seminário Concórdia, o qual é mantido até os dias de hoje.[104] Até 1984, o Seminário funcionou no bairro Mont'Serrat, de Porto Alegre, sendo que neste ano ocorreu a mudança para a cidade de São Leopoldo, onde está localizado até hoje.[104] No ano de 1994, conforme explicado na seção abaixo, um convênio uniu o Seminário à Universidade Luterana do Brasil.[105] [106] Em 2002, ocorreu a unificação da Escola Superior de Teologia de São Paulo com o Seminário Concórdia, tornando assim este o único ponto de formação de pastores da IELB.[104] [107]

Desde sua fundação, o Seminário Concórdia formou cerca de 850 pastores da IELB, que atuam em quase 2000 congregações e pontos de missão, tanto no Brasil como no exterior.[104] O Seminário também publica, através de seu Corpo Docente, uma revista semestral sobre teologia desde o ano de 1941.[108]

Universidade Luterana do Brasil[editar | editar código-fonte]

A Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) é uma das afiliadas à IELB.

A Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) é uma universidade privada localizada na cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul e tem como mantenedora a Comunidade Evangélica Luterana São Paulo.[109] A ULBRA engloba operações na area de educação, da infancia à pos graduação, e também uma emissora de TV (Ulbra TV)[110] , a rádio (Rádio Pop Rock)[111] .[112] No campo da teologia, a ULBRA possui a Biblioteca Martinho Lutero, onde estão disponíveis vários registros tanto da Bíblia quanto de publicações feitas por Lutero em textos da Reforma Protestante.[113] Na primeira década dos anos 2000, a ULBRA enfrentou diversas crises financeiras, causada por diversas dívidas tributárias,[114] além de ter feito várias aparições na mídia pelo indiciamento do reitor anterior, Rubem Becker em 2009[115] e do atual, carecendo de fundamentação, por falsificação ideológica em 2013.[116] .

A atual gestão, após quatro anos de negociações, obteve alternativa para suas dívidas, aderindo ao PROIES, que prevê o pagamento de parte da divida da união com a concessão de 49 mil, bolsas de estudo em 15 anos.[117] . Com foco no ensino, a Universidade recebeu notas 4 e 5 (no índice de 1 a 5) das comissões de avaliação do MEC em mais de 70% dos cursos visitados nos campi do Rio Grande do Sul.[118] A partir do Índice Geral de Cursos (IGC), que avalia a qualidade do ensino, a ULBRA é considerada pelo MEC a sexta melhor universidade particular do Brasil, pelo segundo ano consecutivo.[119] Na modalidade de educação a distância, a Universidade está em primeiro lugar em qualidade de ensino, a partir dos conceitos obtidos pelos alunos no ENADE.[120]

A principal relação da IELB com a ULBRA se dá através de um convênio de mútua cooperação, por meio do qual os professores do Seminário Concórdia passaram a atuar também no curso de Licenciatura Cristã da ULBRA; ao mesmo tempo que os alunos cursaram a Licenciatura na ULBRA e o Bacharelado no Seminário Concórdia.[106] Em outubro de 2000, o nome do curso foi mudado para Bacharelado em Teologia, e reconhecido oficialmente pelo Seminário Concórdia para a especialização de pastores.[105] A ULBRA tem constante participação em projetos da IELB, como por exemplo, a divulgação dos eventos importantes da mesma[121] e a participação em eventos da Juventude Evangélica Luterana do Brasil (JELB), como aconteceu no 43° Congresso Nacional, onde um DVD foi gravado.[122]

Outra relação importante entre IELB e CELSP-ULBRA é na área de comunicação/evangelização. Desde 2004, a IELB, por meio da CELSP, tem um programa de TV diário em canal aberto nacional, o Toque de Vida da ULBRA TV. Também por meio da CELSP, desde 2008, a IELB exibe cultos luteranos semanais na ULBRA TV.[123] . Em 2013, um programa de debates e variedades passou a ser apresentado aos domingos, alternadamente com a exibição dos cultos.[124]

Editora Concórdia[editar | editar código-fonte]

A Editora Concórdia é a editora oficial da Igreja Evangélica Luterana do Brasil, responsável pela publicação de todos os livros e materiais relacionados à mesma.[24] Além destas publicações, a Editora Concórdia reúne uma loja oficial com a venda de produtos como compact discs, DVDs, camisetas da Juventude Evangélica Luterana do Brasil (JELB) e jogos destinados ao público infantil.[125]

Ela foi fundada oficialmente em 12 de abril de 1923, após uma reunião realizada por ocasião da Conferência Pastoral do Distrito Porto-Alegrense, a qual foi presidida por Paul W. Schelp, que ficou no cargo principal da Editora por cerca de quarenta anos.[24] [126] Antes mesmo, a Editora Concórdia funcionava como uma agência de livros da IELB, onde contava com uma prensa tipográfica para a distribuição de livros do Seminário Concórdia, os quais eram feitos com limitação.[24] Em 1924, foi distribuído o primeiro livro impresso pela Editora, o conhecido Catecismo Menor de Lutero, na época em que a empresa era conhecida como Casa Publicadora Concórdia Ltda.[24] Toda a construção e planejamento foram interrompidos por uma enchente que atingiu Porto Alegre em 1941, destruindo quase todos os materiais da Editora Concórdia, que recebeu ajuda da IELB e dos Estados Unidos em troca de abaixar o preço dos próximos livros disponibilizados.[24] A partir da década de 1970, a Concórdia se estabeleceu como uma das principais divulgadoras do luteranismo no Brasil, e atualmente conta com duas filiais em São Paulo.[24]

A Editora Concórdia distribui para venda materiais como o Mensageiro Luterano, em assinaturas anual e bianual.[127] Ele foi lançado no dia 25 de dezembro de 1917 e é conhecido como o primeiro jornal luterano em língua portuguesa do mundo, e atualmente traz cerca de 50 páginas com materiais e reportagens relacionados à IELB e à Bíblia.[128] Outras publicações importantes incluem o Hinário luterano, o Castelo Forte - uma espécie de devocionário com uma reflexão para cada dia do ano, o Catecismo Menor, o Catecismo Maior e o Anuário Luterano, além de outros tipos de livros e vários formatos de Bíblias.[129]

Cargos e subdivisões[editar | editar código-fonte]

As decisões da Igreja Evangélica Luterana do Brasil são tomadas por meio de uma Diretoria Nacional, que é escolhida por votação de quatro em quatro anos, com os cargos de Presidente, 1° Vice-Presidente e 2° Vice-Presidente, Secretário e 2° Secretário, e Tesoureiro e 2° Tesoureiro; sendo que todos os candidatos devem ser pastores diplomados.[130] A última eleição foi feita em 2010, e o atual Presidente da IELB é o Reverendo Egon Kopereck, que atuava desde o ano de 1988 na Congregação Evangélica Luterana São Paulo, da cidade de Canoas, região metropolitana de Porto Alegre.[131] Ele mantém um blog pessoal, onde divulga relatórios diários de sua gestão presidencial, além de notícias relacionadas com a própria IELB.[132] O 1° Vice-Presidente da gestão atual é Arnildo Schneider, que é responsável pelo Departamento de Formação e Recursos Humanos, e o 2° Vice-Presidente é Geraldo Schüler, responsável pelo Departamento de Missão e Assistência Social.[130] Completam a diretoria o secretário Rubens Ogg e o tesoureiro Renato Bauermann.[130]

Os mesmos cargos, com exceção da divisão em dois Vice-Presidentes, são vistos em cada congregação da IELB. No entanto, a eleição é anual e é feita na Assembleia da Igreja, realizada sempre no final de cada ano, geralmente no mês de dezembro.[133] Uma quase totalidade das congregações da Igreja Evangélica Luterana do Brasil utiliza a Escola Dominical para a formação e instrução de crianças; porém, apenas as maiores utilizam as subdivisões em jovens, servas e leigos.

Escola Dominical

A Escola Dominical é ensinada por membros da própria Igreja, que colaboram voluntariamente no ensino da Palavra de Deus através de histórias bíblicas e outras atividades.[134] Ela é instruída para crianças, geralmente a partir dos 4 anos, até a época da sua confirmação, quando as mesmas passam a frequentar o Departamento de Jovens.[135] Segundo vários pastores, a Escola Dominical é a principal área de instrução de um cristão, portanto, é dada grande atenção para a mesma.[135] Devido a dificuldade do fato de crianças permanecerem sozinhas por um grande período de tempo, não são realizados congressos como nos outros departamentos, sendo feito apenas para os professores.[136] Ela é ministrada em diversos horários, variando de uma congregação para a outra, porém, a maioria a realiza antes ou depois dos cultos, ou nos sábados à tarde.[137]

Juventude
43° Congresso da Juventude Evangélica Luterana do Brasil, realizado em Sumaré, São Paulo, no ano de 2013.

A Juventude é o Departamento que compreende todas as pessoas que foram confirmadas (ou em raros casos, que estão no último ano de catecismo) e não foram casadas. Como o Departamento de Leigos e Servas, ela também compreende a divisão de seis cargos, sendo eles distribuídos de forma nacional, estadual, distrital e congregacional.[138] O atual presidente nacional é Lucas Albuquerque, do Pernambuco, que cumpre o mandato 2012-2013.[139]

A Juventude Evangélica Luterana do Brasil surgiu em 1925, tornando-se assim a juventude luterana mais antiga de toda a América Latina.[138] Ela foi fundada oficialmente em 31 de maio daquele ano, no vilarejo de Hartzpikade, pertencente atualmente à cidade de Sapiranga, no Rio Grande do Sul, e foi chamada de Liga Luterana Juvenil do Brasil.[140] No tempo da Segunda Guerra Mundial, por questões nacionalistas implicadas pelo Estado Novo, seu nome foi revertido para Liga Walther, mas acabou extinta em 1945, tendo sido retomada apenas em 1950 como Juventude Luterana do Brasil, posteriormente acrescentando o "Evangélica" em seu nome.[140]

A JELB realiza a um intervalo de dois anos um Congresso Nacional com todos os jovens do Brasil. A última edição, de número 43, foi realizada na Estância Árvore da Vida, cidade de Sumaré, São Paulo, e reuniu cerca de 1.300 jovens durante cinco dias de atividades.[141] O Congresso com o maior número de membros foi o 42°, realizado na cidade de Foz do Iguaçu, Paraná, com cerca de 2.500 jovens presentes.[142] Em alguns estados são realizados congressos estaduais, como no Rio Grande do Sul, onde foram feitas até agora cinco edições, sendo a última em Canela.[143]

Leigos

O Departamento dos Leigos, chamado oficialmente de Liga de Leigos Luteranos do Brasil, compreende basicamente a todos os membros do sexo masculino que estão casados. Devido à questões de trabalho, a maioria das igrejas realiza a reunião dos leigos à noite.[144] A diretoria está organizada do mesmo jeito que a IELB em si, porém as eleições são feitas a cada três anos, e a gestão atual estará em vigor até 2013.[35] O presidente da diretoria nacional é Oldemar Rohloff, e seu vice-presidente é Ildo Vorpagel Hoffmann.[35]

Sua fundação oficial decorreu entre 15 e 17 de janeiro de 1971, na cidade gaúcha de São Leopoldo, onde foi realizado o 1º Encontro Nacional de Leigos Luteranos, recebendo membros leigos de todo o Brasil.[145] Sua fundação oficial decorreu em 16 de janeiro, apesar de a primeira Liga de Leigos ser fundada informalmente em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, em 11 de abril de 1948.[145] Similar aos jovens e as servas, os leigos também realizam um Congresso Nacional a cada dois anos, tendo o primeiro deles ocorrido em Imbituva, PR, entre 11 e 14 de janeiro de 1973.[145] O próximo congresso será realizado na cidade de Marechal Cândido Rondon, em agosto de 2013, marcando a edição de n° 20.[146]

Servas

O Departamento das Servas, chamado oficialmente de Liga de Servas Luteranas do Brasil (LSLB), compreende basicamente todos os membros do sexo feminino que estão casadas.[31] Ao contrário dos três departamentos anteriores, a maioria das igrejas realiza apenas uma reunião de servas a cada duas semanas, devido as mesmas ajudarem aos trabalhos da igreja e outras missões.[31] A diretoria é composta pelos mesmos cargos da Diretoria da IELB, sendo que a atual presidente é Juliana Rosmeri Blauth Lindenmeyer, e a Vice-Presidente é Edeltraud Hegele Dauernheimer.[147]

Os primeiros registros de reuniões femininas aconteceram em 1909, na Comunidade Cristo de Porto Alegre, onde as mulheres se reuniam sob a presidência de Maria Tetzlaff, onde faziam projetos sociais para ajudar os membros necessitados da igreja.[148] Após a fundação de vários departamentos individuais, decorreu em 4 de julho de 1956 a fundação oficial da Liga de Servas Luteranas do Brasil, na Congregação São Paulo de Porto Alegre.[31] O primeiro congresso nacional foi realizado em 16 e 17 de janeiro de 1957, na capela do Seminário Concórdia, em Porto Alegre, contando com a presença de apenas 103 delegadas.[31] O último congresso foi o de número 26, e aconteceu na cidade gaúcha de Bento Gonçalves entre 18 e 22 de janeiro de 2012.[149] Anualmente, as servas divulgam a revista "Servas do Senhor", com tiragem de 10.000 exemplares e 8.000 assinantes.[150]

Aparições na mídia[editar | editar código-fonte]

As participações da Igreja Evangélica Luterana do Brasil na mídia são bastante pequenas, devido ao esforço de seus pregadores em concentrar as atenções apenas na divulgação da mensagem da Bíblia.[151] [152] Como uma das principais medidas para tentar divulgar sua doutrina ao redor do Brasil, a IELB criou um programa online chamado "IELB TV", que é exibido todas as quintas-feiras no horário de 13:00 h, apresentando temas religiosos pertinentes.[153] .

A IELB, através das comunidades Concórdia, de Cacoal/RO, e São Paulo, de Canoas/RS, transmite os cultos ao vivo pela internet. A página da Comunidade Concórdia é CEL Concórdia e os vídeos dos cultos também podem ser encontrados no Youtube, através do canal "Concórdia Cacoal". Os cultos são realizados aos sábados a noite, a partir das 19 horas (horário local). As transmissões da Comunidade São Paulo são feitas através do serviço UsTream, no canal Capela da Ulbra e os vídeos dos cultos também podem ser encontrados no Youtube, através do canal Celsp ULBRA. Os cultos são realizados aos domingos, a partir das 10 horas (horário local).

Na televisão, a IELB mantém um programa junto a sua afiliada Ulbra TV, mantida pela Universidade Luterana do Brasil, chamado "Toque de Vida".[154] Aos domingos, a partir das 8 horas da manhã, são exibidos cultos da CELSP (Comunidade Evangélica Luterana São Paulo), de Canoas, que tiveram início com a disponibilização do culto de 104 anos, ocorrido em 2008.Transmissao de culto pela teve marca 104 anos de fundacao da IELB[155] O primeiro programa da IELB foi exibido na RBS TV Erechim, chamado "A Hora", o qual era produzido inicialmente pelo pastor Edgar Tilp.[6] Ele começou a ser exibido em 1976, e em 1983 passou para a direção de Benjamin Jandt, com participações de Vilson Regina e Gerold Krick, e sua duração variava entre cinco e dez minutos; seu fim aconteceu em 1988.[156] O segundo programa que a IELB veiculou também foi regional, chamado "A Voz da Cruz" e exibido na RBS TV Cruz Alta, entre 1980 e 1984, sob direção de Valdo Weber.[156] Depois, foram exibidos programas de nome "Expectativa", com duração de aproximadamente 20 minutos, em emissoras locais de Vitória, Cascavel, Londrina e Dourados.[156] Na década de 1980, também foram veiculados por um ano os programas "Fé e Esperança" (Porto Alegre) e "Encontro" (Florianópolis).[156]

A participação da IELB em jornais e mídias de rádio também é bem restrita, restringindo-se principalmente à notícias quanto aos aniversários de fundação[157] e entrevistas do presidente.[158] Desde 6 de junho de 1947, é transmitido, na maioria das cidades com templos da IELB, o programa "Hora Luterana", com mensagens cristãs de duração aproximada de cinco minutos.[159]


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p Marquardt, Rony Ricardo. (Jan/Fev 2012). "A IELB em números". Mensageiro Luterano (1166): 40-41.
  2. a b Evangelical Lutheran Church of Brazil Concílio Luterano Internacional (ILC). Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  3. a b Origens da IELB Griep. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  4. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w Ricardo Willy Rieth. A IELB como uma igreja de migrantes Est.edu.br. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  5. a b c d O início da missão luterana no Brasil IELB. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  6. a b c d e IELB: 108 anos comunicando a Vida no Brasil Liga de Servas Luteranas do Brasil. Página visitada em 28 de novembro de 2013.
  7. Rony Ricardo Marquardt. (Jan/fev 2012). "Epifania, tempo de revelar ao mundo a boa notícia" (em português). Mensageiro Luterano (1.166): 40-41. Editoria Concórdia.
  8. André Doogers. Religião, identidade e segurança entre imigrantes luteranos da Pomerânia, no Espírito Santo (1880-2005) Scielo. Página visitada em 23 de janeiro de 2013.
  9. A Igreja Nacional - IELB CEL Cristo Redentor. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  10. Pastor Heinrich C. Schwan Project Wittenberg. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  11. A História da IELB Escolas Luteranas. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  12. História dos cursos de teologia no Rio Grande do Sul Google Books. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  13. A origem da IELB/IECLB Google Docs. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  14. A IELB - Sobre IELB. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  15. Rev. Christian J. Broders Find a Grave. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  16. Mário L. Rehfeldt. Um grão de mostarda (em Português). 1 ed. [S.l.]: Editora Concórdia, 2003.
  17. IELB (Identities) (em inglês) WorldCat. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  18. Igreja Evangélica Luterana do Brasil História Griep.com.br. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  19. A História da IELB Revista Enfoque. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  20. a b c Seminário Concórdia - IELB IELB. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  21. História da igreja luterana de Passo Fundo CEL Paz. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  22. 90 Anos da Linha do Salto IELB Videira. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  23. A Igreja Evangélica Luterana do Brasil em Guarapuava (1945-1973) UEPG. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  24. a b c d e f g h Editora Concórdia: A Editora Editora Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  25. História da IELB em São Paulo Colégio Luterano São Paulo. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  26. 77 Anos da JELB.. quem ganha o presente é você! Google Docs. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  27. a b c CASSOL, Daniel (21 de abril de 2013). Luteranos mantêm igreja só para negros há 85 anos no Sul Folha de São Paulo.
  28. a b c IELB: 100 anos Luterno. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  29. Luteranismo no Brasil (.pdf) PUC/RS. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  30. Waldyr Hoffmann. A presença da Igreja Evangélica Luterana do Brasil na região Nordeste. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  31. a b c d e Quem somos? LSLB. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  32. Luteranos em Portugal Paróquia Ebenezer. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  33. Cf. BERGER, Agenor. A Igreja Evangélica Luterana do Brasil e o regime militar (em Português). 1 ed. São LeopoldoEditora Concórdia, 1992.
  34. IELB celebra 40 anos em Rondônia Igreja Luterana. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  35. a b c Diretoria Nacional LLLB. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  36. a b c V Scholz. (1999). "Símbolos da IELB". ISSN 0103-779X. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  37. Amapá celebra 12 anos de luteranismo Igreja Luterana no Amapá. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  38. a b c d A IELB: História e Símbolos Igreja Evangélica Luterana do Brasil. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  39. Jacson L Muller. Jornal Informativo Boa Nova Google Docs. Página visitada em 28 de janeiro de 2013.
  40. a b IELB festeja centenário reunindo dez mil fiéis em culto festivo Jornal O Caminho. Página visitada em 28 de janeiro de 2013.
  41. a b Caravanas lotam a festa dos 100 anos da IELB Portal25. Página visitada em 28 de janeiro de 2013.
  42. História e Missão da IELB Comunidade Evangélica Luterana Cristo Porto Alegre. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  43. Reunião de pastores e missão evangelística Griep.com.br. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  44. O que cremos? WebArchive. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  45. Deus e o ser humano WebArchive. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  46. Conversão e Fé WebArchive. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  47. Reforma Luterana Mundo Educação. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  48. O Catecismo Menor de Lutero (em inglês) Book of Concord. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  49. O Catecismo Maior de Lutero (em inglês) Book of Concord. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  50. Confissões luteranas IELB. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  51. Hinário luterano (em inglês) Lutheran Hymnal. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  52. Resumo sobre as Igrejas Luteranas BrazilSite. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  53. a b Batismo - IELB IELB. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  54. a b O que cremos? Batismo WebArchive. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  55. «Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo» (Mateus 28:19)
  56. Santa Ceia - IELB IELB. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  57. Ministério Pastoral e Santa Ceia WebArchive. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  58. «Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão, e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim» (Mateus 26:26-28)
  59. Credos Ecumênicos da IELB WebArchive. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  60. a b c Credos da IELB IELB. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  61. Credo de Atanásio Wikisource. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  62. «Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra» (Efésios 2:20)
  63. «Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei: Aquele que for irrepreensível, marido de uma mulher, que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução nem são desobedientes. Porque convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância» (Tito 1:5-7)
  64. Ministério Pastoral IELB. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  65. a b Diretrizes Teológicas e Práticas da Mordomia Cristã Google Cache. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  66. É chegada a festa da colheita! IELB/Linho Erechim. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  67. Posição sobre a união homossexual Egon Kopereck. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  68. Lutherans to allow pastors in gay relationships (em inglês) Agência Reuters. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  69. Manifestação da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) Prazer da Palavra. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  70. IELB condena o homossexualismo e rejeita a discriminação Unisinos. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  71. O que ensinam os luteranos IELB. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  72. A expressão Pura e Santa Virgem Maria empregada nos Artigos de Esmalcalde IELB. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  73. Ministério Pastoral da Igreja IELB. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  74. Maçonaria x Igreja Cristã IELB. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  75. «Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa.» (Gálatas 3:26-29)
  76. «Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.» (Efésios 5:23)
  77. «Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. […] Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação.» (1° Timóteo 2:12)
  78. «E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores.» (Efésios 4:11)
  79. A mulher na igreja IELB. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  80. IELB e o Luteranismo Griep.com.br. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  81. Matrimônio, Família e Sexualidade Humana - Proposta de Diretrizes e Procedimentos para um Diálogo Respeitoso Federação Luterana Mundial. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  82. http://www.lutheranworld.org/lwf/index.php/who-we-are/people/member-directory Federação Luterana Mundial. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  83. Brazil: Lutheran Church Refuses to Ordain Homosexuals Federação Luterana Mundial. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  84. Igrejas Luteranas no Brasil Lutero.com.br. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  85. A história da IECLB Paróquia Matriz. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  86. a b Protestantismo: é tempo de refletir. Entrevista especial com Cláudio Kupka, Martin Dreher e Walter Altmann Uol. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  87. 2ª Conferência Nacional Interluterana IELB-IECLB Lutero.com.br. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  88. IECLB: há 30 anos ordenando mulheres IECLB. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  89. Conferência Nacional Interluterana IELB-IECLB Lutero.com.br. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  90. Convênio de Cooperação IELB/IECLB IELB. Página visitada em 30 de janeiro de 2013.
  91. (1991) "Mensageiro Luterano edição/maio" p. 5.
  92. Logomarca da IELB Teofilos. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  93. Rosa de Lutero WebArchive. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  94. Significado da Rosa de Lutero Luteranos. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  95. IELB Planning 2010 Google Docs. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  96. Quem somos - IELB IELB. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  97. Luteranos no Brasil WebArchive. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  98. JELB Presente nos 40 anos da IELB em Rondônia Juventude Evangélica Luterana do Brasil. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  99. Presidente da IELB visita CCJ e Diaconia Diaconia Joomla. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  100. Localização do Seminário Concórdia Seminário Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  101. Administração do Seminário Concórdia Seminário Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  102. Escola Superior de Teologia de São Paulo Seminário Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  103. Congregação Evangélica Luterana Cristo Formatto. Página visitada em 26 de janeiro de 2013. "O estagiário Airton Jair Glitz, proveniente da Escola Superior de Teologia de São Paulo-SP, chega em fevereiro de 1996 para trabalhar em nosso meio até fevereiro de 1997."
  104. a b c d e Histórico do Seminário Concórdia Seminário Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  105. a b Convênio IELB-Ulbra Seminário Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  106. a b Seminário Concórdia e a IELB IELB. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  107. Conheça o Seminário Concórdia Igreja Luterana.org.br. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  108. Informações gerais Seminário Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  109. Sobre a ULBRA Universidade Luterana do Brasil. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  110. http://www.ulbratv.com.br/
  111. http://www.poprock.com.br/
  112. Mantenedora da ULBRA ULBRA. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  113. Bibliotecas da ULBRA ULBRA. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  114. Ulbra busca em Brasília solução para crise financeira Zero Hora. Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  115. Becker teria desviado mais do que R$ 63 milhões da Ulbra, diz PF Diário de Canoas (10 de dezembro de 2009). Página visitada em 21 de abril de 2013.
  116. PF indicia reitor da Ulbra por falsidade ideológica UOL. Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  117. http://www.diariodecanoas.com.br/estimulo/454081/ulbra-confirma-adesao-ao-proies-com-oferta-de-49-mil-bolsas.html
  118. http://www.ulbra.br/santamaria/fisioterapia-recebe-nota-4-do-mec/
  119. http://www.ulbraitumbiara.com.br/noticias/ulbra-entre-as-6-melhores-do-brasil/
  120. http://www.kpmg.com/BR/PT/Estudos_Analises/artigosepublicacoes/Documents/Business-Magazine/BM20/BM20-Ulbra.pdf
  121. IELB celebra 108 anos de fundação ULBRA. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  122. Projeto Líder de Louvor participa do 43º Congressão da JELB ULBRA. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  123. http://noticias.gospelmais.com.br/transmissao-de-culto-pela-teve-marca-104-anos-de-fundacao-da-ielb.html
  124. http://www.celsp.com.br/wordpress/?p=1437
  125. Editora Concórdia: JELB Editora Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  126. Área Nacional de Igrejas Luteranas Escolas Luteranas. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  127. Mensageiro Luterano Editora Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  128. Mensageiro Luterano: Assinatura Anual Editora Concórdia. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  129. Editora Concórdia: Livros em Acervo Relativa.com.br. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  130. a b c Diretoria Nacional da IELB IELB. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  131. Desinstalação do Pastor Kopereck Comunidade Evangélica Luterana São Paulo. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  132. Pastor Kopereck: blog oficial Egon Kopereck. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  133. Processo Eleitoral IELB Google Docs. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  134. A Relevância da Escola Dominical PortalFiel. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  135. a b Educação Cristã WebArchive. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  136. Educadores da IELB recebem treinamento Rede Princesa. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  137. Quem somos? Congregação Castelo Forte Portal Luterano. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  138. a b JELB Juventude Evangélica Luterana do Brasil. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  139. O novo presidente da JELB passou por aqui Hora Luterana. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  140. a b História da JELB JELB. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  141. Congressão da JELB: Detalhes! JELB. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  142. IELB organiza congresso nacional de jovens em Foz do Iguaçu Click Foz do Iguaçu. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  143. Atrações do Congressão JELG GramadoSite. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  144. O que somos? LLLB. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  145. a b c História LLLB. Página visitada em 24 de janeiro de 2013.
  146. XX Congresso Nacional de Leigos LLLB. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  147. Diretoria Nacional LSLB. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  148. Crônicas da Igreja (em Português). [S.l.]: Editora Concórdia, 1979. p. 208. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  149. Inscrições para o 26º Congresso Nacional da LSLB LSLB. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  150. Comunicação entre as servas LSLB. Página visitada em 25 de janeiro de 2013.
  151. Advogado faz trabalho de capelania carcerária IELB. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  152. Educação na IELB Griep.com.br. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  153. IELB TV Facebook. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  154. Programação Ulbra TV. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  155. Grade de Programação da ULBRA TV Ulbra TV. Página visitada em 27 de janeiro de 2013.
  156. a b c d Evangelização na mídia Scribd (1). Página visitada em 28 de janeiro de 2013.
  157. IELB completa 106 anos ClicRBS. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  158. Pastor Egon Kopereck dá entrevista ao TV Tribuna/SBT Portal Capixaba. Página visitada em 26 de janeiro de 2013.
  159. Cinco minutos com Jesus Hora Luterana. Página visitada em 28 de janeiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]