Igreja Batista Regular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A Igreja Batista Regular é uma denominação Cristã, de orientação batista mais conservadora e fundamentalista.

História[editar | editar código-fonte]

O movimento Batista Regular, foi organizado em 1932 quando foi fundada a General Association of Regular Baptist Churches (GARBC) por batistas que se separaram da Convenção Batista do Norte, dos Estados Unidos, liderados por Howard C. Fulton. A separação deu-se devido ao liberalismo teológico que solapou as bases de todas as denominações daquele país.

No Brasil, o movimento chegou à região nordeste em 1935 e 1936 com os missionários William A. Ross e Edward Guy McLain respectivamente. MacLain ao chegar ao Brasil se instalou em Juazeiro do Norte / CE, onde se deu inicio a 1ª. Igreja Batista Regular no Brasil. E, no Nordeste, através dos missionários Carleton e Adelaide Mateus em 1932, na cidade de São José de Mipibu no estado do Rio Grande do Norte.

A sua doutrina é bem mais conservadora e tradicional do que a de outros batistas, pois são fundamentalistas e separatistas. Seguem uma orientação que pode ser identificada à doutrina reformada. Os calvinistas representam uma vertente predominante no movimento. São pré-milenistas dispensacionalistase rejeitam o pentecostalismo, o ecumenismo e qualquer de suas expressões.

Hoje contam com 700 congregações arroladas à AIBREB (mas muitas congregações não participam desta associação);várias missões e associações,5 seminários, uma editora de Literatura Cristã (Editora Batista Regular) e outra de música (Voz de Melodia) e vários acampamentos,ressaltando também várias obras oficiais de assistência social. Com destaque de sua presença marcante, quanto ao restante do país, os campos do Rio Grande do Norte, Ceará, São Paulo,Amazonas,Pará,Paraíba e Roraima.

Organização[editar | editar código-fonte]

Os batistas regulares preservam o princípio histórico dos batistas quanto a autonomia da igreja local. Estas igrejas reúnem-se para comunhão através de associações estaduais, e estas representam-se nacionalmente por meio da Associação de Igrejas Batistas Regulares do Brasil (AIBREB). Como expressão de um movimento, esse grupo considera que para ser uma igreja batista regular não é necessário estar ligado a qualquer associação, desde que mantenham os distintivos históricos dos batistas, sejam conservadoras, fundamentalistas, e preservem a mesma doutrina e prática. Entretanto, qualquer igreja só pode associar-se a AIBREB se estiver ligada a uma das associações estaduais.

Fundamentalismo[editar | editar código-fonte]

Apesar do desgaste no termo na modernidade propagado pela mídia devido ao terrorismo islâmico, eles insistem em manter o termo considerando outros movimentos absolutistas e totalitários como pseudo-fundamentalismo ou neo-fundamentalismo.

Por fundamentalistas eles simplesmente querem dizer que crêem no que a bíblia diz, como:

  1. a inspiração verbal e plenária das Escrituras;
  2. o nascimento virginal de Cristo;
  3. a crença no sobrenatural, ou seja, nos milagres da Bíblia;
  4. a morte vicária e substitucionária de Jesus;
  5. o seu retorno pessoal e iminente.

Distintivos Batistas[editar | editar código-fonte]

Normalmente, para expor seus distintivos de forma didática, eles os expressam pelo seguinte acróstico: BATISTAS.

  • Bíblia como única regra de fé e prática.
  • Autoridade de Cristo como o Cabeça da Igreja.
  • Trabalho dividido em dois ofícios: pastores e diáconos.
  • Imersão (batismo) e Ceia: as duas ordenanças.
  • Sacerdócio individual de cada crente.
  • Todos os membros regenerados e batizados.
  • Autonomia da igreja local.
  • Separação entre a Igreja e o Estado, e da heresia.

Práticas[editar | editar código-fonte]

Usam piano e alguns instrumentos de sopro e corda. Nos cultos existe reverência e não se aceitam danças (coreografia), nem grupos de louvor dirigindo a parte de adoração na Igreja, em grande maioria das congregações. A maquiagem não é proibida, mas recomenda-se o bom senso para evitar exageros. Jovens não praticam o culto a tatuagens, piercings e mutilação corporal. Ensinam a castidade, os jovens devem guardar-se até o matrimônio, todos os membros que andem afastados devido algum pecado sofrem a disciplina da comunidade (Igreja) caso infrinjam a Lei de Deus. Proíbem também o casamento entre crentes e não crentes e com Testemunhas de Jeová e membros de religiões como o mormonismo e adventismo. Os homens devem se posicionar como líderes da família, tanto no aspecto espiritual como no secular. Abominam o divórcio e o novo casamento, exceto por morte do cônjuge. Algumas igrejas batistas regulares não aceitam divorciados como membros da igreja local, em outras os divorciados como membros são limitados e não podem se tornar pastores ou diáconos.

Organizações[editar | editar código-fonte]

Para as Igrejas Batistas Regulares Fundamentalistas existe a UBREF (União de Homens Batistas Regulares Fundamentalistas), e também existe um grupo de Igrejas que pregam a separação das Igrejas Batistas Regulares que não são fundamentalistas na prática, que hoje já não se separam mais.

A UBF é a União Bíblica Fundamentalista, que busca congregar líderes batistas fundamentalistas de outros movimentos. Entretanto, os batistas regulares são a maioria nesta organização.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]