Convenção Batista Nacional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Convenção Batista Nacional
Classificação Protestante
Orientação Evangélica, Pentecostal
Política Congregacional e Cooperativista[1] .
Associações Aliança Batista Mundial
Fundador Vários batistas dissidentes da CBB.
Origem 1965
Niterói, Rio de Janeiro, Brasil
Separado de Convenção Batista Brasileira

Convenção Batista Nacional formou-se a partir de um grupo de 52 Igrejas Batistas no Brasil, principalmente de Minas Gerais, congregadas em janeiro de 1965, que aceitaram a doutrina pentecostal dos dons do Espírito Santo em sua liturgia.

O surgimento do grupo que daria origem à Convenção Batista Nacional deu-se oficialmente, em janeiro de 1965, na cidade de Niterói. A Convenção Batista Brasileira excluíra cerca de 32 igrejas de sua filiação, em 1966 o número de igrejas desligadas chegou a 52.

Inicialmente criou-se a Ação Missionária Evangélica (AME), somente em 16 de setembro de 1967 a AME passou a se chamar Convenção Batista Nacional, por ocasião da primeira Assembléia Geral, realizada na Igreja Batista da Lagoinha.

A Convenção Batista Nacional, além de representar centenas de igrejas batistas no Brasil, também é responsável pela organização de vários seminários teológicos, de adoração e de interceção espiritual.

Doutrina[editar | editar código-fonte]

Crença no Batismo Adulto por imersão, assim como os anabatistas, eles creem que o batismo seja uma ordenança para as pessoas adultas (ordenança, para os batistas, é diferente de sacramento: deve ser obedecida, mas é apenas ato simbólico e não obrigatório para salvação), que deve ser respeitada a menos que o indivíduo não tenha oportunidade de ser batizado. A diferença em relação aos anabatistas, é que os batistas praticam o batismo por imersão.

Celebração das ordenanças do batismo e também da ceia memorial (não-sacramental), repetindo o gesto de Cristo e os apóstolos ("fazei isso em memória de mim") partilhando-se o pão e o vinho entre todos os membros da Congregação.

Autonomia das Igrejas locais - como os batistas originaram do Congregacionalismo, enfatizam a autonomia total das comunidades locais, que podem agrupar-se em convenções. A exceção são os Batistas Reformados, que originaram do Presbiterianismo calvinista e dos Batistas Episcopais, que surgiram de missões anglicanas no Zaire.

Organizacionalmente, a maior parte das igrejas batistas opera no sistema de governo Congregacional, isto é, cada igreja batista local possui autonomia administrativa, regida sob o regime de assembleias de caráter democrático. Entretanto, a grande maioria das igrejas batistas associa-se às convenções, que são, na verdade, associações de igrejas batistas que procuram auxiliar umas as outras.

Missões[editar | editar código-fonte]

Junta Administrativa de Missões - JAMI – é a agência missionária transcultural da Convenção Batista Nacional fundada em janeiro de 1995. É uma organização religiosa, missionária, filantrópica, sem fins lucrativos, com sede em Belo Horizonte-MG.

A JAMI tem como missão conscientizar, promover, apoiar e coordenar a visão missionária transcultural das igrejas batistas nacionais: recrutando, treinando, orientando e enviando missionários para fazer discípulos de Jesus Cristo entre as nações.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]