Philippe Van Parijs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Philippe Van Parijs

Philippe Van Parijs (Bruxelas, 23 de maio de 1951) é um filósofo e economista político belga, conhecido como proponente e principal defensor do conceito da renda mínima.

Philippe Van Parijs estudou filosofia, direito, economia política, sociologia e lingüística na Universidade de Saint Louis, em Bruxelas, e nas universidades de Louvain, Oxford, Bielefeld e California (Berkeley). Possui doutorados em ciências sociais (Louvain, 1977) e filosofia (Oxford, 1980).

É professor da Faculdade de Ciências Econômicas, Políticas e Sociais da Universidade Católica de Louvain (UCL), onde dirige a Cátedra Hoover de ética econômica e social desde sua criação em 1991. É também professor visitante na Universidade de Harvard desde 2004, e no Instituto KuLeuven de Filosofia desde 2006.

Trabalhou ainda como professor visitante em diversas universidades de todo o mundo, tais como as de Amsterdã, Manchester, Siena e Quebec (Montreal), a Academia Russa de Ciências, a Academia de Ciências Sociais da China, a Universidade Autônoma de Barcelona, a École Normale Supérieure em Paris e a Universidade Federal do Rio de Janeiro.

É um dos fundadores do BIEN (Basic Income European Network - Rede Européia da Renda Básica), que, a partir de 2004, passou a se chamar Basic Income Earth Network (Rede Mundial da Renda Básica) e da qual é presidente. Coordena o Fórum Ético da Fondation Universitaire belga. É membro da Academia Real de Ciências da Bélgica, Academia Real de Artes da Bélgica, Instituto Internacional de Filosofia, Academia Européia de Artes e Ciências e da Academia Britânica. Em 2001, recebeu o Francqui, o mais conceituado prêmio científico belga.

Obra[editar | editar código-fonte]

No seu livro "In Real Freedom for All: What (if anything) can justify capitalism?" (1995) Parijs advoga tanto a justiça como a factibilidade de um programa universal de renda mínima. Para ele, tal programa permitiria uma real liberdade de escolha. A distribuição de renda poderia ser atingida através da taxação do luxo e dos altos rendimentos, possibilitanto assim a todos uma vida digna e livre das amarras naturais.

Outro aspecto do trabalho de Van Parijs é a análise econômica na comunicação lingüística. Para compensar os gastos de ensino e tradução de línguas minoritárias, os países que as possuam deveriam receber auxílio econômico através de uma "taxa sobre a língua" a ser paga por aqueles países que utilizem línguas majoritárias, já que estes não têm o mesmo tipo de despesas lingüísticas.

A obra de Van Parijs é muitas vezes associada ao Grupo Setembro de marxismo analítico, apesar de ele mesmo não se considerar um marxista

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Evolutionary Explanation in the Social Sciences (1981)
  • Le Modèle économique et ses rivaux (1990)
  • Qu'est-ce qu'une société juste? (1991)
  • Marxism Recycled (1993)
  • Real Freedom for All (1995)
  • Sauver la solidarité (1995)
  • Refonder la solidarité (1996)
  • Solidariteit voor de XXIste eeuw (1997)
  • Ethique économique et sociale (2000, com C. Arnsperger)
  • What's Wrong with a Free Lunch? (2001)
  • Hacia una concepción de la justicia global (2002)
  • L'Allocation universelle (2005, com Y. Vanderborght)
  • Cultural Diversity versus Economic Solidarity (como editor, 2004)
  • Linguistic Justice for Europe and for the World (em andamento)

Ver também[editar | editar código-fonte]