Placenta prévia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde maio de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Placenta prévia é uma complicação obstétrica na qual a placenta está fixada à parede uterina cobrindo parcial ou totalmente o cérvice uterino.

A placenta fica implantada, inteira ou parcialmente, no segmento inferior do útero, a partir da 22.ª semana degestação.

Tipos de placenta prévia[editar | editar código-fonte]

Descrevem-se três tipos de placenta prévia, de acordo com a localização placentária, em relação ao orifício interno do colo: •Total: quando recobre toda a área do orifício interno; •Parcial: quando o faz parcialmente; •Marginal: quando a margem placentária atinge a borda do orifício interno, sem ultrapassá-lo.

Etiopatogenia[editar | editar código-fonte]

A placenta prévia incide em 0,5 a 1,0% das gestações sendo que ocorre com maior freqüência nas multíparas (1:20) e em gestante com idade mais avançada. Outros fatores predisponentes são: história de abortamento, cesarianas, prenhezes gemelar e malformações fetais. O ovo fixado originalmente na zona corporal, se expande em busca de elementos nutritivos, assim alcançando a região ístmica. Quando as vilosidades entram em contato com a decidua capsular, elas não se atrofiam como era de se esperar, e ao invés disso se encorporam ao cório frondoso. Essa implantação secundária explica a grande incidencia de placentas do tipo membranoso e a também a inserção velamentosa do cordão.

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

O diagnóstico é clínico e ultra-sonográfico. Clinicamente, pela anamnese, é relatada perda sanguínea por via vaginal, indolor, súbita, de cor vermelho-viva, em geral de pequena quantidade. É episódica, recorrente e progressiva. O exame obstétrico revela volume e tono uterinos normais. Habitualmente, os batimentos cardíacos fetais estão mantidos. A ultra-sonografia confirma o diagnóstico e a localização placentária. Quando o exame ultra-sonográfico não é possível, o toque não deve ser realizado (precavendo-se contra eventual perda sanguínea placentária maciça) e, de preferência, em ambiente com recursos cirúrgicos.

Condutas a serem tomadas[editar | editar código-fonte]

A conduta depende dos seguintes parâmetros: tipo de localização placentária, volume de sangramento, idade gestacional e condições de vitalidade fetal. A via de parto dependerá, além das condições maternas, do tipo de placenta prévia. Nas marginais, a via preferencial é a vaginal. Para as totais a indicação de cesariana, com feto vivo ou morto. Para as parciais, há indicação de cesariana. Suas complicações podem ser: morte fetal por hipóxia, hemorragia no momento do toque e hemorragia pós-parto.


Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.