Ruptura prematura de membranas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ruptura prematura de membranas anteriormente conhecida como Amniorexe prematura, esta relacionado ao trabalho de parto prematuro. A ruptura prematura de membranas (RPM) é um transtorno que acontece na gravidez quando o saco amniótico rasga-se mais de uma hora antes do início do trabalho de parto. Uma RPM é prolongada quando se produz mais de 18 horas antes do parto. A ruptura de membranas é prematura quando tem lugar antes do primeiro período do parto ou período de dilatação. A ruptura prematura de membranas é causada geralmente por uma infecção bacteriana, por tabaquismo ou por um defeito na estrutura do saco amniótico, o útero ou o cervix, e também por relações sexuais e presença de dispositivos intra-uterinos (DIU). Foi encontrada uma associação entre estados emocionais de medo em uma população e ruptura prematura de membranas.[1]

Em alguns casos, a ruptura pode ser reparada espontaneamente, mas na maioria dos casos de RPM, o trabalho de parto começa dentro das seguintes 48 horas. Quando isso acontece é necessário que a mãe receba um tratamento para evitar uma possível infecção no recém-nascido.

Referências

  1. Santos-Leal, Emilio; Vidart Aragon JA, Coronado-Martin P, Herraiz-Martinez MA, Odent MR. (dezembro 2006). "Premature Rupture of Membranes and Madrid Terrorist Attack". Birth 33: 341 pp..
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.