Rio Ibicuí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rio Ibicuí
Comprimento 290 km
Foz Rio Uruguai
Afluentes
principais
Rio Ibicuí-Mirim e Rio Santa Maria
País(es)  Brasil
País(es) da
bacia hidrográfica
Brasil e Argentina

O rio Ibicuí é um rio brasileiro localizado no estado do  Rio Grande do Sul.

É um afluente do rio Uruguai, que dali vai à Bacia Platina e, daí, por seqüência, ao Oceano Atlântico, no Oeste do Rio Grande do Sul.

Ibicuí significa terra de areia na língua Tupi-Guarani. O Ibicuí é um rio com 290 km de extensão, que separa, entre outras, as cidades de Uruguaiana de Itaqui. É formado pela junção do Rio Ibicuí-Mirim, cuja foz fica em Cacequi, e pelo rio Santa Maria, mas ao longo do curso recebe também a contribuição dos rios Toropi, Jaguari e Ibirapuitã. É o maior afluente do rio Uruguai, com uma vazão anual média variando de 900 a 1000 metros cúbicos por segundo (terceira maior do RS). Sua bacia abrange 30 municípios, drenando uma área aproximada de 35.439 km².

Ponte Gen. Osório- Manoel Viana/RS

O Rio se caracteriza pelas excelentes praias fluviais criadas, com suas belas areias brancas, muito finas, que possibilitam um recurso muito importante no quesito entretenimento. Junto a isto soma-se a possibilidade de pescarias emocionantes. Apresenta em grande parte uma topografia de margens baixas e fundo arenoso, o que na época das chuvas gera problemas de alagamentos ao longo de seu curso.

O uso recreativo das águas é intenso nesta bacia, existindo diversos balneários públicos espalhados pela bacia, a FEPAM, através do Projeto Balneabilidade[1] , monitora anualmente diversos destes balneários.

Por outro lado, a extensa captação de água para agricultura e pecuária, juntamente com a extração de areia, modificam constantemente o leito do rio, o que o torna extremamente frágil dentro de um ecossistema muito delicado, pois associado a isto existe o consumo desordenado de agrotóxicos, que poluem suas águas em determinados trechos. Embora a conscientização sobre sua preservação seja uma demanda forte de escolas e órgãos públicos, ainda há problemas que o deixam na mira, como um dos rios mais frágeis do estado.

Devido a sua navegabilidade durante as cheias, já foi alvo de diversos estudos como meio de transporte para escoamento da produção entre a Fronteira Oeste às regiões centrais do estado, mas devido a efetivação de políticas públicas não foi avante. A Fepam junto com a Marinha do Brasil, realiza uma forte fiscalização durante a época da piracema, preservando o rio da pesca predatória, a fim de manter o sustento de muitas comunidades de pescadores que sobrevivem exclusivamente desta atividade.[2] Um comitê para gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Ibicui foi criado em 8 de julho de 2000, pelo Decreto Estadual Nr 40.226, onde uma das finalidades é proteger e monitorar e proteger o ecossistema a ele associado.

Bacia Hidrográfica do Rio Uruguai[editar | editar código-fonte]

O Rio Ibicui é o principal contribuinte desta bacia com uma disponibilidade estimada de 67.613,67 m³/hab/ano, composto de duas sub-bacias (Santa Maria : 52.476,52 m³/hab/ano, com uma vazão média de 310,13m³/seg e do Uruguai 3 : 78.716,59 m³/hab/ano, vazão média de 644,23m³/seg)[3]

Referências

  1. É o monitoramento da qualidade das águas dos balneários e praias do Estado realizado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental, tendo como base legal a Resolução nº 274 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA),que classifica a água como imprópria para banho quando está contaminada por bactérias.
  2. http://www.fepam.rs.gov.br/qualidade/bacia_uru_ibicui.asp
  3. Plano de Águas do Brasil- Secretaria de Recursos Hídricos/Ministério do Meio Ambiente -2007 CD Institucional

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Hidrografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Rio Ibicuí