Sanchin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sanchin
Sanchin.svg

Grafia
Kanji 三戦
Hiragana サンチン
Informações gerais
Classe Kata
Data de criação 1883
Local(is) de origem  Ryukyu
Estilo(s) original(is) Naha-te
Estilo(s) praticante(s)
Karate icon.svg

Sanchin (em japonês: 三戦) é um kata tradicional do karatê, bastante vetusto na ilha de Okinawa e comum a vários estilos de karatê oriundos daquela região. Sua origem, contudo, pode ser buscada nas artes marciais internas do Sul da China, nomeadamente da região de Fukien. Trata-se de um Kata poderoso, que trabalha toda a musculatura corporal, devido à base homônima, sanchin dashi.[1]

A principal diferença entre a forma moderna e as chinesas é que é executado com respiração sonora (ibuki). Propicia-se à execução de testes de quebramento ao invés, em que é o corpo o receptor da pancada, normalmente com ripas de madeira de pinho quadradas ou redondas de várias espessuras, provocando a ruptura destas. É um Kata típico do estilo goju-ryu, mas comum a todos os estilos duros e antigos de naha-te da ilha de Okinawa, como o uechi-ryu, o shorin-ryu ou o shorei-ryu. Recentemente, dada a importância deste Kata nos benefícios para a saúde humana, uma vez que é executado de princípio ao fim com contracção muscular de todo o corpo, provocando assim o aumento da irrigação sanguínea em todos os vasos e artérias, tem vindo a ser adoptado por outros estilos de karatê.[2]

História[editar | editar código-fonte]

O kata, segundo maioria de opiniões, teve sua gênese ao sul da China, o que eventualmente se atesta por que algumas versões de kata ainda são encontradas lá e, bem assim, em Formosa. Ademais, como sucede com a maioria das histórias relacionadas às artes marciais tradicionais «koryu», entre elas o karatê, há parcos registros escritos, no entanto, o kata Sanchin é mencionado no Bubishi, indicando que existe há pelo menos 150 ou duzentos anos.

Ainda em China, muitos estilos sulistas adotaram variantes do kata como sua base, pero é com o estilo da Garça Branca, ou Hakutsuru (em japonês: 白鶴), que ocorre a maior associação. Sua finalidade dentro dos referidos estilos era conformar no lutador um princípio harmônico de energia de base, velocidade, força, o qual serviria de espeque a todo o desenvolvimento da arte marcial. Ao contrário das versões hodiernas das escolas karatê, o Sanchin era executado velozmente, com alto graus de penetração e num ritmo único e célere de respiração.

Em verdade, não se sabe precisamente quem foi o primeiro a treinar e/ou ensinar o kata em Okinawa. Sabe-se, contudo, que o mestre Higaonna já praticava uma variante, antes de empreender viagem até a China. A forma era entonces executada com as mãos abertas e a respiração era natural e fluída. Por fim, o mestre aplicou a mudança de punhos abertos para cerrados. E o mestre Miyagi inclui na execução do kata a respiração sonora.[3]

ObS: Vou editar sem mexer no texto original. Falar da evolução do Karate e não falar do Estilo Shorin Ryu é a mesma coisa que não falar da verdadeira história do Karate. A criação do Karate se confunde com o Estilo Shorin Ryu criado por Matsumara e melhor organizado por Choshin Chibana. É importante que aqui se faça essa ressalva. Logo essa árvore genealógica abaixo não estará correta se nela não constar as escolas Naha-Te, Shuri-Te e Tomari-te, que foram unidas por Matsumara e criado o estilo Shorin.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

 
 
 
 
 
 
 
 
Naha-te
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Shorei-ryu
 
 
 
 
Uechi-ryu
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Shotokan
 
 
Shito-ryu
 
Goju-ryu
 
Isshin-ryu
 
Kenyu-ryu
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Kyokushin

Variantes[editar | editar código-fonte]

O kata desde sua importação sofreu muitas mudanças, tudo variando conforme a filosofia e entendimento de uma escola ou de um mestre. Nesta cércea foi que o kata que o mestre Kanryo Higaonna levou até Okinawa após a sua estadia em Fuchou.

Goju-ryu[editar | editar código-fonte]

Algum tempo depois da morte de Sensei Higaonna, um de seus mais proficientes alunos, Chojun Miyagi procedeu a revisão e reforma de modo bastante significativo, no firo de adaptar ao intento de seu estilo em que se faz um balanço entre os aspectos rijo e suave da arte. Foi assim que a forma ensina pelo velho mestre, que era rápido e explosivo e tinha giros de 180°, passou para uma versão mais lenta, com a tensão total do corpo e respiração profunda abdominal forte. O embusen também foi simplificado.[4]

Sendo praticado de forma muito lenta (ainda mais se comparada às aplicações), surgiram dúvidas se o mestre Miyagi tinha a intenção de construir o kata como forma de criar tão-somente um exercício físico, uma forma de condicionamento. Assim o sensei retrucava, dizendo ser um sistema de combate poderoso e fonte de grande miríade de aplicações em kumite. Tanto é que, por exemplo, a introdução de sua base típica (e homônima) com posicionamento das pernas com as coxas rentes e fechamento da pélvis para cima, proporciona proteção para muitos dos órgãos mais vulneráveis áreas vitais.

Uechi-ryu[editar | editar código-fonte]

A variante do estilo uechi-ryu é ligeiramente mais fluída e mais próxima da forma original de Okinawa, e representa um dos pilares da linhagem.[3]

Sanchin shime[editar | editar código-fonte]

Sanchin shime (三戦 締め?) é a prática de se testar postura, resistência e também a concentração dum karateca. Enquanto se executa o kata, são desferidos golpes contra certas partes do corpo do praticante ao fim de cada kyodo, ou seja, na base o lutador desfere um soco e exatamente no fim desse movimento é feita a verificação, quando o praticante estará em sua maior tensão. Todavia, o grau de tensão aplicada nos golpes contra o karateca vai-se modificando conforme as habilidades dele, sob pena de se tornar ineficaz ou até prejudicar o aperfeiçoamento.[5]

No estilo goju-ryu usam-se os seguintes testes:[6]

  • Palmadas de fracas a fortes sobre os ombros. Isto verifica se os ombros estão naturais ou ainda tensos.
  • Pancadas de fracas a fortes contra as costas. Isto verifica se tal musculatura está firme. A leve retenção dos cotovelos também checam se o lutador permanece na postura correta e empregando toda a energia nos socos e pancadas desferidas.
  • Verificação das pernas. De trás, dando palmadas nas laterais dos joelhos, para assegurar se a base está solida.
  • Pressão dos dedos atrás da nuca. Tem o escopo de promover o acerto da postura.
  • Verificação da tensão de pélvis e virilha. Por trás ou pela frente, com uma pancada ascendente. Se o karateca estiver na base correta, conseguirá bloquear o golpe entre as pernas.
  • Verificação da respiração. Com golpes de fracos a fortes no estômago, isto checa se o ibuki está correto.
  • Verificação da concentração do lutador. Com o examinador (isto é, quem executa o shime) desferindo ataques sem uma padrão definido, totalmente aleatório, consegue-se testar se o karateca consegue antecipar os golpes contra si, se ele está focado na forma de per se e não nos ataques.
  • Verificação de postura. Isto é feito segurando-se os pulsos do lutador, que deverá estar com as mãos abertas, e guiando os golpes enquanto se opõe resistência.

No estilo Uechi-ryu, o karateca para um movimento numa sequência de testes efetuados logo após. Também se faz o teste por meio de golpes circulares diretamente nos membros superiores e inferiores. Nas outras escolas tradicionais, a aplicação de sanchin shime varia bastante, todavia não se submetem as mulheres ao shime com golpes diretos, principalmente por motivos de a anatomia pélvica não favorecer.

Referências

  1. Kris Wilder (14.set.2011).

    Você deve especificar url = ao usar a
    Predefinição:Citar web. Parâmetros disponíveis:

    {{citar web
    |url =             |ano =
    |titulo =          |mes =
    |acessodata =      |formato =
    |acessodiames =    |obra =
    |acessomesdia =    |publicado =
    |acessoano =       |paginas =
    |autor =           |lingua =
    |ultimo =          |doi =
    |primeiro =        |arquivourl =
    |autorlink =       |arquivodata =
    |coautores =       |citacao =
    |data =
    }}
    
    (PDF) (em inglês) http://ymaa.com/. Cópia arquivada em 4.abr.2007.
  2. Sanchin Kata by Sensei Donnelly (em inglês) YMAA Publication Center. Página visitada em 20.set.2010.
  3. a b SANCHIN Kata in KENPO KARATE - la Raiden Dojo Bucuresti (em romeno). Página visitada em 24 de Fevereiro de 2011.
  4. Karate - Kata (em inglês). Página visitada em 20 de Setembro de 2010.
  5. Sanchin shime « Okinawa Goju Ryu UK (em inglês). Página visitada em 24 de Fevereiro de 2011.
  6. Van Wyk, Karen. Sanchin (em inglês). [S.l.]: Create Space, 2009. p. 215. ISBN 1441463534

Predefinição:Esboço-karatê