Hachiko: A Dog's Story

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sempre ao Seu Lado)
Ir para: navegação, pesquisa
Hachiko: A Dog's Story
Hachiko - Amigo para Sempre (PT)
Sempre Ao Seu Lado (BR)
 Estados Unidos
 Japão

2009 • cor • 93 min 
Direção Lasse Hallström
Produção Richard Gere
Bill Johnson
Vicki Shigekuni Wong
Roteiro Stephen P. Lindse
Elenco Richard Gere
Joan Allen
Sarah Roemer
Jason Alexander
Género drama
Idioma inglês
japonês
Edição Kristina Boden
Distribuição Estados Unidos Stage 6 Films
Brasil Imagem Filmes
Lançamento Estados Unidos 13 de junho de 2009
Brasil 25 de dezembro de 2009
Portugal 30 de setembro de 2010
Orçamento US$ 16 milhões
Receita US$ 46.671.235

Hachiko: A Dog's Story (Sempre ao Seu Lado (título no Brasil) ou Hachiko - Amigo para Sempre (título em Portugal)) é um filme de drama norte-americano de 2009, com roteiro baseado em uma história verdadeira de um cão japonês chamado Hachikō. O filme é um remake do original japonês, de 1987, Hachiko monogatari. É dirigido por Lasse Hallström, escrito por Stephen P. Lindsey e estrelado por Richard Gere, Joan Allen e Sarah Roemer.

A sua estréia no Japão foi em 8 de agosto de 2009.[1] Nos Estados Unidos, o filme foi exibido no dia 13 e 14 de junho, no Seattle International Film Festival, e foi lançado diretamente em DVD no dia 9 de março de 2010, devido a problemas financeiros da empresa de distribuição americana.

No Brasil o filme foi distribuído pela Imagem Filmes no Natal, dia 25 de dezembro de 2009. Teve sua pré-estréia no Brasil no dia 29 de setembro de 2009, sendo um dos filmes do Festival do Rio.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Baseado em uma história verdadeira do Japão, Hachiko Monogatari ハチ公 物語 (literalmente "A História de Hachiko") é um filme muito comovente sobre a lealdade e os laços invencíveis raros, que ocasionalmente formam quase que instantaneamente nos lugares mais improváveis.

Nos dias atuais, uma classe cheia de jovens estudantes estão fazendo apresentações sobre heróis pessoais. Um garoto chamado Ronnie (Kevin DeCoste) se levanta e começa a falar de "Hachiko", cão de seu avô. Anos antes, um filhote de Akita Inu é enviado do Japão para os Estados Unidos, mas sua jaula cai o carrinho de bagagem em uma estação de trem americano, onde ele é encontrado pelo professor universitário Parker Wilson (Richard Gere). Parker é imediatamente cativado pelo cão. Quando Carl (Jason Alexander), o controlador de estação, se recusa a levá-lo, Parker leva o cachorro para casa durante a noite. Sua mulher Cate (Joan Allen) é insistente em não manter o filhote em sua casa.

No dia seguinte, Parker vai a estação para ver se o dono do cão aparecia. Ele esconde o filhote para entrar no trem e o leva para seu trabalho, onde o professor japonês Ken (Cary-Hiroyuki Tagawa), traduz o símbolo da coleira do filhote :"Hachi", um número japonês para "boa sorte", o número 8 . Parker decide chamar o cão de "Hachi". Ken lembra que, talvez, os dois estão destinados a ficar juntos. Enquanto isso Cate recebe um telefonema de alguém querendo adotar Hachi. Ela vendo que seu marido se apegou a Hachi diz que o cão já foi adotado.

Alguns anos mais tarde, Hachi e Parker estão tão perto do que nunca. Parker, porém, ainda se intriga o porque que Hachi não faz coisas que um cachorro faria, como perseguir uma bola. Ken aconselha que Hachi só vai trazer-lhe a bola quando for um motivo especial. Uma manhã, Parker vai para o trabalho e Hachi foge e segue-o para a estação de trem, onde ele se recusa a sair até que Parker o leva de volta para casa. Naquela tarde, Hachi foge novamente e caminha até a estação de trem, esperando pacientemente pelo trem de Parker. Parker e Hachi vão para a estação todas as manhãs, onde ele deixa no trem. Hachi vai embora e só volta quando está na hora de Parker voltar do trabalho. Isso continua por muito tempo, até que uma tarde Parker vai sair, mas Hachi late e se recusa a ir com ele. Parker finalmente sai sem ele, mas Hachi o persegue, segurando a bola. Parker fica surpreso, mas satisfeito que Hachi está finalmente disposto a buscar a bola. Preocupado que ele vai se atrasar para o colégio, o professor Parker embarca no trem, apesar de Hachi latindo para ele. Naquele dia, Parker, ainda segurando bola de Hachi, está ensinando a sua aula de música quando de repente ele sofre um ataque cardíaco fatal.

Na estação de trem, Hachi espera pacientemente que o trem chegue, mas não há nenhum sinal de Parker. Ele permanece, deitado na neve, por várias horas, até que o genro de Parker, Michael (Ronnie Sublett) vem para buscá-lo. No dia seguinte, Hachi retorna para a estação e espera, permanecendo o dia todo e a noite toda. Como o tempo passa, Cate vende a casa e Hachi é enviado para viver com sua filha Andy (Sarah Roemer), Michael, e seu novo bebê Ronnie. No entanto, na primeira oportunidade, ele escapa e, finalmente, encontra o seu caminho de volta para sua antiga casa e depois para a estação de trem, onde ele se senta em seu lugar de sempre, comendo cachorro-quente dado a ele por Jasjeet (Erick Avari), um vendedor local . Andy chega logo depois e leva-lo para casa, mas deixa-lo no dia seguinte para voltar à estação.

Pelos próximos nove anos, Hachi espera por seu dono. Sua lealdade é perfilado no jornal local. Anos após a morte de Parker, Cate volta para visitar o túmulo de Parker, quando ela avista Hachi, agora velho e dolorido, esperando na estação. Ela se emociona e se senta ao lado de Hachi até o próximo trem chega. Hachi retorna à estação de trem, tarde da noite e fecha os olhos pela última vez. Então, Parker sai da estação e o cumprimenta como se nada tivesse mudado, e os dois espirítos vão apara o céu para ali ficarem para sempre.

O filme então mostra Ronnie, de volta à sua sala de aula, tornando a sua conclusão do porquê Hachi será para sempre o seu herói. História de Ronnie foi claramente ouvida pela classe, com algumas lágrimas de retenção. O menino depois da escola vê o seu próprio filhote de Akita, também chamado de Hachi, ao andar pelas mesmas trilhas onde Parker e Hachi passaram tantos anos juntos.

As placas de fechamento revelam informações sobre o Hachikō real, que nasceu em Odate, em 1923. Após a morte de seu proprietário, Hidesaburo Ueno, em 1925, Hachiko voltou à estação de trem de Shibuya, no dia seguinte e todos os dias depois que para os próximos nove anos. A última carta revela que o verdadeiro Hachikō morreu em 1934 (na verdade, ele morreu em 1935). Uma foto de sua estátua na estação de trem de Shibuya é a última imagem mostrada antes dos créditos finais.

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Hachiko: A Dog's Story tem recepção favorável por parte da crítica especializada. Possui tomatometer de 62% em base de 26 críticas no Rotten Tomatoes. Tem 85% de aprovação por parte da audiência, usada para calcular a recepção do público a partir de votos dos usuários do site.[2]

Produção[editar | editar código-fonte]

As filmagens começaram em janeiro de 2008 em diversos lugares, como Woonsocket e Rhode Island.

Referências

  1. Hachiko: A Dog's Story (2009). Boxofficemojo.com. Retrieved on August 7, 2010.
  2. Hachiko: A Dog's Story (em inglês) Rotten Tomatoes. Página visitada em 5 de abril de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.