Soft Machine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde julho de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Soft Machine
DaevidAllen1974.jpg
Daevid Allen guitarrista da banda ao vivo.
Informação geral
Origem Cantuária, Inglaterra
País  Reino Unido
Gênero(s) Rock progressivo
Rock psicodélico
Rock experimental
Jazz rock
Jazz fusion
Cena de Canterbury
Período em atividade 1966 - 1984
Gravadora(s) ABC Records
Columbia Records
Harvest Records
EMI Records
Major League Productions
Ex-integrantes Mike Ratledge
Robert Wyatt
Kevin Ayers
Daevid Allen
Larry Nowlin
Andy Summers
Hugh Hopper
Elton Dean
Lyn Dobson
Mark Charig
Nick Evans
Phil Howard
John Stanley Marshall
Karl Jenkins
Roy Babbington
Allan Holdsworth
John Etheridge
Alan Wakeman
Ray Warleigh
Ric Sanders
Percy Jones
Steve Cook

Soft Machine foi uma banda do Reino Unido pioneira de rock psicodélico e jazz de Cantuária, Inglaterra. O nome foi originado do livro de mesmo nome de William S. Burroughs. Foi uma das principais banda do movimento musical Canterbury.

História[editar | editar código-fonte]

O Soft Machine surgiu de uma banda anterior chamada Wilde Flowers, que já havia incluído em diversos momentos Brian Hopper (guitarra, saxofone e flauta), Hugh Hopper (baixo), Robert Wyatt (bateria e vocal), Kevin Ayers (vocal), Richard Sinclair (guitarra e vocal), Pye Hastings (guitarra e vocal), David Sinclair (teclado) e Richard Coughlan (bateria). Os quatro últimos formaram o Caravan, outra banda famosa do movimento Canterbury.

O Soft Machine foi formado em 1966 por Robert Wyatt na bateria e vocal, Kevin Ayers no baixo e vocal, Daevid Allen na guitarra e Mike Ratledge no teclado. Gravaram o primeiro e único single da banda e outras gravações demo que foram lançadas vários anos depois. Em 1967, após retorno de uma apresentação na França, Allen, que era australiano, foi proibido de reentrar na Inglaterra, então o grupo continuou como um trio. Em 1968 eles realizaram turnê pelos Estados Unidos, abrindo para a Jimi Hendrix Experience. Durante essa turnê ele gravaram seu primeiro álbum, em Nova Iorque. Após a saída de Ayer, no final da mesma turnê, o Soft Machine refez a formação com a inclusão de Hugh Hopper no baixo. Gravaram o segundo álbum em 1969.

Após o período ímpar do rock psicodélico, com Ayers e Wyatt cantando na maioria das canções, Volume Two lançou uma transição da banda para um som mais instrumental, o que hoje é considerado como fusion jazz. A banda passou a ter sete integrantes em 1969, com a adição de quatro instrumentistas de sopro. Mas após alguns meses somente o saxofonista Elton Dean permaneceu na banda. O resultado foi a formação clássica do Soft Machine, composta por Wyatt, Hopper, Ratledge e Dean. Gravaram Third em 1970 e Fourth em 1971, com a presença de vários convidados, a maioria músicos de jazz, como Lyn Dobson, Nick Evans, Marc Charig, Jimmy Hastings, Rab Spall e Roy Babbington. Todos os membros da formação clássica possuiam grande experiência em estilos musicais. A tendência da banda em construir suítes extensas de composições regulares atingiu seu ápice com o álbum Third

Agora é que vem a fase jazz-rock-progressivo com as participações dos seguintes músicos: Allan Holdsworth(guitarra) Karl Jenkins (sax soprano, barítono, oboé e teclados) John Marshall(bateria) que substituiu Wyatt, que também teve a participação do baixista do BRAND-X Percy Jones e Roy Babbington também no baixo.E os músicos supracitados acima.

Após discussões sobre a direção musical da banda, Wyatt deixou o grupo em 1971 e formou o Matching Mole (em inglês um trocadilho para machine molle, a tradução francesa para soft machine). Ele foi temporariamente substituído pelo baterista australiano Phil Howard, mas desavenças musicais o fizeram ser retirado da banda. Poucos meses depois Dean também deixou o Soft Machine. Eles foram substituídos respectivamente por John Marshall (bateria) e Karl Jenkins (teclado), ambos ex-membros de Nucleus, banda de Ian Carr. Em 1973 Hopper deixou a banda, seguido de Ratledge em 1976. Ratledge era o último membro da formação original. Outros músicos da banda durante períodos posteriores foram os baixistas Roy Babbington e Steve Cook, os guitarristas Allan Holdsworth e John Etheridge, o saxofonista Alan Wakeman e o violinista Ric Sanders. As gravações e apresentações de 1978 foram as últimas da banda. O nome Soft Machine foi utilizado na gravação de 1981 Land of Cockayne, e por algumas apresentações em 1984 de uma banda que incluia Jenkins e Marshall.

Desde 1988 várias gravações ao vivo da banda vêm sendo lançadas em CD. Em 2002, Hugh Hopper, Elton Dean, John Marshall e Allan Holdsworth realizaram turnê com o nome Soft Works. Em 2005. com a substituição de Holdsworth por John Etheridge, realizaram turnê e gravaram Soft Machine Legacy. Elton Dean faleceu em Fevereiro de 2006, sendo substituído por Theo Travis.

Em setembro de 2005 foi lançada a biografia do Soft Machine sob o título de Out-Bloody-Rageous, por Graham Bennett.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Em destaque aparecem os integrantes da formação clássica da banda, que, entre outras obras, gravou o álbum Third.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • The Soft Machine (ABC/Probe, 1968)
  • Volume Two (ABC/Probe, 1969)
  • Third (Columbia, 1970)
  • Fourth (Columbia, 1971)
  • Five (Columbia, 1972)
  • Six (Columbia, 1973)
  • Seven (Columbia, 1973)
  • Bundles (Harvest, 1975)
  • Softs (Harvest, 1976)
  • Land of Cockayne (EMI, 1981)
  • The Peel Sessions (gravado em 1969-1971) (Strange Fruit, 1991)
  • Spaced (gravado em 1969) (Cuneiform, 1996)
  • Virtually (gravado em 1971) (Cuneiform, 1998)
  • Noisette (gravado em 1970) (Cuneiform, 2000)
  • Backwards (gravado em 1968-1970) (Cuneiform, 2002)
  • Facelift (gravado em 1970) (Voiceprint, 2002)
  • Somewhere In Soho (gravado em 1970) (Voiceprint, 2004)
  • Breda Reactor (gravado em 1970) (Voiceprint, 2005)
  • Grides (gravado em 1970) (Cuneiform Records, 2006)

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • Rock Generation Vol. 7 (gravações demo de 1967) (BYG, 1972)
  • Rock Generation Vol. 8 (gravações demo de 1967) (BYG, 1972)
  • At the Beginning (gravações demo de 1967 previamente em Rock Generation; também chamado Jet-Propelled Photographs) (Charly, 1976)
  • Triple Echo (compilação de três canções, 1967-1976) (Harvest, 1977)
  • BBC Radio 1967-1971 (Hux, 2003)
  • BBC Radio 1971-1974 (Hux, 2003)
  • Out-Bloody-Rageous (canções de 1967-1973) (Sony, 2005)

Ao vivo[editar | editar código-fonte]

  • Alive & Well: Recorded in Paris (Harvest, 1978)
  • Live at the Proms 1970 (Reckless, 1988)
  • BBC Radio 1 Live in Concert 1971 (Windsong, 1993)
  • BBC Radio 1 Live In Concert 1972 (Windsong, 1994)
  • Live at the Paradiso 1969 (Voiceprint, 1995)
  • Live In France (recorded 1972; also issued as Live in Paris) (One Way, 1995)
  • Floating World Live (gravado em 1975) (MoonJune Records, 2006)

Singles[editar | editar código-fonte]

  • Love Makes Sweet Music/Feelin', Reelin', Squeelin' (Polydor UK, 1968)

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Premiações[editar | editar código-fonte]

  • O álbum no qual Jenkins tocou pela primeira vez no Soft Machine, Six, ganhou a premiação de melhor álbum britânico de jazz no Melody Maker em 1973.
  • O Soft Machine foi escolhido como a melhor banda pequena de jazz no Melody Maker em 1974.
  • O nome do saxofonista Elton Dean inspirou Reginald Kenneth Dwight no nome artístico junto com Long John Baldry da banda Bluesology: Elton John.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]