Tarquínio, o Soberbo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tarquínio, o Soberbo
Rei de Roma
Tarquinius-Superbus.jpg
Tarquínio, o Soberbo;
do Promptuarii Iconum Insigniorum
Governo
Reinado 535 a.C. - 509 a.C.
Antecessor Sérvio Túlio
Sucessor República Romana
Dinastia tarquínios
Vida
Nome completo Lucius Tarquinius Superbus
Nascimento 535 a.C.
Morte 496 a.C. (39 anos)

Tarquínio, o Soberbo (Lúcio Tarquínio Soberbo, em latim Lucius Tarquinius Superbus), (535 a.C.496 a.C.) foi o último rei de Roma e o terceiro dos reis Tarquínios. Reinou de 535 a.C. até 509 a.C..

Matrimônio[editar | editar código-fonte]

Filho de Tarquínio Prisco, desposou primeiro Túlia Maior, a filha mais velha de Sérvio Túlio, depois a irmã desta, Túlia Menor, com cuja ajuda organizou o complô para matar o sogro e ascender ao trono de Roma.

Complô[editar | editar código-fonte]

Tito Lívio relata que Tarquínio um dia apresentou-se ao senado e sentou-se no trono, reivindicando-o para si. Túlio, advertido do fato, foi às pressas à Cúria Hostília[1] .

Deu-se assim uma acesa discussão entre os dois, que logo degenerou em luta entre as duas facções, ao fim da qual o jovem Tarquínio, já fora da Cúria, feriu o rei. Sérvio, ferido mas não morto, foi atingido mortalmente pela filha, atropelando-o com a carroça que guiava.

Reinado[editar | editar código-fonte]

Maquete de Roma no tempo dos Tarquínios, no Museu da Civilização Romana.

Conta o historiador romano Tito Lívio que, no governo, sob um despotismo indisfarçável, o orgulhoso Tarquínio eliminou ou desterrou todos os que eram partidários de Sérvio Túlio e confiscou os bens de famílias poderosas, recebendo o título pelo qual ficou conhecido na história: "o Soberbo", isto é, o Orgulhoso, que equivalia em grego a "tirano".

De acordo com a arqueologia, dotou Roma de grandes obras infraestruturais. Terminou o Capitólio e a Cloaca Máxima. Tentou conquistar as colónias gregas do sul da península, mas foi derrotado.

Foi deposto em em 509 a.C. por uma revolta patrícia contra a dominação etrusca e a tirania do rei.

Segundo a lenda, porém, Tarquínio, muito odiado entre os romanos, era ainda copiado pelo filho Sexto Tarquínio, que se apaixonou pela bela e casta Lucrécia, filha de um influente aristocrata e já casada com um notável patrício, obrigando-a ao adultério. Lucrécia, em resposta suicidou-se. Achando-se Tarquínio fora da cidade, o marido da matrona ofendida, Lúcio Colatino, chefe da Ordem Eqüestre dos Cavaleiros Romanos, e o Prefeito Lucrécio aliaram-se a Lúcio Júnio Bruto, de grande prestígio no Senado, para iniciar uma rebelião, a qual a população de Roma aderiu depois de se inteirar dos fatos. Em 509 a.C., declararam deposto o rei ausente e proclamando a República. O reinado de Tarquínio durou 25 anos e a dinastia etrusca 244 anos. [2]

Charges de Tarquínio[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Tito Lívio:Ab Urbe condita libri, 1:48,
    Huic orationi Seruius cum intervenisset trepido nuntio excitatus, extemplo a uestibulo curiae magna voce "Quid hoc" inquit, "Tarquini, rei est? qua tu audacia me uiuo vocare ausus es patres aut in sede considere mea?"


  2. GILBERT, John. Mitos e lendas da Roma Antiga (em ). 2. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1978. 160 pp. p. 72. 1 vols.


Precedido por
Sérvio Túlio
Rei de Roma
534 a.C. — 509 a.C.
Sucedido por
República
Ícone de esboço Este artigo sobre Roma Antiga e o Império Romano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.