Temperatura de bulbo úmido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A temperatura de bulbo úmido é um tipo de medida de temperatura que reflete as propriedades físicas de um sistema constituído pela evaporação da água no ar. A evaporação consome calor para acontecer, ocasionando refriamento, pois, como as moléculas de maior energia escapam (evaporam) e as que ficam têm menor energia cinética média, a temperatura do líquido diminui. Este fenômeno também é chamado de resfriamento evaporativo. Um exemplo para tal fenômeno é a transpiração (suor). A evaporação promove resfriamento porque consome calor sensível e o transforma em calor latente, consumindo, no caso da água, cerca de 580 calorias por grama (580 Kilocalorias por quilo) de água que evapora (inversamente, durante a condensação da água, ocorre a recuperação do calor sensível - também 580 calorias por grama). [1]

A temperatura de bulbo úmido é a temperatura mais baixa que pode ser alcançada apenas pela evaporação da água. É a temperatura que se sente quando a pele está molhada e está exposta a movimentação de ar. Ao contrário da temperatura de bulbo seco, a temperatura de bulbo úmido é uma indicação da quantidade de umidade no ar. Quanto menor a umidade relativa do ar, maior o resfriamento.

A temperatura de bulbo úmido é medida por um termômetro de bulbo úmido. O termômetro de bulbo úmido tem o bulbo coberto por uma malha porosa (geralmente de algodão), que fica mergulhada num recipiente contendo água destilada. Esta malha fica constantemente úmida devido ao efeito de capilaridade. A evaporação da água contida na malha envolvente retira calor do bulbo, fazendo com que o termômetro de bulbo úmido indique uma temperatura mais baixa do que a do ar ambiente (medida por um termômetro de bulbo seco). Essa evaporação, e conseqüentemente a redução na temperatura de bulbo úmido, é tanto maior quanto mais seco está o ar atmosférico e é nula quando a atmosfera está saturada de vapor de água (humidade relativa do ar igual a 100%).

Exemplo: no dia 4 de fevereiro de 2010, no Rio de Janeiro, a temperatura do ar alcançou 40ºC, a máxima do ano, por volta de 4 horas da tarde [2] , mas a umidade relativa do ar estava em 27%, e a pressão atmosférica estava em 1009 hPa; consequentemente, a temperatura de bulbo úmido era de apenas 24,2ºC, sendo esta a temperatura alcançada por uma superfície molhada exposta ao ar, como por exemplo, a pele molhada, naquele dia mais quente do ano.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Francisco Mendonça e Inês Moresco Danni-Oliveira, Climatologia - Noções Básicas e Climas do Brasil, página 58, 2007, Editora Oficina de Textos
  2. http://www.wunderground.com/history/airport/SBAF/2010/2/4/DailyHistory.html