Teodoro Tritírio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Teodoro Tritírio
Nascimento  ?
Morte 636
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação general
Título sacelário (tesoureiro da administração imperial), militar
Religião Cristianismo
Causa da morte combate
Vista sobre o local da batalha de Jarmuque

Teodoro Tritírio (m. 636), usualmente conhecido pelo cognome Teodoro, o Sacelário, foi sacelário (saceláro, i.e., tesoureiro do estado) e comandante militar durante os últimos anos do reinado do imperador bizantino Heráclio.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Residente em Antioquia durante o século VII, Tritírio era um cristão grego que tinha o posto de tesoureiro sob a autoridade do imperador Heráclio, ao qual era extremamente leal.

Em 634, Heráclio enviou o seu irmão Teodoro para combater os exército invasores árabes na Palestina, onde sofreu uma grande derrota na batalha de Ajnadayn, travada no vale de Elá, a sudoeste de Jerusalém. Após ter retirado, Teodoro culpou o casamento incestuoso do seu irmão com a sobrinha Martina pela derrota do Império Bizantino, e envolveu-se numa discussão com Heráclio. Este destituiu-o do comando e mandou-o para Constantinopla. Com o seu irmão ausente, o imperador entregou o comando do exército do irmão a Tritírio. Os historiadores referem que Heráclio fez isso não porque Tritírio fosse leal, mas porque tinha o mesmo nome do irmão e por isso as tropas não se ressentiriam muito com a substituição do comandante.[carece de fontes?]

Em 635 a situação militar agravou-se seriamente, devido às constantes derrotas noutras batalhas, parcialmente devidas às dificuldades financeiras do Império que dificultavam o pagamento dos salários às tropas. Tritírio viu-se assim num novo papel, o de inspirar alguma confiança às tropas. Instalou-se um ambiente de uma certa letargia no exército e Heráclio teve que desmantelar muitos regimentos por razões financeiras. Não havia entusiasmo para unir o exército e a presença do tesoureiro imperial encorajou o recrutamento de mercenários.

A conquista muçulmana da Síria afigurou-se uma ameaça significativa para o Império Bizantino e levou Heráclio a ordenar a Tritírio que liderasse um exército para conter os ataques dos árabes. O papel efetivo de Tritírio no exército é discutível, mas parece certo que o seu envolvimento levou alguma confiança apesar de tudo. Em agosto de 636, ele marchou sobre o vale do Jarmuque, um afluente do lado oriental do Jordão, para combater o exército Rashidun.

Tritírio decidiu entregar a liderança das tropas bizantinas ao príncipe arménio Vahan, pois sentia que não era um grande comandante militar. As forças árabes comandadas pelo famoso general Khalid ibn al-Walid infligiram uma pesada derrota aos bizantinos na batalha de Jarmuque, que terminou a 20 de agosto de 636 com a morte da maior parte das tropas de Tritírio e Vahan, que também pereceram em combate.[carece de fontes?][nt 1]

Notas

  1. A crer no artigo «'Amr ibn al-'As» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão), em 641, Teodoro foi o comandante das tropas bizantinas que enfrentaram o exército muçulmano que invadiu o Egito em Heliópolis.[carece de fontes?]