Too Big to Fail

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Too Big to Fail
Grande Demais para Quebrar (BR)
 Estados Unidos
2011 • Cor • 98 min 
Direção Curtis Hanson
Produção Ezra Swerdlow
Coprodução Peter Gould
Andrew Ross Sorkin
Produção executiva Carol Fenelon
Jeffrey Levine
Paula Weinstein
Curtis Hanson
Roteiro Peter Gould
Género Drama
Idioma Inglês
Música Marcelo Zarvos
Direção de fotografia Kramer Morgenthau
Figurino Melissa Toth
Edição Plummy Tucker
Barbara Tulliver
Distribuição HBO
Lançamento 23 de maio de 2011
Página no IMDb (em inglês)

Too Big to Fail (br:Grande Demais para Quebrar) é um telefilme norte-americano de 2011, dirigido por Curtis Hanson e exibido pelo canal HBO. É baseado em livro do mesmo nome do jornalista Andrew Ross Sorkin.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A Crise econômica de 2008-2011 do ponto de vista do Secretário do Tesouro americano Henry Paulson. O telefilme inicia com o pedido de ajuda de Dick Fuld, CEO do banco Lehman Brothers a Paulson, especificamente que contacte Warren Buffett, o homem mais rico do mundo. Buffet propõe um valor de compra da Lehman mas Fuld não aceita. As ações do banco continuam a cair e um grupo diretores força Fuld a demitir dois de seus funcionários mais próximos, o COO Joe Gregory e a CFO Erin Callan. Um grupo financeiro coreano também negocia a compra do banco mas desistem após intervenção desastrada de Fuld.

Fannie Mae e Freddie Mac, empresas do mercado americano de hipotecas, sofrem interveção do governo. Paulson reúne os CEOs dos maiores bancos do país (Jamie Dimon do JPMorgan Chase, Lloyd Blankfein da Goldman Sachs, John Mack do Morgan Stanley, John Thain do Merrill Lynch e Vikram Pandit do Citigroup), para que eles próprios absorvam o ônus da compra do Lehman, possivelmente pelo Barclays. Apesar de preferirem as mesmas facilidades dadas pelo governo americano em caso parecido (Bear Stearns), relutantemente aceitam contribuir. Entretanto, o Barclays dificulta a aquisição, e sem mais tempo, a Lehman é obrigada a pedir concordata. O processo afeta a Europa e a AIG em particular, que já acusava problemas. Timothy Geithner tenta a fusão dos bancos e Paulson apesar de resistir, envia projeto ao congresso americano do que viria a ser o Plano de resgate econômico de 2008, na esperança de o governo emprestar dinheiro aos bancos a fim de descongelar o crédito.

Elenco[1] [editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

O telefilme recebeu 11 indicações ao Emmy Awards 2011 e Paul Giamatti, como Ben Bernanke, foi premiado como melhor ator em minissérie ou filme para televisão no SAG 2012.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]