Vítor Amadeu I de Saboia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vítor Amadeu I, Duque de Saboia. Quadro de Giovanna Garzoni, 1635.

Vítor Amadeu I nasceu em Turim em 8 de maio de 1587 e morreu em 7 de outubro de 1637 em Verceil. Duque de Saboia, era apelidado «o Leão de Susa». Foi também duque de Aosta, Príncipe de Acaia, da Moreia, Marquês de Turim, Conde do Piemonte, de Belley, de Vienne, du Bugey, de Moriana, do Chablais, de Valence, de Asti, de Genebra, de Die, de Nice, Visconde de Chambéry, de Maulévrier, Marquês de Saluzzo, Rei titular de Chipre, Armênia e Jerusalém de 1630 a 1637.

Casou-se no Louvre em 10 de fevereiro de 1619 com a Madame Royale, ou Cristina de França ou de Bourbon, nascida em Paris em 10 de fevereiro de 1606 e morta em 27 de dezembro de 1663 em Turim, Regente em 1636, filha de Henrique IV de França e de sua segunda esposa Maria de Médicis, irmã do rei Luís XIII. Planejava-se casá-la com o Príncipe de Gales, futuro Carlos I de Inglaterra.

Segundo o Larousse: Obteve parte de Montferrat na Paz de Ratisbona em 1630, cedeu Pignerol à França (Cherasco, 1631). Sua política francófila provocou a rebelião do Príncipe Tomás de Sabóia-Carignan [em 1634] e resultou na aliança contra a Espanha: Tratado de Rivoli 1635. Reteve o Piemonte porque concedeu dois outros senhorios à França.

Durante a regência da sua viúva, a França aumentou sua influência por sua política de reaproximação com a França apesar de sustentar com lealdade os interesses da Saboia. Lutou contra tentativas de anexação francesas e contra seus cunhados, partidários da Espanha, e conseguiu manter a independência dos Estados. Seus projetos matrimoniais fracassaram, pois não conseguiu fazer com que a filha Margarida de Saboia casar com o rei Luís XIV, seu sobrinho.

Deixou sete filhos.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Carlos Emanuel I
Duque de Saboia
Príncipe do Piemonte

1630 - 1637
Armoiries Savoie 1630.png
Sucedido por
Francisco Jacinto de Saboia