Ventrue

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Ventrue(Pronúncia: VEN-TRU) é um clã de vampiros do RPG de horror moderno da White-Wolf, Vampiro: A Máscara.

Informações[editar | editar código-fonte]

Fundador: o Antediluviano Ventrue é o progenitor deste clã. Há muito tempo ele pode ter sido conhecido como "Ventru", porém suas origens estão envoltas em mistério, repletas de informações conflitantes. Os Ventrue afirmam que ele era progênie de Ynosh (Enoch) e foi o primeiro da Terceira Geração a ser abraçado, bem como o conselheiro mais próximo de Caim. Ele também é conhecido como o construtor e regente da Segunda Cidade. De acordo com a versão oficial propagada pelos membros do clã Ventrue, esse vampiro Antediluviano teria sido destruído fora dos muros da Segunda Cidade pelo antediluviano Brujah (algo que é firmemente negado pelos membros daquele clã). Alguns relatos dizem que ele pode ter sido diablerizado por um dos seus próprios descendentes, ou mesmo que ele escapou da Morte Final e está de fato em torpor em territórios próximos ao antigo Império Pérsia. No entanto, o livro "Gehenna" afirma o que ele está morto há muito tempo. Ventru é muitas vezes confundido com o vampiro chamado Veddartha.

Alcunha: Sangue-azul

Fraqueza: Seleção de presas. O gosto exigente de cada membro deste clã só pode se alimentar de um tipo de sangue mortal, porém normalmente do sangue dos outros vampiros.

Disciplinas: Dominação -- Presença -- Fortitude

Histórico[editar | editar código-fonte]

Os Ventrue acreditam que a história não deve ser escrita por vitoriosos, afinal, se este modo fosse o correto, porque existiriam tantas versões do mesmo relato!? Assim, a sua história é escrita por sobreviventes, relatos de um povo. A história pode parecer fantasiosa e talvez com algumas falhas. Mas é a história vista por um povo, um clã, e que dá muito orgulho aos membros Ventrue. Diz a história que o criador deste clã, Ventrue, filho direto de Caim, desde os primórdios já era ativo politicamente e respeitado.

Ventrue era conselheiro de Caim, e seu braço direito. Juntos, ergueram a primeira cidade, Enoch ou Lamech, e auxiliaram seu desenvolvimento. Uma cidade muito rica, coberta de ouro e especiarias vindas de toda parte do mundo. Enoch foi se consolidando, e surge então a terceira geração de vampiros. Com o advento de novos imortais, Caim relata a seu filho confidente, Ventrue, seu maior medo. Dizia ele que sonhara com o fim da convivência pacífica entre os mortais e imortais. Não só os vampiros, mas aqueles que também tinham a vida eterna como lobisomens, bruxas, morto-vivos. Ventrue se assusta pois mal sabia da existência de outros imortais, muito menos acreditava no fim do convívio pacífico. Caim ainda dizia que o pior não seria esta perseguição aos imortais, mas sim o conflito que seria gerado entre os da própria espécie, correndo o perigo de extingui-la. Ventrue assustado pergunta a Caim se este destino estava escrito e era imutável. Ele apenas responde: "Eu não sei...". Se qualquer outra pessoa tivesse relatado tal sonho para Ventrue, ele nada faria, porém, tais relatos vinham do Pai de todos, de Caim.

Quando se encontrou sozinho Ventrue só se recordava das palavras de Caim e sua face assustada e preocupada. Após três semanas e duas noites, Ventrue sai de seu palácio com apenas uma determinação, que faria o possível e o impossível para defender os de sua espécie, e que se dependesse de suas forças, tal mal que Caim prevera, não aconteceria. Seu castelo se torna uma fortaleza. Ventrue passa a guardar em segurança diversas relíquias dos imortais. Alguns questionam o porquê, como sua irmã Brujah.

Ventrue começa a reparar que ele estaria então a provocar um sentimento novo em seus irmãos. A inveja e a intriga. Assustado ele profere um relato a todos. Explica que ele apenas quer o bem de todos, e todas estas relíquias seriam utilizadas para a construção de um novo mundo quando chegasse a hora. Ele olhou para um de seus irmãos, que hoje é chamado Nosferatu, esperando que as perguntas continuassem e este apenas sorriu. A partir daquele momento Ventrue percebeu que as coisas não seriam mais como sempre foram. O silêncio o assustou. Ventrue se prepara então para uma guerra. Mas uma guerra contra os de sua espécie, que mesmo sendo seus aliados, após aquela reunião, tudo seria diferente. Quando Caim estava a se separar de seus filhos, o último a entrar em contato com ele, fora Ventrue. Olhando para o Pai de todos, perguntou : Pai, não ficarás conosco ? Quem nos liderará e auxiliará na resolução de nossos conflitos e apaziguará nossas almas oprimidas. Caim olhou firme nos olhos de Ventrue e apenas sorriu.

Assim Ventrue passa a supervisionar todos os clãs e auxilia o crescimento da segunda cidade depois da destruição de Enoch. Mesmo sabendo que esta estaria condenada, não mediu esforços e fez esta crescer. Guardou as relíquias da primeira cidade, e os escondeu. Seguro, pois sabia que quando fosse necessário, eles estariam intactos e prontos a serem utilizados. A segunda cidade cai, e os vampiros se espalham pelo mundo. Porém os Ventrue nunca perderam seu destaque na sociedade vampírica, participando ainda de cargos políticos importantes durante toda história, juntamente com os mortais. Ajudando no crescimento de verdadeiros impérios como o Império Romano. Com a inquisição, e novamente o risco da extinção de seus irmãos, os Ventrue auxiliam na formação da chamada Camarilla, a qual, até hoje, ocupam um lugar de destaque. Os Ventrue suspeitam que seu fundador foi eliminado por um membro do clã Brujah. Embora isto tenha abalado seu orgulho, garantiu-lhes alguma distância e proteção do caos e dos conflitos da Jyhad.

Organização[editar | editar código-fonte]

Sem as intrigas e exigências de um fundador divino, o Ventrue alcançou uma independência notável dos antediluvianos. Eles não sabem quanto há de verdade nesta lenda, mas ela é um dos dogmas de seu clã, a despeito do quanto os outros membros zombem disso. A maior parte do respeito dedicado dos Ventrue se deve à sua independência dos antediluvianos devido ao orgulho por esse respeito que eles ocultam a opressão que lhes foi infringida pelo clã Brujah. O Ventrue geram mais príncipes e Justicar que qualquer outro clã. Não há duvida de que sejam os lideres da Camarilla.

Antiquados e presos às velhas tradições, os Ventrue são sofisticados e gentis. Eles acreditam no bom gosto acima de tudo e trabalham duro para tornar suas vidas confortáveis. Muito freqüentemente são os líderes da Camarilla, sendo Membros cautelosos, honrados, sociáveis e elegantes. Realizam reuniões regulares de seu clã em várias partes do mundo, inclusive um grande conselho em Londres a cada sete anos.

Lideres oficiais da Camarilla, os Ventrue dizem ter criado e mantido a organização da seita desde o seu inicio. Eles suspeitam que o fundador do clã tenha sido morto por um Brujah, o que representaria um grande golpe no orgulho dos membros do clã. Seja como for, é quase certeza que o fundador do clã já não exista mais, por isso seus membros gozam de uma independência dos Antediluvianos. Todavia, os Ventrue se envolvem no Jyhad, na qual exercitam sua formidável influencia sobre os desígnios do rebanho. Muitos ficam curiosos a respeito dos trabalhos internos desse bem organizado clã, enquanto rumores sombrios de mistério e anciões adormecidos escapam da fachada austera dos Ventrue.

Os nobres, fundadores da Camarilla, geralmente socialites e influentes na política. Diz a história que o criador deste clan, Ventrue, filho direto de Caim, desde os primórdios já era ativo politicamente e respeitado.

Podem ser encontrados com freqüência entre a nata do mundo mortal. Sua sofisticação os ajuda a conviver com a elite da sociedade mortal, o que lhes possibilita controlar muitos das pessoas mais poderosas da cidade. Devido à facilidade relativa com que vivem entre essas companhias, os Ventrue costumam possuir um monopólio sobre o controle política da cidade. Se alguma coisa sair errada, costumam ser aos Ventrue que os outros Membros pedem apoio.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Os Ventrue classificam a si mesmos como um clã do mundo moderno, e negam que vivam no passado. Isto pode ser verdade quanto aos membros mais poderosos do clã, mas muitos são incapazes de desistir dos hábitos e forma de vestir da época em que foram Abraçados. As atitudes e crenças de seus dias mortais jamais são esquecidos por um Ventrue.

Eles são muito orgulhosos de sua liderança da sociedade vampírica, e sempre insistirão que foram os fundadores da Camarilla. Eles farão qualquer coisa para reter seu poder político nas cidades da Camarilla, e protegerão sua reputação com unhas e dentes.

Também seriam surpreendidos os estranhos para descobrir a pouco quanto mudou o clã pelas idades. Em suas noites mais cedo, o clã não teve nenhuma estrutura organizada. O mais poder que um Ventrue individual esgrimiu, o respeito de égua que ela comandou, mas não havia nenhum mecanismo formal para isto. Isto mudou logo após a destruição de Cartago.

Senado[editar | editar código-fonte]

Debaixo da direção do grande Ventrue, os sócios de clã mais proeminentes começaram a se encontrar para fixar política de clã. Este senado, como foi chamado, era no princípio pequeno, mas cresceu a uma taxa notável. Aberto a esses Ventrue que poderiam demonstrar controle em cima de um número significativo de mortais, o grupo era notavelmente democrático em sua política. Cada sócio teve um único voto e tempo igual para enviar cada assunto. Discussões geralmente revolveram ao redor que direção que o clã deveria levar, e estes votos cedo ajudaram se expanda o papel de Ventrue do de arquivistas para o de líderes. Parecia que cada tempo que o senado se encontrou debateu alguma ameaça nova para as Tradições, e cada tempo solucionou para aumentar o envolvimento de Ventrue nos negócios de outro irmão.

Diretório[editar | editar código-fonte]

O clã tem um diretório em quase toda cidade principal no mundo Ocidental. Alguns diretórios podem ter só dois ou três sócios, mas todo o saque o mesmo propósito - assegurando que o poder do clã e influência continuam esparramando. Diretórios normalmente se encontram na primeira terça-feira de todos os meses, e é esperado que todo Ventrue em uma determinada cidade assista. A Tábua sênior de Diretores só raramente se encontra, mas seus sócios ficam em comunicação constante.