1º Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1º Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear
Ciadfqbn.png
Estado  Rio de Janeiro
Sigla 1º Btl DQBRN
Criação 1953
Comando
Comandante Coronel Alexandre Marcos Carvalho de Vasconcelos
Sede
Endereço Rua Marechal Abreu Lima, 450, Realengo


O 1º Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear é resultante da transformação da Cia DQBN (Companhia de Defesa Química, Biológica e Nuclear) em batalhão, no ano 2012. O 1º Btl DQBRN e a Companhia de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (Cia DQBRN), do Comando de Operações Especiais, são os únicos do gênero no Exército Brasileiro, e seus integrantes são treinados para combater em guerras químicas, biológicas e nucleares (como o nome sugere), principalmente em controle e descontaminação de armas, locais e pessoal.

História[editar | editar código-fonte]

A origem do 1º Btl DQBRN remonta a 1953, quando foi criada a Companhia de Guerra Química, originalmente subordinada ao Grupamento de Unidades-Escola (GUEs), nas dependências da Escola de Instrução Especializada (EsIE).

Em 31 de dezembro de 1987, a Companhia Escola de Guerra Química foi extinta e, em seu lugar, foi criada a Companhia de Defesa Química, Biológica e Nuclear, sediada na cidade do Rio de Janeiro e subordinada à Diretoria de Especialização e Extensão. Até janeiro de 2004, a Companhia foi brevemente subordinada à Brigada de Operações Especiais, mas voltou à subordinação anterior.

A Cia DQBN desfilando no Desfile Cívico Militar, em 2008.

Em 2008, a Cia DQBN participou, pela primeira vez em sua história, do Desfile Cívico Militar da Semana da Pátria de 7 de setembro, na cidade de Brasília.

Entre 27 a 29 de maio de 2010, a companhia participou do 3°Fórum Mundial da Aliança de Civilizações, coordenado pela Organização das Nações Unidas (ONU), sendo empregada no contexto de operações de Varredura e Monitoração QBN, Descontaminação de Pessoal e Material.

Por meio da portaria n° 991, de 27 de novembro de 2012, o COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 4° da Lei Complementar n° 97, de 9 de junho de 1999, alterada pela Lei Complementar n°136, de 25 de agosto de 2010, e o inciso V do art. 20 da Estrutura Regimental do Comando do Exército, aprovada pelo Decreto n° 5.751, de 12 de abril de 2006, de acordo com o que propõe o Estado-Maior do Exército, resolveu transformar, a contar de 1° de dezembro de 2012, a Companhia de Defesa Química, Biológica e Nuclear (Cia DQBN) em 1° Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (1° Btl DQBRN), com sede no Rio de Janeiro-RJ, subordinado à 1ª Divisão de Exército.[1]

Atuações reais[editar | editar código-fonte]

Focos[editar | editar código-fonte]

Entre os agentes biológicos, a atenção das tropas está voltada para as seguintes substâncias: antraz, botulismo, ricina, varíola, tularemia, brucelose, Coxiella burnetii, E. coli O157:H7, Salmonella e peste bubônica.[6]

Canção do 1º Btl DQBRN[editar | editar código-fonte]

Letra: Maj Art Edson Pereira
Música: ST Mus Erik Gonçalves dos Santos

Referências

  1. a b «Histórico». Exército Brasileiro. 1º Btl DQBRN. Consultado em 18 de junho de 2016. Arquivado do original em 10 de agosto de 2016 
  2. «DQBRN NA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE - 2013». COTER. Centro de Doutrina do Exército. Consultado em 18 de junho de 2016 
  3. «1º Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear». www.facebook.com. Consultado em 19 de junho de 2016 
  4. «Militares DQBRN ajudam governo paraguaio na visita do papa Francisco». Ministério da Defesa. 16 de julho de 2015. Consultado em 18 de junho de 2016 
  5. «1º Btl DQBRN descontamina aeronave que transportou paciente com suspeita de estar contaminado com o vírus Ebola». DefesaNet. 15 de outubro de 2014. Consultado em 18 de junho de 2016 
  6. Alves, Francisco Edson (15 de junho de 2016). «Exército já se prepara contra guerra química na Olimpíada». DefesaNet. Consultado em 20 de julho de 2016