Aguidavi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Candomblé

Religiões afro-brasileiras


Princípios básicos

Deus
Queto | Olorum | Orixás
Jeje | Mawu | Vodum
Bantu | Zambi | Inquice


Religiões
Babaçuê | Batuque
Cabula | Candomblé
Culto de Ifá | Culto aos egunguns
Quimbanda | Macumba
Omolocô | Tambor de Mina
Umbanda | Terecô
Xambá | Xangô de Pernambuco


Temáticas
Confraria | Hierarquia
Sincretismo
Templos afro-brasileiros


Religiões semelhantes
Religiões Africanas | Abacua
Arará | Lukumí | Obeah
Palo | Regla de Ocha | Santeria



Aguidavi ou oguidavi[1] são varetas utilizadas para a percussão dos atabaques no candomblé no Candomblé Queto. São confeccionadas com pequenos galhos das árvores sagradas do candomblé, geralmente da goiabeira (psidium guaiava) e araçazeiro (psidium littorali), medindo cerca de trinta (30) a quarenta (40) centímetros.[2][3]

Sacralização[editar | editar código-fonte]

Este objeto sagrado deve ser preparado pelos iniciados do candomblé em especial pelos ogãs, depois de descascados e lixados, dever passar por rituais específicos de sacralização para ser utilizados nas festas.

Referências

  1. Castro, Yeda Pessoa de (2001). Falares africanos na Bahia: um vocabulário afro-brasileiro. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras. p. 303 
  2. Dicionário de arte sacra & técnicas afro-brasileiras
  3. Dicionário de percussão, Por Mário D. Frungillo
Ícone de esboço Este artigo sobre candomblé é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.