Pai-pequeno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Candomblé

Casa branca engenho velho.jpg Ilê Axé Iyá Nassô Oká - Terreiro da Casa Branca - a casa de candomblé mais antiga de Salvador, na Bahia

Religiões afro-brasileiras


Princípios Básicos Deus queto | Olorum | Orixás Jeje | Mawu | Vodun Banto | Nzambi | Nkisi


Templos afro-brasileiros Babaçuê | Batuque | Cabula | Candomblé | Culto de Ifá | Culto aos Egungun | Quimbanda | Candomblé de caboclo | Macumba | Omoloko Tambor-de-Mina | Terecô | Umbanda Xambá | Xangô de Pernambuco Sincretismo | Confraria


Literatura afro-brasileira Terminologia Sacerdotes Hierarquia


Religiões semelhantes Religiões Africanas santería Palo Arará Lukumí Regla de Ocha Abakuá Obeah


Pai Pequeno é o mesmo que Babakekerê, é a segunda pessoa na casa de candomblé. Na ausência da Iyalorixá ou Babalorixá é ele que assume o comando. Está sempre presente e faz parte de todos os preceitos e obrigações.[1] A Iyakekerê ou Mãe pequena, é seu correlato feminino, é a substituta da mãe ou do pai de santo, seu sucessor eventual, lhe está imediatamente abaixo na escala da hierarquia, como administradora civil e religiosa do candomblé.[2]

Esse cargo na maioria das vezes é ocupado pelo primeiro iniciado na casa de candomblé filha/o mais velho portanto. Pode ocorrer também, que o orixá da iyalorixá ou babalorixá escolha um outro filho que não o primeiro para ocupar a função, por questão de confiança ou por ser alguém da família.

Dependendo da casa, o pai pequeno ou mãe pequena será o primeiro da lista de sucessão ao cargo de direção da casa, no caso de falecimento do pai ou mãe de santo. Em outras essa decisão é só através do jogo de búzios, e em outras é hereditário, só pessoas da própria família, (ex:, Terreiro do Gantois) até hoje só mulheres da família assumiram o cargo de iyalorixá.

A palavra Pai Pequeno, pode ser utilizada de duas formas: quando se refere ao cargo de uma casa de candomblé, e quando uma pessoa ajuda o babalorixá na iniciação de um neófito, ele será o pai pequeno desse neófito. Todo iniciado tem um babalorixá ou iyalorixá e um pai pequeno ou mãe pequena. No caso é a pessoa que cuida do iniciado durante todo o período de recolhimento e o responsável pela educação do mesmo dia e noite na ausência do babalorixá.

Referências