Al-Tabari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Al-Tabari
Nome completo em persa: محمد بن جریر طبری
Nascimento 840
Amol, Tabaristão, Califado Abássida
Morte 923 (83 anos)
Bagdá
Ocupação historiador
Influências
Influenciados
Principais trabalhos Jariri

Abu Ja'far Muhammad ibn Jarir al-Tabari (em persa: محمد بن جریر طبری, em árabe: أبو جعفر محمد بن جرير بن يزيد الطبري) (224 – 310 AH; 840–923 CE) foi um estudioso proeminente e influente, historiador e exegeta do Alcorão do Tabaristão, o atual Mazandaran na Pérsia / Irã.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Tabari nasceu em Amol, Tabaristão (cerca de vinte quilômetros ao sul do Mar Cáspio), no inverno de 838-9.[1] Ele memorizou o Alcorão aos sete anos, chegou a líder religioso qualificado aos oito e começou a estudar as tradições proféticas aos nove. No ano AH 236 (850-1), Tabari saiu de casa para estudar, quando tinha então doze anos.[2] Ele manteve laços estreitos com sua cidade natal. Voltou pelo menos duas vezes, a última vez em AH 290 (903), quando a sua franqueza causou algum mal-estar e levou a uma partida rápida.[3]

Ele foi para Ray, onde permaneceu por cerca de cinco anos.[4] Um professor importante em Ray foi Abu Muhammad ibn Abdillah Humayd al-Razi, que já havia ensinado em Bagdá, e tinha setenta anos então. Entre outras matérias, ibn Humayd professou a Tabari as obras históricas de ibn Ishaq, especialmente a al-Sirah[5] , sobre a vida de Maomé. Tabari, em seguida, viajou para estudar em Bagdá com ibn Hanbal, o qual, no entanto, tinha morrido recentemente (no final de 855).[6]

A caminho dos trinta anos de idade, Tabari viajou para a Síria, Palestina e Egito.[7] Ele recebia pagamento por suas aulas. Nunca assumiu um governo ou uma posição judicial. Entre as figuras de sua idade, teve acesso a fontes de informação como ninguém, exceto talvez aqueles que estavam diretamente relacionados com a tomada de decisões dentro de governos.[8]

Referências

  1. Rosenthal 1989, pp. 10-11.
  2. Rosenthal 1989, pp. 15-16.
  3. Rosenthal 1989, pp. 11.
  4. Rosenthal 1989, pp. 16.
  5. Rosenthal 1989, pp. 17.
  6. Rosenthal 1989, pp. 19.
  7. Rosenthal 1989, pp. 23.
  8. Saliba, George. The History of Al-Ṭabarī = Taʻrīkh Al-rusul Waʻl-mulūk. Vol. XXXVIII. New York: State University of New York, 1985. Print.

Bibliografias[editar | editar código-fonte]

  • Bosworth C.E.. "Al-Tabari, Abu Djafar Muhammad b. Djarir b. Yazid" in P.J. Bearman, Th. Bianquis, C.E. Bosworth, E. van Donzel and W.P. Heinrichs et al., Encyclopædia of Islam. 2 ed. [S.l.: s.n.], 1996.
  • Ehsan Yar-Shater, ed.. The History of al-Ţabarī (State University of New York Press). [S.l.: s.n.], 1989.
  • Rosenthal, Franz. The History of al-Ţabarī. 1 ed. [S.l.: s.n.], 1989. p. 10-11-15-16-17-19-23.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Biographical Data: Abu Jaffar Tabari salaam.co.u. Visitado em 15 de setembro de 2008.
  • [[1] Imām Abu Ja'far Muhammad Ibn Jarīr At-Tabarī (رحمه الله)]. Visitado em 12 de outubro de 2012.