Arcturo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde Julho de 2011). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela banda de black metal, veja Arcturus (banda).

Coordenadas: Sky map 14h 15m 39.7s, +19° 10′ 56″

Arcturus
Dados observacionais (J2000)
Constelação Boötes
Asc. reta 14h 15m 39,7s[1]
Declinação +19° 10′ 56,7″[1]
Magnitude aparente -0,05[1]
Características
Tipo espectral K0III[2]
Cor (U-B) 1,28[1]
Cor (B-V) 1,28[1]
Astrometria
Velocidade radial -5,19 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -1093,39 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) -2000,06 mas/a[1]
Paralaxe 88,83 ± 0,54 mas[1]
Distância 36,7 ± 0,2 anos-luz
11,26 ± 0,07 pc
Magnitude absoluta −0,313 ± 0,016 (visual)[3]
-0,85 (bolométrica)[4]
Detalhes
Massa 1,08 ± 0,06[3] M
Raio 25,4 ± 0,2[3] R
Gravidade superficial log g = 1,66 ± 0,05 cgs[3]
Luminosidade 170[4] L
Temperatura 4286 ± 30[3] K
Metalicidade [Fe/H] = −0,52 ± 0,04[3]
Rotação v sin i = 2,4 ± 1,0 km/s[5]
Idade 7,1+1,5
−1,2
bilhões[3] de anos
Outras denominações
Alramech, Abramech, α Boötis, 16 Boötes, BD+19°2777, GJ 541, HD 124897, HR 5340, GCTP 3242.00, LHS 48, HIP 69673, SAO 100944.[1]
Arcturo
Bootes constellation map.png

Arcturo (α Boo, α Boötis, Alpha Boötis), também conhecida como Arturo ou Arcturus,[6] é a estrela mais brilhante da constelação do Boieiro. É a quarta estrela mais brilhante no céu nocturno.[7]

Pertence à classe espectral K do sistema de classificação estelar proposto por Annie Jump Cannon. O diâmetro de Arcturus é de aproximadamente 22.100.000 km, o que corresponde a 30 vezes maior que o do Sol e 1733 vezes maior do que o planeta Terra, a sua temperatura chega aos 4300 K (aproximadamente 4000 °C). É considerada como uma das estrelas que mais tende a durar (cerca de 9,3 bilhões de anos) devida a sua magnitude média (magnitude aparente de -0,04 e uma magnitude absoluta de 0,2). Antigamente era classificada como uma gigante vermelha, mas na reclassificação proposta pela NASA é considerada atualmente como uma média alaranjada. Está cerca de 33 anos-luz do sistema solar e é uma das estrelas mais brilhantes no céu terrestre.

Mitologia romana[editar | editar código-fonte]

Na mitologia romana, conforme relatado por Higino, Arcturus é o ateniense Icário. Ele morava com sua filha virgem Erígone e seu cão Maera. Ele hospedou Liber Pater, que o ensinou o segredo do vinho. Icário deu o vinho a uns pastores que, acreditando que Icário os tinha envenenado, o mataram a pauladas. Seu cão Maera, latindo sobre o corpo morto do dono, chamou Erígone, que se enforcou. Liber Pater então afligiu as mulheres atenienses com uma praga, que só terminou quando eles puniram os pastores e instituiram um festival em honra dos dois. Os deuses então transformaram ambos em estrelas: Erígone virou a constelação de Virgem e Icário a estrela Arcturus.[8]

Referências

  1. a b c d e f g h i j «* alf Boo -- Red Giant Branch star». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 28 de agosto de 2017 
  2. Gray, R. O.; Corbally, C. J.; Garrison, R. F.; McFadden, M. T.; Robinson, P. E. (outubro de 2003). «Contributions to the Nearby Stars (NStars) Project: Spectroscopy of Stars Earlier than M0 within 40 Parsecs: The Northern Sample. I». The Astronomical Journal. 126 (4): pp. 2048-2059. Bibcode:2003AJ....126.2048G. doi:10.1086/378365 
  3. a b c d e f g Ramírez, I.; Allende Prieto, C. (dezembro de 2011). «Fundamental Parameters and Chemical Composition of Arcturus». The Astrophysical Journal. 743 (2): artigo 135, 14 pp. Bibcode:2011ApJ...743..135R. doi:10.1088/0004-637X/743/2/135 
  4. a b Schröder, K.-P.; Cuntz, M. (abril de 2007). «A critical test of empirical mass loss formulas applied to individual giants and supergiants». Astronomy and Astrophysics. 465 (2): pp.593-601. Bibcode:2007A&A...465..593S. doi:10.1051/0004-6361:20066633 
  5. Carney, Bruce W.; et al. (março de 2008). «Rotation and Macroturbulence in Metal-Poor Field Red Giant and Red Horizontal Branch Stars». The Astronomical Journal. 135 (3): pp. 892-906. Bibcode:2008AJ....135..892C. doi:10.1088/0004-6256/135/3/892 
  6. Observatório Astronómico de Lisboa: "Lista de Estrelas" [1] em PDF. Página visitada em 2 de junho de 2009.
  7. University of Tennessee, Dept. Physics & Astronomy, Stars, Galaxies and Cosmology, Stellar Magnitudes [em linha]
  8. Higino, Fabulae, CXXX, Icário e Erígone
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.