Billy Elliot - The Musical

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Billy Elliot - The Musical
Cartaz do musical em West End
Informação geral
Música Elton John
Letra Lee Hall
Libreto Lee Hall
Baseado em no filme de mesmo nome
Prêmios Laurence Olivier Award de Melhor Novo Musical
Tony Award de melhor musical

Billy Elliot the Musical é um musical baseado no filme Billy Elliot de 2000. A música é de Elton John, e o livro e letras são de Lee Hall, que escreveu o roteiro do filme. O enredo gira em torno de Billy, que quer ser bailarino contra a vontade do pai; a história de sua luta pessoal e realização tem como fundo o conflito de sua família e vizinhança, causados pela greve dos mineiros britânicos (1984-1985), em County Durham, no nordeste da Inglaterra. O roteiro de Hall foi inspirado em parte pelo romance de AJ Cronin, de 1935, sobre a greve de mineiros, e canção The Stars Look Down, que é a abertura do musical presta homenagem ao livro. [1]

O musical estreou em Londres no West End em 2005, e foi nomeado para nove Laurence Olivier Award, vencendo quatro, incluindo Melhor Novo Musical. A produção ainda está em execução fortemente, e seu sucesso levou a produções na Austrália, Broadway e ao redor do mundo. Em Nova York, ganhou dez Tony Awards e dez Drama Desk Award, incluindo, em cada caso, o de Melhor Musical. Ele também já ganhou inúmeros prêmios na Austrália, incluindo sete Helpmann Awards.

A gravação ao vivo do musical foi lançado em DVD e Blu-Ray em 24 de Novembro de 2014 no Reino Unido.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Ato I[editar | editar código-fonte]

No Condado de Durham , entre 1984-1985, a greve dos mineiros de carvão está apenas começando ("The Stars Look Down"). , Billy de onze anos de idade, é obrigado a ficar para trás depois de sua aula de boxe e acaba entrando em uma aula de balé executada pela Sra Wilkinson. Ele é o único menino, mas sente-se atraído pela graça da dança ("Shine"). O segredo está é facilmente mantido, como a única pessoa em casa no momento é sua avó. Ela revela sua relação abusiva com seu marido morto e que ela também gostava de dançar, o que fez tudo melhor ("Grandma's Song").

Enquanto seu irmão, pai, e os vizinhos estão em greve e confronto com a polícia, Billy continua a ter aulas de dança, mantendo em segredo de sua família ("Solidarity"), um número que intercala a realidade violenta da greve com a pacífica prática do balé.

Finalmente, o Sr. Elliot descobre Billy na aula de balé e proíbe-o de frequentar as aulas. Sra Wilkinson, que reconhece o talento de Billy, sugere em segredo que ele deve fazer um teste para o Royal Ballet School, em Londres. Para se preparar para a audição, ela oferece aulas particulares grátis. Billy não é certo do que fazer e visita o seu melhor amigo Michael para ouvir um conselho. Ele encontra Michael usando um vestido. Ele convence Billy para se divertir com ele vestindo-se com roupas de mulher e os dois debocham das inibições restritivas da classe trabalhadora de sua comunidade ("Expressing Yourself").

Billy chega para sua primeira aula de balé particular trazendo com ele coisas para inspira-lo numa dança especial para a audição ("Dear Billy (Mum's Letter)"). Ele começa a aprender e se tornar apegado com a Sra Wilkinson, enquanto ele desenvolve uma dança impressionante para sua audição ("Born to Boogie"). A filha de Sra. Wilkinson, Debbie, tenta desencorajar Billy, porque ela tem uma queda por ele. Enquanto isso, o pai e Tony, irmão de Billy, estão envolvidos em batalhas diárias com a polícia de choque, que muitas vezes se tornam sangrentas. Eles lutam para sustentar sua família com muito pouco entre a greve e a união, uma tarefa difícil que se prolonga por quase um ano.

Quando o dia da audição Royal Ballet School vem, a polícia está entrando no bairro e Tony é ferido pela polícia. Porque Billy não tinha indo para audição por causa do confronto, a Sra. Wilkinson vai para a casa de Elliot. Lá, a família de Billy e alguns membros da comunidade se reuniram. Ela é forçada a revelar que esteve ensinado Billy a dançar balé em preparação para o dia de hoje. Esta notícia perturba o pai de Billy e Tony, que entram em uma discussão com a senhora Wilkinson. Tony tenta forçar Billy a dançar em cima da mesa na frente de todos. A polícia chega e, quando todo mundo foge, Billy grita para seu pai dizendo que sua mãe teria o deixado dançar, mas seu pai se recusa a aceitar, dizendo que, "sua mãe está morta!". Billy fica irado ("Angry Dance"), e por quase um ano, fica longe de qualquer coisa relacionada ao balé.

Ato II[editar | editar código-fonte]

Seis meses mais tarde, na mostra anual da mineradora no Natal, as crianças fazem um show depreciativo à primeira-ministra Margaret Thatcher, que é vista como a vilã pelos mineiros de carvão ("Happy Christmas, Maggie Thatcher"). O pai de Billy fica bêbado e canta uma canção antiga que provoca lembranças de sua falecida esposa e que faz o homem normalmente estoico cair em lágrimas ("Deep Into the Ground"). Deixado sozinho com Billy no Centro Comunitário, Michael revela que ele tem sentimentos por ele, mas Billy explica que o fato de que ele gosta de balé não significa que ele é gay. Michael dá-lhe um beijo na bochecha. Michael tenta fazer com que Billy dance para ele, mas Billy é triste e apenas diz-lhe para sair.

Michael se afasta, mas deixa um leitor de música em execução. Billy sente vontade de dançar pela primeira vez desde o dia da audição e dança durante o sonho de ser um bailarino ("Swan Lake"). Desconhecido para Billy, seu pai chega e vê-lo dançar. Tomado pela emoção, o pai vai até a casa de Sra. Wilkinson para discutir o destino de Billy como um dançarino. Ela confirma o talento de Billy, mas não tem certeza se ele iria ou não entrar no Royal Ballet School. Sra. Wilkinson oferece para ajudar a pagar a viagem a Londres para a audição, mas o Sr. Elliot se recusa. Ele tem orgulho de ser da classe trabalhadora e ver a mineração como futuro para os meninos.

Sr. Elliot decide que a única maneira de ajudar Billy é retornar ao trabalho. Quando Tony vê seu pai inclinando a deixar Billy dançar, ele fica furioso e os dois discutem sobre o que é mais importante: a união dos mineiros ou ajudar Billy alcançar seu sonho ("He Could Be A Star"). A questão é resolvida quando e Billy é atingido acidentalmente. Um dos mineiros castiga por colocar Billy na luta e diz que o importante é cuidar da criança. Um por um, os mineiros dão dinheiro para ajudar a pagar a viagem para a audição, mas Billy ainda não tem o suficiente para a passagem de ônibus para Londres. Os doadores da greve chegam e lhe oferecem dinheiro. Um Tony enfurecido tenta evitar sua doação, mas ninguém mais fala em seu apoio. Agora drenado de esperança, Tony tristemente pondera se tudo não valeu para nada, e foge.

Billy e seu pai chegam na Royal Ballet School para a audição. Enquanto o Sr. Elliot espera lá fora, um londrino rico destaca o contraste entre os Elliot e as famílias dos outros candidatos. Sr. Elliot conhece um dançarino com um sotaque do Norte. O dançarino confessa que "o seu pai não suportar sua carreira balé." Ele aconselha vivamente o Sr. Elliot a cuidar do seu menino. Billy nervosamente termina a audição com a sensação de que ele não se saiu bem. Quando ele guarda seu equipamento, ele permite que a emoção o domine e ele dá um empurrão no outra dançarina que estava tentando confortá-lo. A comissão de audição lembra Billy dos rígidos padrões da escola. Eles recebem uma carta entusiasmada da Sra. Wilkinson explicando a fundo a situação de Billy, e eles pedem-lhe para descrever o que se sente quando dança. Billy responde com uma declaração sincera de sua paixão ("Electricity").

Voltando a Durham, os Elliots retomam a vida, mas os tempos estão difíceis e os mineiros estão numa cozinha comunitária para garantir que todos estão alimentados. Eventualmente, Billy recebe uma carta da escola e, oprimido e com medo, informa sua família que ele foi aceito. Tony recupera a carta do caixote do lixo e descobre que seu irmão foi aceito. Ao mesmo tempo, o sindicato dos mineiros cede; eles perderam a greve. Billy visita a Sra. Wilkinson na aula de dança para agradecê-la por tudo que ela fez para ajudá-lo. Debbie fica triste porque Billy vai deixá-la.

Billy arruma suas coisas para a viagem para a escola e diz adeus ao que em breve será mineiros desempregados que estão retornando infelizes para o trabalho ("Once We Were Kings"). Billy diz adeus à sua mãe morta, que muitas vezes o visita em sua imaginação ("Dear Billy (Billy's Reply)"). Michael chega a dizer adeus e Billy dá-lhe um beijo na bochecha. Billy leva sua mala e sai para o seu futuro sozinho.

Todo o elenco volta para o palco e chama Billy de volta para comemorar o futuro brilhante à sua frente ("Finale").

Números musicais[editar | editar código-fonte]

Instrumentação[editar | editar código-fonte]

Elton John, compositor de Billy Elliot em 2011

A instrumentação para Billy Elliot exige uma grande orquestra. A produção original da Broadway tinha dezessete músicos. Para está orquestra foi necessário dois teclados, baixo, bateria, percussão, guitarra, quatro instrumentos de sopros, três trompetes, duas trompas e dois trombones. Quase todos os músicos tocam dois ou mais instrumentos. Os tecladista tocam o sintetizador, violonistas no Variax, e baixistas com o baixo fretless. Os trombetistas tocam corneta. Os trombonistas tocam euphonium. As duplicações de sopro variam dependendo do local. Na produção original de West End não havia um único jogador de sopro que tocou no flautim, flauta, clarinete e saxofone. A produção da Broadway teve quatro sopranistas. O primeiro tocou flautim, flauta, clarinete e saxofone. O segundo na flauta, clarinete e sax alto. O terceiro no clarinete e sax tenor. O quarto no clarinete, clarinete baixo e sax tenor. A produção de Chicago tinha as mesmas duplicações da Broadway, mas omitiu a quarta parte dos sopros. A versão da turnê tem dois sopranistas. O primeiro toca na flauta e sax tenor. O segundo no clarinete e sax alto.

Elencos Originais[editar | editar código-fonte]

O elenco original de West End, da Broadway, do filme ao vivo e da produção brasileira de 2019:

Character Original Elenco de Londres[2] Elenco Original da Broadway Billy Elliot Live! [3] Elenco Original Brasil (2019)
Billy Elliot Liam Mower
James Lomas
George Maguire
Kiril Kulish
David Álvarez
Trent Kowalik
Elliott Hanna Pedro Sousa
Tiago Fernandes
Richard Marques
Mrs. Wilkinson Haydn Gwynne Ruthie Henshall Vanessa Costa
Pai Tim Healy Gregory Jbara Deka Walmsley Carmo Dalla Vecchia
Tony Elliot Joe Caffrey Santino Fontana Chris Grahamson Beto Sargentelli
Avó Ann Emery Carole Shelley Ann Emery Iná de Carvalho
Mr. Braithwaite Steve Elias Thommie Retter David Muscat André Luiz Odin
George Trevor Fox Joel Hatch Howard Crossley Marcelo Nogueira
Mãe Stephanie Putso Leah Hocking Claudia Bradley Sara Sarres
Billy Elliot (adulto) Issac James Stephen Hanna Liam Mower Guilherme Pivetti
Michael Caffrey Ryan Longbottom
Ashley Luke Lloyd
Brad Kavanagh
David Bologna
Frank Dolce
Zach Atkinson Paulo Gomes
Felipe Costa
Tavinho Canalle
Debbie Wilkinson Lucy Stephenson
Emma Hudson
Brooke Havana Bailey
Erin Whyland Demi Lee Helô Aquino
Luisa Bresser

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Original Produção de Londres[editar | editar código-fonte]

Ano Cerimônia Categoria Nomeação Resultado
2006 Laurence Olivier Awards Melhor Novo Musical Venceu
Melhor Ator em Musical James Lomas, George Maguire and Liam Mower Venceu
Melhor Atriz em Musical Haydn Gwynne Indicado
Melhor Ator Coadjuvante em Musical Tim Healy Indicado
Melhor Direção Stephen Daldry Indicado
Melhor Coreografia Peter Darling Venceu
Melhor Design de Sete Ian McNeil Indicado
Melhor Design de Iluminação [Rick Fisher Indicado
Melhor Design de Som Paul Arditti Venceu
2013 Audience Award para Show Mais Popular Venceu

Original Produção da Broadway[editar | editar código-fonte]

Ano Cerimônia Categoria Nomeação Resultado
2009 Drama Desk Award Melhor Musical Venceu
Melhor Libreto Lee Hall Venceu
Melhor Ator em Musical Gregory Jbara Venceu
Melhor Atriz em Musical Haydn Gwynne Venceu
Melhor Direção em Musical Stephen Daldry Venceu
Melhor Coreografia Peter Darling Venceu
Melhores Orquestrações Martin Koch Venceu
Melhor Música Elton John Venceu
Melhor Iluminação Rick Fisher Venceu
Melhor Design de Som Paul Arditti Venceu
Outer Critics Circle Award Melhor Novo Musical da Broadway Venceu
Melhor Nova Música Venceu
Melhor Ator em Musical Gregory Jbara Venceu
Melhor Atriz em Musical Haydn Gwynne Venceu
Carole Shelley Indicado
Melhor Direção de Musical Stephen Daldry Venceu
Melhor Coreografia Peter Darling Venceu
Melhor Figurino Nicky Gillibrand Indicado
Melhor Design de Iluminação Rick Fisher Venceu
Melhor Design de Sete Ian MacNeil Indicado
Special Achievement Award David Álvarez, Trent Kowalik e Kiril Kulish Venceu
Theatre World Award David Álvarez, Trent Kowalik e Kiril Kulish Venceu
Tony Award Melhor Musical Venceu
Melhor Libreto de Musical Lee Hall Venceu
Melhor Trilha Sonora Original Lee Hall e Elton John Indicado
Melhor Ator Principal em Musical David Álvarez, Trent Kowalik e Kiril Kulish Venceu
Melhor Ator Coadjuvante em Musical David Bologna Indicado
Gregory Jbara Venceu
Melhor Atriz Principal em Musical Haydn Gwynne Indicado
Carole Shelley Indicado
Melhor Direção em Musical Stephen Daldry Venceu
Melhor Coreografia Peter Darling Venceu
Melhores Orquestrações Martin Koch Venceu
Melhor Design de Iluminação Rick Fisher Venceu
Melhor Figurino Nicky Gillibrand Indicado
Melhor Design de Som Paul Arditti Venceu
Young Artist Award Melhor Elenco de Musical da Broadway David Álvarez, Trent Kowalik, Kiril Kulish, David Bologna, Frank Dolce e Erin Whyland

Original Produção Australiana[editar | editar código-fonte]

Ano Cerimônia Categoria Nomeação Resultado
2008 Helpmanns Melhor Musical Venceu
Melhor Ator em Musical Rhys Kowsakowski, Rarmian Newton, Nick Twiney e Lochlan Denholm Venceu
Melhor Atriz em Musical Genevieve Lemon Venceu
Melhor Ator Coadjuvante em Musical Linal Haft Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante em Musical Lola Nixon Indicado
Melhor Direção em Musical Stephen Daldry Venceu
Melhor Coreografia Peter Darling Venceu
Melhor Design de Set Ian McNeil Indicado
Melhor Design de Iluminação Rick Fisher Venceu
Melhor Regência Stephen Amos Venceu
Melhor Design de Som Paul Arditti Indicado
2007 Sydney Theatre Awards Melhor Produção Musical Venceu
Melhor Ator em Musical Rhys Kowsakowski, Rarmian Newton, Nick Twiney e Lochlan Denholm Venceu
Melhor Atriz em Musical Genevieve Lemon Venceu
2008 Green Room Awards Melhor Musical Produção Venceu
Melhor Ator em Musical Rhys Kowsakowski, Dayton Tavares, Michael Dameski, Joshua Denyer e Joshua Weiss Gates Venceu
Melhor Ator em Musical Richard Piper Indicado
Melhor Atriz em Musical Genevieve Lemon Venceu
Melhor Ator Coadjuvante Thomas Doherty, Landen Hale-Brown, Joel Slater e Liam Dodds Venceu
Melhor Ator Coadjuvante Mike Smith Indicado
Melhor Direção Stephen Daldry Venceu
Melhor Coreografia Peter Darling Venceu
Melhor Design de Set Ian McNeil Indicado
Melhor Design de Iluminação Rick Fisher Venceu
Melhor Regência Stephen Amos Venceu
Melhor Figurino Nicky Gillibrand Indicado

Original Produção Coreana[editar | editar código-fonte]

Ano Cerimônia Categoria Nomeação Resultado
2010 Korean Musical Awards Melhor Musical Estrangeiro Venceu
Melhor Ator Novo Se-Yong Kim, Ji-Myung Lee, Jin-ho Jung e Sunu Lim Venceu
Melhor Atriz Coadjuvante Young-Joo Chung Venceu

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Bill and Lee's excellent adventures» (em inglês). The scotsman.com. Consultado em 15 de Novembro de 2014 
  2. "UK News: Re-scheduled Previews and Casting for Billy Elliot" BroadwayWorld.com, 16 March 2005
  3. Stephen Daldry (Theatre show Director) (28 de outubro de 2014). «Billy Elliot Live» (Live Theatre Event). Universal Pictures