Boa noite, Cinderela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Boa noite Cinderela)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o programa de televisão, veja Boa Noite, Cinderela (programa de televisão).
GHB.

Boa noite, Cinderela pode se referir a um crime que consiste em drogar uma vítima para roubá-la ou estuprá-la,[1] ou às drogas usadas para executar este crime.[2]

As drogas que costumam ser usadas no golpe são:

Drogas usadas para o "boa noite, Cinderela" Também são conhecidas como "rape drugs" (em português: "drogas de estupro"[1]). São drogas muito perigosas. Em comum essas drogas apresentam um efeito depressor sobre o sistema nervoso central, principalmente quando combinadas com o álcool, que tem efeito similar.

O nome tem origem em um quadro no programa de televisão apresentado por Silvio Santos na TV Record nos anos 1970, Boa Noite, Cinderela[3]. As drogas são usadas para dopar vítimas em potencial de assalto ou abuso. Algumas vezes há lacunas de memória dos eventos no período de intoxicação. O efeito pode durar até cinco horas e trazer inclusive risco de morte por parada cardio-respiratória ou outros efeitos da intoxicação. [carece de fontes?]

O crime praticado com a utilização de tais drogas caracteriza-se como sequestro, com o agravante de expor a vítima ao risco de morte e incapacitação permanente por coma prolongado e distúrbios psicológicos pós traumáticos.

O uso simultâneo de Valium com álcool é consideravelmente mais perigoso do que o flunitrazepam. Incapacidade de coordenar os movimentos, tendência para o corpo se deslocar para a esquerda ou direita, em que o consumidor, tendo consciência de tal facto, é incapaz de corrigir a sua trajectória, são sintomas clássicos do uso de Diazepam e álcool.

Face à natureza dos maus-tratos ou da agressão de detenção e grave sofrimento físico ou moral do sequestro a pena é reclusão do criminoso por dois a oito anos acrescida das penalidades de estupro que são de 6 a 10 anos de reclusão, aumentando para 8-12 anos se há lesão corporal da vítima ou se a vítima possui entre 14 a 18 anos de idade, e para 12 a 30 anos, se a conduta resulta em morte.

Em alguns países, os malfeitores praticantes de crimes sexuais são devidamente identificados em bancos de DNA e outras características biológicas, obrigados a frequentar sessões de tratamento psicológico/ psiquiátrico sendo também obrigatório informar as autoridades policiais da comunidade onde reside a sua liberdade após cumprimento da pena.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, 1a Policlínica Militar - Campinho, Drogas Ilícitas: Uma Realidade Muito Próxima [em linha]]
  2. a b PUC-Campinas, Departamento de Comunicação Social, Holandeses espalham vírus da Aids em festa [em linha]
  3. https://super.abril.com.br/blog/oraculo/se-quem-dorme-e-a-bela-adormecida-por-que-o-8220-boa-noite-cinderela-8221-tem-esse-nome/
Ícone de esboço Este artigo sobre uma droga é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.