Booby Trap

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Booby Trap
Booby Trap em 2012
Informação geral
Origem Aveiro
País  Portugal
Género(s) Thrash metal, Crossover, Punk rock
Período em atividade 1993 - 1997
2012 - Presente
Editora(s) Fast'n'loud
Non Nobis Productions
Sasg Records
Firecum Records
Página oficial Facebook
Discografia no Bandcamp
Integrantes Pedro Azevedo (guitarra) (1993-1997, 2012-presente)
Pedro Junqueiro (voz) (1993-1997, 2012-presente)
Carlos Ferreira (baixo) (2012-presente)
Hugo Lemos (bateria) (2015-presente)
Ex-integrantes Nuno Barbosa (guitarra) (1993-1997)
Ricardo Melo (baixo) (1993-1997)
Miguel Santos (bateria) (1993-1997, 2012-2015)

Booby Trap em 1994

Os Booby Trap são uma banda de Thrash Metal/Crossover originária de Aveiro, Portugal. A banda esteve activa entre 1993 e 1997, tendo conseguido um êxito considerável no movimento underground do momento[1]. Voltaram a reunir-se em 2012, após 15 anos de interregno.

História[editar | editar código-fonte]

Origens (1993 - 1997)[editar | editar código-fonte]

No início da actividade, os Booby Trap participaram em vários concursos de música moderna portuguesa, então populares, tendo arrecadado o 1º lugar em vários, o mais importante dos quais o 1º Concurso de Música Moderna do Porto[2], contra mais de 40 bandas, com júri constituído por Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta), Paulo Barros (Tarantula), João Ribas (Censurados), Hugo Moutinho (Jornal Blitz) e Paula Rocha (Rádio Minuto).

Em 1994 lançaram a sua demo, Brutal Intervention. Em 1996 participaram com 10 temas no Split-CD Mosh It Up, com as bandas brasileiras TIT e Locus Horrendus, editado pela Fast'n'loud.

Antes de interromper a actividade, em 1997, os Booby Trap participaram em mais de uma centena de concertos do norte ao sul de Portugal, partilhando o palco com bandas nacionais e internacionais, tais como Cradle of Filth, Hypocrisy, Grave, Gorefest, Charged GBH, Dorsal Atlântica, Moonspell, Tarantula, Inkisição, entre outras do panorama underground da década de 90.

Após a interrupção, os elementos participaram em diversas bandas e projectos incluindo: Miguel Santos nos Superego; Pedro Azevedo nos Wild Bull; Pedro Junqueiro nos Snowball, Konk e Wild Bull; Nuno Barbosa nos Strange Airplane e Ricardo Melo nos Anger.

Reunião (2012)[editar | editar código-fonte]

Em 2012, os Booby Trap aceitaram o convite da organização do Festival Vértice para um concerto de reunião da banda, depois de um intervalo de 15 anos[1][2]. O festival foi organizado pela Câmara Municipal de Aveiro e realizou-se no emblemático Teatro Aveirense, contando com a presença de mais de uma dezena de bandas e DJs Aveirenses[3]. Aproveitando a reunião, foram também convidados e participaram no XIV Blindagem Metal Fest, partilhando o palco com os W.A.K.O., Echidna, I, Machinery e Dark Oath[4].

Na nova encarnação, a formação da banda mantém três dos elementos fundadores, reforçados com a entrada de Carlos Ferreira (ex-Deep Pression e Hu-Matic) para o baixo e passando a contar apenas com uma guitarra. Após a recepção que tiveram nos concertos de reunião, a banda decidiu dar continuidade à sua actividade[5].

Em Dezembro de 2012, os Booby Trap foram uma das bandas seleccionadas, entre mais de 100 concorrentes, para a edição 2013 do W:O:A METAL BATTLE PORTUGAL[6], participando na eliminatória em Braga, a 5 de Janeiro de 2013, juntamente com os Brutal Brain Damage, Pestifer e Waste[7].

Survival (2013 - 2015)[editar | editar código-fonte]

Em Novembro de 2013 a banda lança o álbum Survival, o primeiro registo sonoro em 16 anos. O álbum foi gravado na sua própria sala de ensaios, convertida em estúdio[8]. O álbum reúne oito temas e um tema bónus e conta com a participação de Zé Luis Rocha, vocalista da banda aveirense The Last of Them no tema de abertura Survive. A distribuição do álbum ficou a cargo da própria banda, como é normal no meio em que a banda se insere. No entanto, a banda recorreu também ao serviço Bandcamp para realizar a distribuição no formato digital [9].

Em 2014, o álbum foi reeditado em CD pela Non Nobis Productions, passando a incluir mais um tema, uma cover do Ace of Spades dos Motörhead. Esta edição conta, assim, com dez temas no total. Para além da distribuição em CD, o álbum passou a estar disponível em várias plataformas digitais, incluindo o iTunes, Amazon MP3, Spotify, Deezer, entre outras. [10]

Também em 2014, o álbum foi reeditado em vinil pela Sasg Records. Esta edição contém os mesmos dez temas que a edição em CD, mas com uma ordem diferente e uma nova masterização, realizada por Miguel Marques do Bender Mastering Studio. [11]

Reedição de Brutal Intervention e nova formação (2015 - presente)[editar | editar código-fonte]

A 18 de Maio de 2015, foi relançada pela Firecum Records a demo-tape de estreia, Brutal Intervention, agora em formato CD e com a adição de temas gravados em ensaio, dois dos quais inéditos. [12] No mesmo dia, Miguel Santos, um dos elementos fundadores, abandonou amigavelmente a formação da banda, alegando discordância em relação ao actual modelo de gestão da banda. [13] Mais tarde, revelou que a reedição da demo-tape foi realizada à sua revelia e que essa terá sido a razão decisiva para a sua saída da banda. [14] Da formação original restam, assim, apenas dois elementos, curiosamente os mesmos que em 2011 constituíram a banda de bar/covers Wild Bull. [15] O lugar vago na bateria foi ocupado três dias depois por Hugo Lemos. [14][16]

Linha temporal da formação[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Demos[editar | editar código-fonte]

Split-CDs[editar | editar código-fonte]

  • 1996 - Mosh It Up (com as bandas TIT e Locus Horrendus, inclui dez temas dos Booby Trap), editado pela Fast'n'loud (FL010)

Álbums[editar | editar código-fonte]

Participações em Compilações[editar | editar código-fonte]

  • 1994 - Portugal Rebelde Vol. 1 (tema 2 - "Booby Trap") - Editado pela Global
  • 1995, Reeditado 1996 - Play It Loud (temas 7 - "Sit, Watch and Do Nothing"; 31 - "The Gutter") - Editado pela Fast'n'loud (FL004)
  • 1996, Reeditado 2006 - Compilação Antimilitarística Ibérica (tema 14 - "Fight") - Editado pela Deflagra [17]
  • 2014 - 13 Portuguese Metal Compilation vol. II (tema 4 - "Survive") - Editado pela 13MetalComp [18]
  • 2014 - Aveiro Rocks a Lot (ARAL), Volume 1 (tema 10 - "Calem-se Já!") - Editado pela Associação Cultural e Recreativa 'Recreio do Castor' [19][20][21] [22]
  • 2014 - Heavy Load, Vol. 1 (tema 7 - "Six Little Friends") - Editado pela Non Nobis Productions [23]
  • 2015 - Ultraje, Vol. 1 (tema 8 - "Out To Die") - Editado pela Nordavind Records [24]

Referências

  1. a b Agência LUSA. «Festival de música em Aveiro marca regresso ao palco dos Booby Trap». Consultado em 12 de Junho de 2012. 
  2. a b Câmara Municipal de Aveiro. «Festival Vértice promete agitar Teatro Aveirense» (PDF). Consultado em 12 de Junho de 2012. 
  3. Simões, Sandra. (11 de Junho de 2012). "Música e teatro marcam Verão no TA". Diário de Aveiro.
  4. (2 de Junho de 2012) ""Os Ílhavos" recebem festival de Metal a 2 de Junho". Diário de Aveiro.
  5. Booby Trap. «Biografia». Consultado em 18 de Junho de 2012. 
  6. SWR inc. «W:O:A METAL BATTLE PORTUGAL 2013». Consultado em 21 de Dezembro de 2012. 
  7. SWR inc. «W:O:A METAL BATTLE PORTUGAL 2013, ROUND #1 @ BRAGA». Consultado em 21 de Dezembro de 2012. 
  8. Gui Rodrigues. «Entrevista: Booby Trap». Consultado em 23 de Novembro de 2013. 
  9. «Survival». Consultado em 23 de Novembro de 2013.  Texto " Booby Trap " ignorado (Ajuda)
  10. a b «Booby Trap - Survival CD». Consultado em 2 de Julho de 2014. 
  11. a b «Sasg Records». Consultado em 22 de Julho de 2014. 
  12. a b «O A Distributions». Consultado em 19 de Maio de 2015. 
  13. «Booby Trap Friends». Consultado em 25 de Maio de 2015. 
  14. a b «Booby Trap Friends». Consultado em 6 de Junho de 2015. 
  15. «"WILD BULL" HARDROCK PARTY». Consultado em 31 de Junho de 2015. 
  16. «About Booby Trap». Consultado em 30 de Junho de 2015. 
  17. Bourbonese. «Under Review: BOOBY TRAP». Consultado em 8 de Junho de 2015. 
  18. 13MetalComp. «13 Portuguese Metal Compilation vol. II». Consultado em 20 de Janeiro de 2014. 
  19. Rádio Terra Nova. «'Aveiro Rocks a Lot': Projeto visa promover bandas de música de Aveiro». Consultado em 6 de Março de 2014. 
  20. Margarida Malaquias, Diário de Aveiro. «Aveiro Rocks a Lot!!». Consultado em 6 de Março de 2014. 
  21. Associação Cultural e Recreativa 'Recreio do Castor'. «Bandas». Consultado em 6 de Março de 2014. 
  22. Rádio Terra Nova. «Projecto 'Aral - Aveiro Rocks a Lot' valoriza projectos musicais locais.». Consultado em 12 de Março de 2014. 
  23. «NNP-Promo003 - Heavy Load Promotional Compilation Vol 1, by Non Nobis Productions». Non Nobis Productions. Consultado em 2015-12-15. 
  24. «Ultraje Vol. I: Fica a conhecer o alinhamento da compilação | Ultraje - Metal & Rock Online». ultraje.pt. Consultado em 2015-09-01. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]