César Bórgia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
César Bórgia
Duque de Valentinois
"Retrato de um Cavalheiro" (Cesare Borgia), por Altobello Melone.
Sucessor(a) Luísa Bórgia
17 de agosto de 1498 - 12 de março de 1507
Cônjuge Carlota de Albret
Descendência Luísa Bórgia
Casa Real Bórgia
Nascimento 13 de setembro de 1475
Roma, Flag of the Papal States (pre 1808).svg Estados Papais
Morte 12 de março de 1507 (31 anos)
Viana, Bandera de Reino de Navarra.svg Reino de Navarra
Sepultamento Igreja de Santa Maria, Viana, Espanha
Pai Rodrigo Bórgia
Mãe Vannozza dei Cattanei
Brasão


César Bórgia
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo emérito de Valência

Título

Cardeal-diácono de Santa Maria Nova
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 5 de abril de 1483
Ordenação episcopal 1491
12 de setembro de 1491
Nomeado arcebispo 31 de agosto de 1492
Cardinalato
Criação 20 de setembro de 1493, por Alexandre VI
Dados pessoais
Nascimento Roma, Estados Papais
17 de setembro de 1475
Morte Viana, Reino de Navarra
12 de março de 1507 (31 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

César Bórgia (em italiano: Cesare Borgia; Roma, 13 de setembro de 1475 - Viana, 12 de março de 1507), foi um príncipe, cardeal e nobre italiano da Renascença europeia. O Duque de Valentinois era filho de Rodrigo Bórgia, eleito Papa Alexandre VI em 1492, com Vannozza dei Cattanei[1]. Entre os seus irmãos estão Giovanni Bórgia, Lucrécia Bórgia e também Gioffre Bórgia. Além dos quatro mais conhecidos filhos de Rodrigo, existiram também meios-irmãos de mães desconhecidas, e entre eles está Pedro Luís de Borja e Girolama Borja.

Após o assassinato de seu irmão Giovanni, César abandona a carreira religiosa para tornar-se guerreiro, onde é nomeado Duque de Valentinois. César casou-se com a francesa Charlotte de Albret, e teve com ela uma filha, Luisa Bórgia. Conviveu com figuras ilustres como Leonardo da Vinci e Nicolau Maquiavel, inimigos de sua família, de forma que ele chegou ao ponto de prender Da Vinci para que ele construísse armas para seu exército. Seu poder e influência enfraqueceram após a morte de seu pai, o papa Alexandre VI, e sua sucessão pelo papa Júlio II, notável inimigo dos Bórgias. César chegou a ser preso, mas escapou da prisão, e foi morto na cidade de Viana, na Espanha.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nascido em Roma, em setembro de 1475, como a maioria dos segundos filhos da nobreza italiana, César foi educado em seus primeiros anos para se tornar um homem da Igreja[2], como seu pai fora. Indubitavelmente seu caráter não era de um religioso[3]. Como o pai, César foi um sensual, e suas ligações femininas são amplamente reconhecidas desde sua adolescência. Foi apontado como amante de sua irmã Lucrécia Bórgia, embora tal informação não possua grandes confirmações. [carece de fontes?]. Ainda no que diz respeito às suas relações com os irmãos, é sabido que César não era muito amigável com Giovanni. Sobre sua ordem de nascença, há uma versão que diz ser Giovanni o mais velho dos filhos de Rodrigo e Vanozza; mas devido a uma série de bulas emitidas após o assassinato do rapaz, não é possível confirmar a informação.

Abandona a carreira eclesiástica - à qual nutria pouco gosto, utilizando como justificativa o assassinato do irmão Giovanni, a quem deveria substituir nos assuntos temporais, já que Giovanni era capitão das forças militares do papado. Feito Duque Valentino em 1498 pelo rei Luís XII de França, que queria um papa aliado, César Bórgia tornou-se modelo para o livro O Príncipe, de Maquiavel[4], com quem conviveu durante um tempo. Calculista e violento, tentou, com o apoio do pai, constituir um principado na Romanha em 1501[5]. César também esteve próximo da ilustre figura de Leonardo da Vinci, que trabalhava para ele como engenheiro e arquitecto, e a quem ornecia ao mesmo passe ilimitado para inspeccionar e orientar toda a construção em andamento e planejadas em seu domínio.

No dia 31 de dezembro de 1502, para se livrar de seus inimigos - dentre eles, Oliverotto de Fermo, convidou-os para seu palácio de Senigallia, depois aprisionou-os e assassinou-os. Após a morte de seu pai, foi encarcerado sucessivamente pelo papa Júlio II e pelo rei de Castela[6]. Escapando daquele reino, serviu como soldado no exército de Navarra - cujo rei era seu cunhado. Foi assassinado aos trinta e um anos, no ano de 1507, em Viana, no Reino de Navarra[7]. Está sepultado na Iglesia de Santa María de Viana, Viana, Navarra na Espanha.[8]

Na arte[editar | editar código-fonte]

No cinema, César Bórgia foi representado por Orson Welles no filme Prince of Foxes. Foi também interpretado por François Arnaud na série The Borgias, de Neil Jordan, finalizada em junho de 2013. E, ainda, na versão europeia produzida por Tom Fontana, Borgia: Faith and Fear, o personagem vem sendo encarnado pelo ator Mark Ryder. [carece de fontes?]

No jogo Assassin´s creed: Brotherhood, César Bórgia assume o papel de principal antagonista, sendo ele hipoteticamente um Templário, inimigo da família Auditore. [carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre César Bórgia

Referências

  1. Will Durant - A Renascença, 1984 - Editora Record
  2. Elben M. Lenz Cesar - Conversas Com Lutero: Historia E Pensamento, 2006 - Editora Ultimato - Num. págs. 288
  3. Will Durant - A Reforma, 1984 - Editora Record
  4. Nicolau Maquiavel - O Príncipe - Editora Cultrix, 1939 - 165 páginas
  5. Hélio Jaguaribe - Um estudo crítico da história, Volume 2, 2001 - Editora Paz e Terra
  6. Miguel M. Abrahão - O Strip do Diabo, 1997 - Ed. Shekinah, 620 pg.
  7. Ernst CassirerO Mito do Estado - Editora Conex - Num. págs. 344 páginas
  8. César Bórgia (em inglês) no Find a Grave
Precedido por
Alfonso Carrillo de Acuña II
Brasão episcopal.
Bispo de Pamplona

1491 - 1492
Sucedido por
Antonio Pallavicino (Administrador Apostólico)
Precedido por
Rodrigo de Borja y Borja
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Valência

1492 - 1498
Sucedido por
Juan de Borja Llançol de Romaní
Precedido por
Giovanni Battista Orsini
Brasão cardinalício
Cardeal-diácono de Santa Maria Nova

1493 - 1498
Sucedido por
Raymund Pérault
Precedido por
-
Blason César Borgia (1475-1507).svg
Duque de Valentinois

1498 - 1507
Sucedido por
Luisa Borgia y Albret
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.