Campanário (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Campanário
"Campas"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 31 Agosto 1943
Fundação 31 de dezembro de 1942
Gentílico campanariense
Prefeito(a) Puca (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Campanário
Localização de Campanário em Minas Gerais
Campanário está localizado em: Brasil
Campanário
Localização de Campanário no Brasil
18° 14' 20" S 41° 44' 52" O18° 14' 20" S 41° 44' 52" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Vale do Rio Doce IBGE/2008 [1]
Microrregião Governador Valadares IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Itambacuri, Jampruca, Frei Inocêncio e Pescador.
Distância até a capital 395 km
Características geográficas
Área 442,82 km² [2]
População 5 255 hab. IBGE/2015[3]
Densidade 11,87 hab./km²
Altitude 268 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,668 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 26 273,681 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 8 047,66 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.campanario.mg.gov.br/

Campanário é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Localizado na Mesorregião do Vale do Rio Doce e na Microrregião de Governador Valadares, estando a uma altitude de 268 metros. Sua população estimada em 2016 é de 5 255 habitantes. Situa-se no leste do estado, estando há 395 km de Belo Horizonte, 85 km de Governador Valadares e 55 km de Teófilo Otoni. Tem como ponto turístico a Pedra do Moleque e a Igreja Matriz umas das mais antigas do Vale do Rio Doce. Seu apelido é Campas. Possui uma área de 442,82 km².

História[editar | editar código-fonte]

A região onde se localiza a cidade, em seus primórdios, era habitada pelos Botocudos, Bororós, Nacnanucs e Pochichás. Por volta de 1890, chegaram as famílias de Tiago Domingos dos Santos, Tiago Alves Soares, seus irmãos, e a de Antônio Duarte Sobrinho, ali se fixando. Sete anos depois, a 08 de outubro de 1897, os fundadores de Itambacuri, capuchinhos Frei Serafim de Gorízia e Frei Ângelo de Sassoferrato, chegaram para a colonização dos índios, logo construindo uma pequena capela dedicada à São Pedro e São Paulo. Iniciava-se a formação do povoado que recebeu o nome de Igreja Nova. Sendo a região propícia à agricultura, logo foi aberta a estrada de tropa entre Itambacuri e Igreja Nova. A seguir, a estrada de rodagem entre Itambacuri e Governador Valadares, propiciando o desbravamento da região, apesar do temível impaludismo que dizimava os colonos. Mais tarde, foi construída a rodovia federal “Rio-Bahia”, tendo o DNER construído uma sede de acampamento no povoado, o que possibilitou um rápido avanço. A agropecuária dirigiu a evolução municipal. O nome Igreja Nova foi dado por ter sido construída uma Igreja nova em relação à de Nossa Senhora dos Anjos, existente em Itambacuri. Adotou-se, depois, o topônimo Campanário, lembrando a primeira Igreja, construída para a colonização dos índios.

Bairros[editar | editar código-fonte]

Centro, Lagoinha, Tabatinga, Chapadinha, Olhos D`água, Vila São Vicente, Castro Pires e Glória.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

A Cidade de Jampruca e o Distrito de São Sebastião do Barroso, já pertenceram a Campanário. Mas Jampruca se emancipou em 1992. Nos anos 1980 a População de Campanário era de 15 mil Habitantes.

O nome de Campanário já foi Igreja Nova.

O Escritor Roniwalter Jatobá de Almeida nasceu em Campanário.


Saúde[editar | editar código-fonte]

Policlínica Jovelina Rodrigues Duarte

PSF I - Sebastião Farmacêutico

PSF II - Bem-te-vi

PSF III - Indigena


Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Censo Populacional 2012» (PDF). Censo Populacional 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 8 de Setembro de 2012. Consultado em 11 de Outubro de 2012. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.