Itambacuri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itambacuri
Cidade vista do "Morro da Torre de TV"

Cidade vista do "Morro da Torre de TV"
Bandeira indisponível
Brasão de Itambacuri
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Fundação 13 de abril de 1873
Gentílico itambacuriense
Prefeito(a) Henrique Luiz da Mota Scofield (PR)
(2017–2020)
Localização
Localização de Itambacuri
Localização de Itambacuri em Minas Gerais
Itambacuri está localizado em: Brasil
Itambacuri
Localização de Itambacuri no Brasil
18° 01' 51" S 41° 41' 06" O18° 01' 51" S 41° 41' 06" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Região
intermediária

Teófilo Otoni IBGE/2017[1]

Região
imediata

Teófilo Otoni IBGE/2017[1]

Municípios limítrofes Teófilo Otoni, Poté, Franciscópolis, Água Boa, São José da Safira, Marilac, Frei Inocêncio, Jampruca, Campanário, Frei Gaspar
Distância até a capital 420 km
Características geográficas
Área 1 419,209 km² [2]
Distritos Frei Serafim, Guarataia e Itambacuri (sede)[3]
População 23 637 hab. estatísticas IBGE/2017[4]
Densidade 16,66 hab./km²
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,634 médio PNUD/2010[5]
PIB R$ 207 715 mil IBGE/2014[6]
PIB per capita R$ 8 817,54 IBGE/2014[6]
Página oficial

Itambacuri é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Sua população estimada em 2017 era de 23 637 habitantes.[4]

História[editar | editar código-fonte]

A convite do Governo Imperial da época, foi fundado no Vale do Mucuri e Rio Doce, um aldeamento para catequese dos indígenas, a fim de liberar terras para a colonização e se aproveitar da mão-de-obra dos nativos.

Frei Serafim de Gorízia e Frei Ângelo de Sassoferrato, que aqui chegaram a 19 de fevereiro de 1873. Estava dentro em pouco tempo, formada a aldeia na data de 13 de abril de 1873, legalmente considerada a fundação da cidade.

Outros moradores da região, atraídos pelas atividades de derrubada da mata e expansão das atividades agrícolas e pecuárias, foram chegando e se fixando.

Quatro anos depois, contava o povoado com algumas dezenas de casas, uma igreja e uma média de 500 índios, que auxiliavam no trabalho da lavoura.

A vida econômica e social do povoado prosseguiu em ritmo normal até sua elevação à categoria de distrito e posteriormente de município (em 18 de maio de 1924).

Com a criação do município em 1924, foi a sede elevada a cidade. A princípio, o município de Itambacuri jurisdicionava-se à comarca de Teófilo Otoni, até 1948.

Com a criação do Decreto-lei n 336, Itambacuri passou a comarca em 1948.

Itambacuri era formada de 4 distritos: Itambacuri (sede), Aranã, Frei Serafim e Igreja Nova (hoje Campanário). Por força da Lei Estadual n 2.764, de 30 de dezembro de 1962, foram desmembrados passando a municípios: Campanário, Frei Gaspar, Frei Inocêncio, Pescador, Nova Módica, São José do Divino.

Hoje restam em Itambacuri os distritos de Frei Serafim e Guarataia.[3]

A atriz e modelo Camila Alves é natural de Itambacuri.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017,[7] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Teófilo Otoni.[1] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião de Governador Valadares, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Vale do Rio Doce.[8]

Povos Indígenas Botocudos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 7 de novembro de 2017 
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (15 de janeiro de 2013). «Áreas dos Municípios». Consultado em 7 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2017 
  3. a b Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Itambacuri - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 18 de setembro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 18 de setembro de 2013 
  4. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (30 de agosto de 2017). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2017» (PDF). Consultado em 7 de novembro de 2017 
  5. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  6. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2014). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2014». Consultado em 7 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2017 
  7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 7 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2017 
  8. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 71–72. Consultado em 7 de novembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 7 de novembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.